terça-feira, 28 de junho de 2016

Inauguração Showroom Caves Santa Cruz

Inauguração Showroom Caves Santa Cruz
Vinhos, azeites e novas experiências gastronômicas são destaques na primeira loja da importadora

9Y9B3966.jpg



Um espaço charmoso rodeado por prateleiras recheadas de vinhos, azeite e produtos gourmands, assim é a primeira loja física da importadora Caves Santa Cruz, inaugurada recentemente na Mooca. Fundada em 2012 pelo imigrante português Ramiro Cruz, a importadora e distribuidora de vinhos, azeites e alimentos traz com exclusividade para o Brasil produtos de alta qualidade. No portfólio de vinhos, a empresa já soma mais de 150 rótulos provenientes de seis países reconhecidos entre os melhores da vinificação: Portugal, Espanha, França, Itália, Argentina e Chile.
No Showroom é possível degustar os vinhos e ainda conhecer mais sobre as vinícolas que os produzem. Premiados e de excelente custo benefício, os vinhos trazidos pela empresa são premiados em várias categorias e em importantes competições do universo vitivinícola. Um dos destaques é o Invisível, da vinícola portuguesa Ervideira, do Alentejo. Produzido 100% com a cepa Aragonez, o rótulo ganhou grande evidência na edição 2015 da ExpoVinis. Outro vinho que chama a atenção é o Conde d´Ervideria, que foi condecorado com medalha de ouro no Concurso Challenge International Du Vin, em 2014. O Lusitano Reserva ganhou ouro na China Wine Awards, e o português Pacheca Grande Reserva Touriga Nacional D.O.C., da região do Douro, recebeu 90 pontos do crítico Robert Parker, um dos mais importantes do mundo.  “Sempre foi um sonho importar produtos de alta qualidade para o Brasil, país que me deu tudo o que tenho. Criar a Caves Santa Cruz foi a oportunidade de realizá-lo. Na empresa, acreditamos que dentro de uma garrafa existe mais do que um vinho, existem momentos, sensações, além de experiências a serem descobertas, apreciadas e vividas. Buscamos sempre por produtores que acreditem nisso também. Só assim podemos representar com exclusividade vinhos de excelência e compartilhar as experiências com nossos clientes”, diz Ramiro.

Showroom Caves Santa Cruz: Rua Cap. Pacheco e Chaves, 394 - Vila Prudente, São Paulo – SP. Tel.: (11) 2197-0111. Horário de funcionamento: Segunda a Sexta: 08h às 17h30. Sábado: 09h00 às 13h00. CC: V, M, D, H. Estacionamento gratuito. Mais informações:  www.cavessantacruz.com.br.

segunda-feira, 27 de junho de 2016

VENDA DE VINHOS EM TAÇA

Escrevi o artigo “ VENDA DE VINHOS EM TAÇA  ” – Na EXPOVINIS 2016 os fóruns de discussões se tornaram uma iniciativa fundamental para orientar profissionais ou até mesmo pessoas que querem entrar no ramo da enogastronomia. Sem dúvida, o setor é envolvido em muito glamour, e vários chefs se tornaram celebridades e viraram figuras conhecidas na TV, e isto atrai investidores imaginando criar uma aura de sucesso em torno de si. Mas o único lugar aonde o sucesso vem antes do trabalho é no dicionário !
E sendo assim, os fóruns se tornaram ambiente de desenvolvimento de várias idéias e soluções para enfrentar a crise que hoje assola o setor de bares e restaurantes. Participei de vários deles, e pretendo comentar cada um a seu tempo, e vou começar escrevendo sobre a questão das CARTAS DE VINHOS DOS RESTAURANTES e que acabou criando espaço para a discussão da venda de VINHOS EM TAÇAS.
Pedir uma taça de vinho em muitos restaurantes no Brasil pode parecer uma piada porque a estratégia de atender os clientes de vinho resvala em muitas questões.
Uma delas é que mesmo rótulos comuns não são encontrados em taças ou então custam muito caro, resultando ser mais racional pedir uma garrafa inteira em vez do que pedir duas ou três taças, mesmo que a pessoa vá beber pouco.
As estratégias para atender este tipo de cliente tem sido criadas mundo à fora, buscando facilitar a venda de vinho em taça oferecendo aos clientes muito mais opções do que o simples chardonnay para vinho branco ou cabernet sauvignon para o vinho tinto.
Ao longo dos anos, experimentou-se vários sistemas, desde o simples VacuVin, um dispositivo para bombear o ar de uma garrafa de vinho aberta, buscando conservá-la por um ou dois dias, até sistemas complexos de refrigeração e conservação destinados a prolongar a vida útil das garrafas, uma vez que as rolhas tivessem sido removidas, com a introdução de argônio para ocupar o espaço livre deixado pelo vinho servido.
Desenvolveram-se equipamentos especiais do tipo Enomatic, e já tive oportunidade de ver restaurantes na Europa oferecendo mais de 50 opções de vinhos em taças.
Mais recentemente alguns restaurantes passaram a usar o Coravin, um acessório que combina funções, permitindo extrair o vinho de uma garrafa sem abri-la de fato. Uma agulha fina, longa e oca é introduzida na garrafa através da cápsula ou da proteção metálica e da rolha. Em seguida, o gás argônio (inofensivo, incolor e insípido) é bombeado pela agulha, criando uma pressão na garrafa que empurra o vinho para fora através da mesma agulha.
Quando a quantidade desejada de vinho é servida, a agulha é retirada, deixando o argônio no lugar do líquido servido, o que impede a oxigenação. A rolha então se recompõe sozinha, selando o vinho. O método entretanto, não funciona com tampa de rosca nem rolha artificial. O Coravin parece resolver um problema que aflige a humanidade desde que o primeiro vinho foi armazenado em uma garrafa, mas de qualquer forma é um equipamento que custa cerca de 300 dólares (Na Europa custa o equivalente a 300 euros).
Se o Coravin funcionar como se espera, ele pode favorecer a oferta de vinhos envelhecidos e caros em taça, mesmo que não haja um público muito grande para esses tipos de rótulos.
Entretanto, valorizando a criatividade, sem precisar de equipamentos, alguns restaurantes tiveram a idéia de abrir toda a noite uma garrafa de vinho de alta qualidade, para ser vendido em taça para clientes que queiram compartilhá-lo. Colocam a oferta numa tabuleta e quando se chega a um número mínimo de interessados, abre-se a garrafa.
Mas afinal, o que pedir no restaurante? Uma taça, ou uma garrafa ? Esta é uma simples questão de matemática e consumo. Enquanto alguns restaurantes servem os vinhos em taças de 180ml ou taças de 120ml, a grande maioria usa taças de 150ml. Isso significa que uma garrafa padrão de vinho de 750ml servirá 5 taças.
Mas infelizmente, a maioria dos restaurantes definem o preço da taça, muito maior do que o valor de do preço total de uma garrafa padrão, ou seja, se há uma grande chance de você consumir 5 taças, é provável que o preço da garrafa inteira seja mais racional. Por outro lado, se você quer somente 1 ou 2 taças, seja pelo fato de você estar tomando sozinho, ou porque você quer provar diferentes tipos de vinho, então pedir por taça faz todo sentido.
No entanto, é importante considerar que muitos restaurantes costumam deixar restos de vinho nas garrafas ao final da noite. Esses vinhos costumam ser servidos no dia seguinte, e algumas vezes por vários dias. Um vinho que foi aberto durante a noite não necessariamente é um vinho com sabor ruim; ele somente pode não ter um sabor tão agradável como você deseja.
Se você for pedir uma taça de um vinho, pergunte a quanto tempo a garrafa foi aberta, e se a resposta for qualquer coisa antes de “hoje”, pegue um vinho diferente, ou pergunte se é possível tomar um pequeno gole para ter certeza de que não está comprando gato por lebre.
De qualquer forma, têm aparecido no mercado alguns restaurantes em que o conceito de servir vinho em taça é a norma e não a exceção. Citei dois exemplos em funcionamento em Belo Horizonte. O primeiro deles, o “Au Bon Vivant” criado há três anos serve desde o princípio de seu funcionamento, vinhos em taças. O mais parisiense dos bistrôs de Belo Horizonte, oferece comida de bistrô francês, com porções generosas e ingredientes de primeira qualidade. Silvana Watel, chef é proprietária da casa e produz as próprias terrines, inclusive de foie gras, e outras preparações típicas da França (veja mais em: http://www.aubonvivant.com.br/) .
Os vinhos apresentados são de importação própria da casa, escolhidos a dedo na França por Philippe, marido da Silvana. Geralmente são furto de vinícolas de pequeno porte que oferecem um leque de sabores representando a variedade dos vinhos franceses. É a maior oferta de vinhos Belo Horizonte, 40 rótulos servidos em taças de 125ml, desde Champagne, Chateauneuf-du-Pape, Bordeaux, Borgonha ou mesmo vinhos mais simples. O valor de uma taça de vinhos é acessível e a casa também não cobra pela água servida em jarra.
O restaurante tem todo o cuidado com a manipulação, limpeza das taças, com o modo de servir, usando um sistema à vácuo para fechar as garrafas que foram abertas. Devido ao movimento, a rotatividade das garrafas é alta, mesmo com várias opções. Na maioria das noites, você poderá beber uma taça de um vinho que foi aberto naquele momento. O conceito fundamental em tudo é o de facilitar a harmonização de cada prato com o vinho. Eles servem também o vinho em “pichets” de 500ml (jarras).
No mesmo estilo de serviço de seus rótulos exclusivos, mais recentemente a importadora ‘Mon Caviste” abriu seu Bar au Vin, oferecendo uma longa lista de vinhos em taça. De qualquer forma, a relação de restaurantes em Belo Horizonte que servem vinhos em taças tem aumentado e certamente é um atrativo para os mineiros saírem para os provar os encantos da gastronomia da capital mineira.
Outros assuntos serão pauta para próximos artigos: a presença de Sommelier como grande diferencial para o restaurante decolar na venda de vinhos.
  
A Tabela abaixo dá uma dica do que pedir em restaurantes que têm vinho em taças:


Quantas Pessoas ?
Cada um bebe quantas taças ?
O ideal é Pedir...
Uma pessoa
Uma taça
Por taça
Uma pessoa
Duas taças
Por taça
Uma pessoa
Três taças
Por taça
Uma pessoa
Quatro taças
Por garrafa
Duas pessoas
Uma taça cada um
Por taça
Duas pessoas
Duas taças cada um
Por garrafa
Três pessoas
Uma taça cada um
Por taça
Três pessoas
Duas taças cada um
Por garrafa
Quatro pessoas
Uma taça cada um
Por garrafa
Cinco pessoas
Uma taça cada um
Por garrafa

DE MARTINO VIEJAS TINAJAS CINSAULT 2013 – VALE DE ITATA - CHILE

● Vinho da Semana 26/2016 - ● DE MARTINO VIEJAS TINAJAS CINSAULT 2013 – VALE DE ITATA - CHILE –  A vinícola De Martino foi fundada em 1934 por Pietro De Martino Pascualone que saiu da Itália para satisfazer sua paixão em produzir vinhos. Procurando o lugar ideal, encontrou a Isla de Maipo a aproximadamente 50 quilômetros de Santiago, entre a Cordilheira dos Andes e o Oceano Pacífcio. Desde lá, a De Martino cresceu, tendo hoje 300 hectares plantados organicamente. Com uvas plantadas em mais de 350 vinhedos de norte ao sul do Chile, a De Martino busca sempre o melhor terroir para cada variedade de uva, obtendo vinhos de caráter especial. Mesmo 80 anos depois da sua fundação, a vinícola mantém o seu espírito familiar, o dinamismo e o pioneirismo que estão no seu lema de reinventar o Chile.
Com a proposta de resgatar a antiga tradição de vinificação em vasos de barro, a De Martino produziu o Viejas Tinajas, um vinho cuja a intervenção do homem é mínima, buscando representar fielmente suas origens. Produzido a partir de vinhedos no Valle del Itata, região onde foram plantados as primeiras videiras do Chile, este vinho é muito aromático, com excelente acidez e sabores elegantes em boca.
Vinhas de 30 anos de idade conduzidas em gobelet, não irrigadas e plantadas em pé franco, localizadas na Vale de Itata - Guariligüe, 400 km ao sul de Santiago.. Colheita manual em 30 de Março seguida de imediato desengace. A fermentação foi conduzida com bagos inteiros por 15 dias em tinajas centenárias de argila. Na primavera uma vez terminada a fermentação malolática, o vinho foi engarrafado sem filtração alguma. Não foram adicionados nenhum insumo enológico (enzimas, taninos, leveduras selecionadas), salvo uma pequenas dose de SO2 para a perfeita conservação do vinho.
● Notas de Degustação: Coloração purpúrea delicada. Muita pureza no olfato de cereja negra e amora, seguido por especiarias e nota terrosa. Cativa no paladar pela riqueza de sua acidez, frutado vivo, num vinho que não impõe dificuldades. Bom comprimento. Um belíssimo exemplar da casta. Em boca mostra corpo médio, moderadamente tânico e moderadamente fresco, e com um final longo e muito equilibrado, muito agradável.
● Estimativa de Guarda: Beba-o de vez, mas a recomendação é de até 8 anos de guarda.
● Reconhecimentos: GUIA DESCORCHADOS 2014: 94 pontos.
Notas de Harmonização: Vitelo assado com ervas e especiarias; Atum grelhado mal passado na brasa; Rosbife; Queijos delicados. Servir entre 16 a 18°C.

Onde comprar: Em BH - Enoteca Decanter - Rua Fernandes Tourinho, 503 – Funcionários – Belo Horizonte / MG. Telefone: (31) 3287-3618. I ROYAL VINHOS - Loja Cruzeiro - Uma tradicional adega, localizada no Mercado do Cruzeiro. End.: Rua Ouro Fino, 452 - Lojas 22 e 23 / Bairro Cruzeiro - Mercado Distrital – Tel.: (31) 3281-3539 - Belo Horizonte | MG.

PORCUPINE RIDGE SYRAH 2014 – BOEKENHOUTSKLOOF – PAARL - AFRICA DO SUL

● Vinho da Semana 26/2016 - ● PORCUPINE RIDGE SYRAH 2014 – BOEKENHOUTSKLOOF – PAARL - AFRICA DO SUL – Localizado na charmosa região de Franschhoek, de origem francesa, a Boekenhoutskloof produz alguns dos mais fantásticos e estilosos vinhos da África do Sul. Ele é o melhor produtor do país para Robert Parker, que concedeu sua maior nota (93 pontos) para o Boekenhoutskloof Syrah, também um dos preferidos de Jancis Robinson. Ele é um “cruzamento entre o foco e precisão dos Côte-Rôtie e o poder e profundidade dos Hermitage. Surpreendemente elegante e altamente expressivo”. Seu Cabernet Sauvignon também é excelente, “profundo, complexo, extraordinário, lembrando um St. Julien de uma grande safra. Um dos mais finos na África do Sul”, segundo Parker. A marca registrada do talentoso enólogo Marc Kent é a elegância. O fino The Chocolate Block é bastante expressivo, e o nome diz tudo sobre os aromas e sabores a descobrir.
Os vinhos da linha Porcupine Ridge são grandes achados e apresentam uma fantástica relação qualidade/preço, com uma finesse raramente encontrada nesta categoria. O Sauvignon Blanc e o Syrah são especialmente recomendados. O tinto The Wolftrap também é bastante saboroso. Os vinhedos estão situados na área de Franschhoek, no distrito de Paarl, na Coastal Region, na província de Western Cape. O Porcupine Ridge é 100% Syrah, elaborado com vinificação tradicional com controle de temperatura. E fermentação malolática completa. Após a vinificação, matura por 8 meses em barricas de carvalho francês.
● Notas de Degustação: Fantástico "Best Buy", o imbatível Porcupine Rigde Syrah é elaborado pela Boekenhoutskloof, o maior especialista sul-africano nesta variedade. É um dos vinhos favoritos de Jancis Robinson, para quem "é a resposta sul-africana para os Syrah do norte do Rhône". Rico e intenso, estiloso, um vinho na medida certa. Em boca mostra corpo médio, com um final longo e muito equilibrado, muito agradável.
● Estimativa de Guarda: Beba-o de vez, mas tenha em mãos uma segunda garrafa. Entretanto pode ser guardado por mais 2 anos fácil, pois o foco está na fruta.
Notas de Harmonização: para acompanhar carnes de caça, carnes vermelha, massa com codorna desfiada. A codorna com alguns toques adocicados em seu molho vai muito bem com o vinho. Servir entre 17 a 19°C.

Onde comprar: Em BH: MISTRAL - Rua Cláudio Manoel, 723 - Savassi - BH. Tel.: (31) 3115-2100.

ESPORÃO PRIVATE SELECTION BRANCO 2013 – ALENTEJO - PORTUGAL

● Vinho da Semana 26/2016 - ● ESPORÃO PRIVATE SELECTION BRANCO 2013 – ALENTEJO - PORTUGAL –  Este vinho nasce em 2001 com o intuito de desafiar o perfil clássico dos grandes vinhos do Alentejo. Para tal a inusitada casta Semillon plantada em terras do sul é fermentada e maturada em barricas novas de carvalho francês, com o intuito de optimizar o seu potencial. A maturidade da vinha aliada à selecção cuidadosa dos fornecedores de barricas tem vindo a reforçar o registo sólido, rico e complexo deste vinho. A colheita de 2013 caracterizou-se pela Primavera chuvosa seguida de um Verão seco, com temperaturas diurnas elevadas, compensadas por noites frescas, possibilitando a maturação ideal e consistente destas uvas. A geologia do solo é de predominância argilosa, profundos e bem drenados. Ideais para a produção equilibrada, desenvolvimento aromático e conservação da frescura. As uvas chegam à adega durante a manhã quando a temperatura  está mais baixa e são colocadas na prensa pneumática. Os ciclos de prensagens são longos com pressões baixas que permitem extracções cuidadas concebendo um mosto rico.
            A decantação dos mostos é mais curta do que o habitual o que ajuda a manter a complexidade do meio. A fermentação acontece em barricas novas de 550 litros, de carvalho francês, numa cave com temperatura controlada a 18.ºC. O estágio foi feito sobre a borras de fermentação acompanhado por batonnage, para aumentar a integração entre a madeira e o vinho aumentando a cremosidade e profundidade do vinho.
            Todos os anos convidam um artista para ilustrar os seus rótulos, aliando a cultura portuguesa da produção de vinhos à arte. O vinho é feito a partir da Vinha das Palmeiras, na Herdade dos Perdigões (propriedade do Esporão), com exposição noroeste/ sudoeste que proporciona protecção às uvas durante as horas de maior calor, no estio. Criação dos enólogos: David Baverstock e Sandra Alves
● Notas de Degustação: Branco, com aroma de frutas brancas como a pêra e pêssego, com notas de chocolate branco e toques tostados. É um vinho cremoso, elegante e equilibrado. Produzido por uma das maiores vinícolas do Alentejo, a Herdade do Esporão tem muito prestígio em Portugal e em todo o mundo. Vinhos muito bem feitos, que vão desde o estilo moderno aos mais tradicionais portugueses. As uvas do corte são a Antão Vaz, Arinto, Roupeiro, e a Semillon, fundidas com teor Alcoólico 14.5%. O vinho amadurece por 6 meses em barrica de carvalho francês. No palato mostra-se untuoso, rico e elegante, com bom equilíbrio e persistência na boca.
● Estimativa de Guarda: Creio que já está num ótimo momento. Mas pode ser guardado por mais 2 ou 3 anos. A janela de consumo estimada pela Esporão é de 2014-2019.
Notas de Harmonização: Ideal para acompanhar Bacalhau à portuguesa, risoto de frutos do mar, moqueca, truta grelhada com alcaparras, salmão assado. Servir entre 8 e 10°C.

Onde comprar: Importado pela Qualimpor. Em BH – Qualimpor – é representada pelo Antonio Salles –  (31) 9615-2860 / E-mail: sallesmoreira@terra.com.br

MEANDRO DO VALE MEÃO 2013 – DOURO - PORTUGAL

● Vinho da Semana 262016 - ● MEANDRO DO VALE MEÃO 2013 – DOURO - PORTUGAL – Fantástico produtor que, em pouco tempo, se tornou um dos maiores nomes de Portugal. Chamado de “Barca Nova”, pois é produzido com uvas dos ótimos vinhedos que produziam o Barca Velha. Recentemente, foi considerado pela Revista de Vinhos como o melhor vinho tinto de Portugal, em uma prova na qual participaram 27 dos maiores tintos lusitanos. O Quinta do Vale Meão também merece as mais altas notas da Wine Spectator para vinhos portugueses como os 97 pontos para a safra 2004 e os 95 pontos para 2003, entre as mais altas notas para vinhos tintos do mundo. Raro e disputadíssimo, é um ícone de minúscula produção.
A diversidade do solo nos vinhedos da Quinta do Vale Meão proporciona elevada variabilidade de terroirs, garantindo complexidade aos vinhos elaborados com uvas que são cultivadas em xisto, granito e aluvião.
            Revitalizando a Adega dos Novos e a Adega da Barca velha, a Quinta do Vale Meão foi capaz de unir as novas técnicas de produção aos modelos tradicionais da vitivinicultura. A Adega da Barca Velha, por exemplo, ganhou novos equipamentos, mas permanece como a casa dedicada ao armazenamento dos reputados Vinhos do Porto.
            A Quinta do Vale Meão elabora 3 tipos de vinhos tintos, os vinhos de corte Meandro Tinto e Quinta do Vale Meão e o vinho varietal “Monte Meão - Touriga Nacional”. Além disso o produtor elabora também o vinho de corte Meandro Branco, que é produzido com as uvas Arinto e Rabigato, em iguais proporções.
            O vinho do porto desse produtor é o “Quinta do Vale Meão Porto Vintage”, que leva pelo menos 5 tipos de uva em sua composição. Esse vinho é colorido e intenso, com bom envelhecimento apresentará notas de frutas frescas. 
            O profundo e intenso Meandro é grande destaque do produtor, de classe e estirpe inacreditáveis para sua faixa de preço. Recebeu nada menos que 92 pontos da revista Wine Spectator, que definiu o exemplar como “refinado e poderoso”. Rico e sedutor, em um estilo muito complexo, é o segundo vinho da cultuada Quinta do Vale Meão, e está entre os melhores de Portugal, segundo boa parte da crítica especializada. As castas portuguesas que compõem o blend (Touriga Nacional, Tinta Roriz, Touriga Franca e outras) são cultivadas nos vinhedos mais aclamados do Douro para tintos (os mesmos que produzem o Meão e que costumavam produzir o mítico Barca Velha), e vinificadas separadamente. Um tinto de fantástica relação qualidade/preço, que está sempre conquistando ótimas notas.
● Notas de Degustação: cor rubi intensa. Aromas de frutas vermelhas e negras maduras, especiaria de pimenta do reino, café chocolate e tabaco. Na boca, os taninos estão macios e com o carvalho muito bem integrado, dando espaço para as frutas maduras aparecerem. Um vinho que agrada consumidores que gostam de vinhos redondos e diretos no paladar. Paladar rico, com taninos volumosos, macios e bem constituídos, acidez evidente e um aporte de madeira bem integrado ao conjunto. O final agradável com boa persistência.
● Estimativa de Guarda: Beba-o de vez, mas pode ser guardado fácil por 5 anos.
● Reconhecimentos: A safra 2012 obteve 90 pontos de Robert Parker. A de 2013 obteve 93 Wine Enthusiast.
Notas de Harmonização: Um vinho que combina bem com os queijos fortes, com sabores profundos de chocolate amargo, café, figo turco, é um vinho perfeito para se beber com um assado na refeição principal, como uma paleta de Cordeiro, com molho redução de balsâmico e vinho do porto e acompanhado de risoto de açafrão ficará ótimo também. Servir entre 16 e 18 °C.

Onde comprar: Em BH: MISTRAL - Rua Cláudio Manoel, 723 - Savassi - BH. Tel.: (31) 3115-2100.

domingo, 26 de junho de 2016

DEZ RÓTULOS SUL-AMERICANOS PREMIADOS NO DECANTER WORLD WINE AWARDS – DWWA 2016

DEZ RÓTULOS SUL-AMERICANOS PREMIADOS NO DECANTER WORLD WINE AWARDS – DWWA 2016

A seguir os dez rótulos Sul-americanos premiados no Decanter World Wine Awards – 2016:

O concurso Decanter World Wine Awards 2016 gozou de ampla divulgação na mídia especializada brasileira em razão de três vinhos brasileiros terem obtido (pela primeira vez) uma medalha de ouro nesse concurso – Casa Valduga Leopoldina Chardonnay 2015, Casa Valduga Terroir Leopoldina Merlot 2012 e Guaspari Vista do Chá Syrah 2012. Além dos três nacionais citados, o painel foi composto por dois vinhos chilenos, os brancos Leyda Sauvignon Blanc Garuma 2015 (Grand Cru) e o Errazuriz Chardonnay Aconcagua Costa 2014 (Vinci); o belo uruguaio Garzon Tannat 2014 (World Wine), da região de Maldonado, nas cercanias de Punta del Este; e quatro argentinos, a saber: Zorzal Eggo Cabernet Franc 2015 (Grand Cru), Viña Cobos Bramare Rebon Vineyard Malbec 2013 (Grand Cru), Catena Nicasia Vineyard Malbec 2011 (Mistral) e Andeluna Pasionado Cuatro Cepas 2012 (World Wine).

Fonte: Jorge Lucki/Valor Econômico

Eataly promove feira de vinhos com produtores

Eataly promove feira de vinhos com produtores

O famoso mercado de produtos italianos abre pela primeira vez espaço entre as prateleiras para produtores apresentarem seus vinhos
0
23 junho 2016 | 20:05por Redação Paladar
Masi, Antinori, Falesco e Guaspari são alguns dos produtores que, ao lado de importadoras como Mistral, Vinci e Decanter, vão participar da primeira feira de vinhos do Eataly.
Nos dias 24, 25 e 26 de junho, o mercado vai abrir espaço entre as prateleiras do piso térreo para abrigar as barracas dos expositores, que irão apresentar seus vinhos, todos italianos - com exceção da vinícola paulista Guaspari, de Espírito Santo do Pinhal, pioneira na produção de vinhos na região e que já ganhou destaque entre os melhores produtores brasileiros. 
Para participar da feira e provar os vinhos, basta comprar umas das três opções de degustação: o pacote Completo (R$ 90) dá direito a provar os vinhos de todos os stands mais uma ficha para um vinho premium; com o Simples (R$ 50) você pode degustar até oito rótulos simples. Ainda pode-se pagar R$ 40 por uma taça extra de algum dos grandes vinhos presentes na feira. Para os que se interessarem em levar os vinhos provados, haverá a dedução do valor do ingresso pago no valor final da compra. 
Saem as prateleiras entram os vinhos.
Saem as prateleiras entram os vinhos. Foto: Riccardo Bucchino

SERVIÇO 

FESTA DEL VINHO EATALY
Onde: Eataly - Av. Pres. Juscelino Kubitschek, 1489 - Vila Nova Conceição
Quando: dias 24 (17h/22h), 25 (15h/22h) e 26 (15h/20h) de junho 
Quanto: R$ 40, R$ 50 ou R$ 90

segunda-feira, 20 de junho de 2016

XVII ENCONTRO DO FÓRUM ENOLÓGICO DA ACADEMIA DO VINHO “VAMOS A MONTANHA DE.... GARIBALDI”. 4 a 7 AGO 2016.

XVII ENCONTRO DO FÓRUM ENOLÓGICO DA ACADEMIA DO VINHO
“VAMOS A MONTANHA DE.... GARIBALDI”. 4 a 7 AGO 2016.
Para mais informações: http://goo.gl/btJQzo
Zênithe Travelclub - (31) 3225-7773, ou german@zenithe.tur.br com Germán Alarcón

VAMOS AS ... MISSÕES JESUÍTICAS DOS GUARANIS

Programa com inicio no dia 7 AGO em Garibaldi, como Extensão Opcional ao XVII Encontro do Fórum Enológico da Academia do Vinho, o “VAMOS A MONTANHA DE .... GARIBALI” (VAM 2016) na
“Serra Gaúcha” do 4 a 7 AGO.

Para mais informações: http://goo.gl/jd0KYM

CURSO DE INFORMAÇÃO BÁSICA DE VINHOS

● 22 e 29.JUN.2016 – 4ª.feiras – 20:00 hs – BH / CURSO DE INFORMAÇÃO BÁSICA DE VINHOS - Uma verdadeira viagem enogastronômica e histórica, conduzida pelos aromas e sabores do vinho, onde o roteiro tem início e não tem ponto para terminar!. Descomplicando o tema, o curso desenvolve os sentidos para a degustação com mais propriedade das características do vinho. Duas aulas sobre a história do vinho, os principais países produtores e as uvas mais emblemáticas. Aprenda a degustar corretamente o vinho, descrevê-lo, armazená-lo, escolher a taça correta e a interpretar rótulos de forma simples e descomplicada. No Curso Básico de Informações de Vinhos você fará um passeio pelos países produtores mais importantes, conhecerá as características de cada variedade de uva, tipos de taças, as rolhas, temperatura ideal de armazenamento e consumo, aprenderá a decifrar os diferentes rótulos, e fará uma introdução à harmonização entre vinhos e comidas. Assuntos desenvolvidos: História do Vinho, Principais Castas Viníferas e Uvas, O Vinho e sua Elaboração, Tipos de Vinhos (brancos, tintos, rosés, espumantes e fortificados). O Enólogo, o Sommelier e o Enófilo. Análise Sensorial do Vinho: Avaliação Visual, Avaliação Olfativa, Avaliação Gustativa, Avaliação Global. Técnicas e Tipos de Degustações. Guarda e Serviço do Vinho. Acessórios do Vinho. Formação de Adegas. Harmonizações de Vinho e Comida. Principais Regiões Produtoras. Degustações Orientadas. Críticos, Guias, Revistas de Vinhos e Notas de Críticos. Ficha de Avaliação - SOMENTE 12 VAGAS. Reservas pelo Tels.: 98839-3341 (Márcio Oliveira).  Valor Individual: R$ 400,00 (pode ser pago de 2 vezes) - Local: Rua Dominicanos, nº 165- SL.605 - Serra - Belo Horizonte. Horário: 20:00 horas. O Participante do Curso recebe a apostila “ ABC DA DEGUSTAÇÃO DE VINHOS ” e degusta no mínimo 12 vinhos diferentes (mínimo de 6 rótulos a cada Encontro). Datas e programas passíveis de alteração. Os eventos de Vinhos do Márcio Oliveira são para maiores de 18 anos. 

CONVIVIUM SBAVMG – CELEBRANDO O INVERNO E REVENDO AMIGOS

● 24.JUN.2016 – 6ª-Feira – 20:00hs – CONVIVIUM SBAVMG – CELEBRANDO O INVERNO E REVENDO AMIGOS – Oportunidade para aproveitar o convívio com amigos, associados, e compartilhar uma taça de vinho e uma boa conversa no SARGAS Restaurante - A escolha do nome foi por conta da estrela SARGAS, uma integrante da Constelação de Escorpião, uma vez que todo o amplo universo astronômico está presente no contexto dos espaços do MERCURE Horel Lourdes. Com recente projeto de reforma assinado pelos arquitetos Gabriel de Castro, Marcos Franchini e Pedro Haruf, o restaurante tem espaços amplos e bem definidos para Cafeteria, Bar, e Salão de Restaurante. A cozinha apresenta ênfase na harmonização de vinhos com uma gastronomia internacional contemporânea, com releitura de pratos clássicos e introdução e valorização de ingredientes regionais com consultoria de Samira Lyrio (Restaurante Flores). O cardápio do Jantar Convivium foi cuidadosamente elaborado, com o seguinte 
Menu – 
ENTRADAS NA SUA ESCOLHA: Carpaccio de Mozarela de Búfala, Creme de Leite, Limão Siciliano, Pimenta dedo de moça e Manjericão, ou Brandade de Bacalhau I 
PRATO PRINCIPAL NA SUA ESCOLHA: Badejo, Vagem Rasteira, Molho de Tamarindo e Castanha de Caju, ou Bife Chorizo Angus, Palmito Pupunha, Salsa Verde e Farofa de Manjericão I SOBREMESA NA SUA ESCOLHA: Banofee Pie: Torta com banana, Doce de Leite, Creme Batido e Avelã, ou Terrine de Chocolate.
Incluso: Água, Café, Nespresso ou Chá. Valor Individual: R$ 142,00 (incluso o Menu, Água, Café, Espumante de Recepção). 
TRAGA SEU VINHO COM O TEMA DE “CELEBRANDO O INVERNO” PARA COMPARTILHAR COM OS AMIGOS. Valor mínimo do Vinho Individual: R$ 50,00/garrafa. 
End: SARGAS Restaurante - Mercure Hotel BH Lourdes I Endereço: Av. do Contorno, 7315 – Lourdes – BH MG I Tel. (31) 3298-4142 ou 3298-4150. Inscrições pelo E-mail do Domingos Sávio Mendes: domingossaviomendes@gmail.com I Marcos Calmon: marcoscalmon@uol.com.br ou Márcio Oliveira: molivierbh@gmail.com .
Por favor informe suas opções de cardápio no momento da inscrição.     

DEZ CASAS QUE ACEITAM SEU VINHO E COBRAM ROLHA DE ATÉ R$ 35

● DEZ CASAS QUE ACEITAM SEU VINHO E COBRAM ROLHA DE ATÉ R$ 35 - Aqui seu vinho é bem-vindo: veja dez casas que aceitam sua garrafa e que cobram taxa rolha de até R$ 35; confira também dicas de uvas para harmonizar com os carros-chefes dos estabelecimentos.
● Arturito - Taxa de rolha: não há / A casa da argentina Paola Carosella é totalmente aberta a quem quer levar sua garrafa. Para harmonizar com o polvo na chapa, servido com feijão manteiguinha e aïoli picante (R$ 76), priorize vinhos sémillon da Austrália ou da África do Sul. R. Arthur Azevedo, 542, Cerqueira César, tel. 3063-4951. Seg.: 19h às 23h30. Ter. a sex.: 12h às 15h e 19h às 23h30. Sáb.: 12h30 às 16h e 19h às 23h30. Dom.: 12h30 às 16h.
● Bistrot de Paris - Taxa de rolha: grátis na 1ª garrafa / O carro-chefe do restaurante francês é o boeuf bourguignon (R$ 52), braseado ao vinho tinto com cenoura, cebola, champinhom, bacon e purê de batata. O prato cai bem com um pinot noir chileno ou da Nova Zelândia. Villa San Pietro - r.Augusta, 2.542, Cerqueira César, tel. 3063-1675. Ter. a qui.: 12h às 15h e 19h às 23h30. Sex.: 12h às 15h e 19h às 24h. Sáb.: 12h às 16h e 19h às 24h. Dom.: 12h às 15h30.
● Esquina Mocotó - Taxa de rolha: R$ 20 / No menu de Rodrigo Oliveira, o destaque é a carne de sol curada artesanalmente, servida com baião de dois (R$ 56,90). Harmoniza com vinho laranja —tecnicamente, é um vinho branco de maceração prolongada, feito com as casas da uva, o que lhe confere a coloração dourada. Av. Nsa. Sra. do Loreto, 1.108, Vila Medeiros, tel.2949-7049. Ter. a sex.: 12h às 15h e 19h30 às 23h. Sáb.: 12h às 17h e 19h30 às 23h. Dom.: 12h às 17h.
● Le Jazz Brasserie - Taxa de rolha: R$ 30 / Para acompanhar o L’Entrecôte do restaurante francês (R$ 59,50) —um steak grelhado, servido com batatas fritas, salada verde e molho da casa—, vale apostar num vinho carménère chileno. R. dos Pinheiros, 254, Pinheiros, tel.2359-8141. Seg. a qui.: 12h às 24h. Sex.: 12h à 1h. Sáb.: 12h30 à 1h. Dom.: 12h30 às 24h.
● Margot Bistrô - Taxa de rolha: R$ 35, grátis às quartas / O restaurante de cozinha variada sugere o jarret de cordeiro (R$ 75) acompanhado de minilegumes e servido com redução de romã e farofa de brioche. Para beber, aposte em um vinho tempranillo. R. Antônio de Macedo Soares, 1.683, Campo Belo, tel.2309-9515. Qua. a sex.: 18h às 24h. Sáb.: 12h às 16h e 18h às 24h. Dom.: 12h às 17h.
● Mestiço - Taxa de rolha: não há / A casa da chef e proprietária Ina de Abreu serve, entre outros pratos, o steak de filé-mignon ao molho de vinho branco com champinhons, aspargos e batatas grelhadas (R$ 81), que pode ser harmonizado com um merlot da serra gaúcha. R. Fernando de Albuquerque, 277, Consolação, tel. 3256-3165. Seg. a qua. e dom.: 11h45 às 24h. Qui.: 11h45 à 1h. Sex. e sáb.: 11h45 às 2h.
● Micaela - Taxa de rolha: não há / Para acompanhar o picadinho de carne bovina (R$ 50) do restaurante, servido com arroz cremoso de queijo da serra da Canastra, chips de mandioquinha e farofa caipira, procure levar um vinho syrah da Austrália ou um tinto alentejano. R. José Maria Lisboa, 228, Jardim Paulista, tel. 3473-6849. Seg. a sex.: 12h às 15h30 e 19h às 23h. Sáb.: 12h às 16h30 e 19h às 23h. Menu-executivo: R$ 39 (almoço de seg.a sex., exceto feriados).
● Oui - Taxa de rolha: R$ 30 / Quando visitar o bistrô francês, peça o peixe do dia (R$ 59), que é servido com alho-poró e batata defumada. Para beber, priorize um vinho riesling da Alsácia ou da Alemanha. R. Vupabussu, 71, Pinheiros, tel. 3360-4491. Ter. a qui.: 12h às 15h e 19h30 às 23h30. Sex.: 12h às 15h e 19h30 às 24h. Sáb.: 12h às 16h e 19h30 às 24h. Dom.: 12h às 16h. Menu-executivo: R$ 49 (almoço de ter. a sáb., exceto feriados).
● Silo Forneria - Taxa de rolha: R$ 30 / Com menu assinado por Marc Le Dantec, a casa destaca receitas preparadas no forno a lenha - prove o pargo ou vermelho sobre arroz à espanhola (feito com alho, tomate e pimentão, R$ 56), e acompanhe o prato com uma taça de sauvignon blanc do Chile ou da Nova Zelândia. R. Diogo Jácome, 360, Vila Nova Conceição, tel. 3044-7323. Ter. a qui.: 12h às 15h30 e 18h30 às 23h30. Sex. e sáb.: 12h às 16h30 e 18h30 às 23h30. Dom.: 12h às 16h30 e 18h30 às 22h30.

● Via Castelli - Taxa de rolha: R$ 30 / O restaurante de menu eclético tem como carro-chefe as carnes —vale pedir o bife de tira servido com batata assada (R$ 93). Para harmonizar, a sugestão é levar um cabernet sauvignon do Chile. R. Martinico Prado, 341, Vila Buarque, tel. 3662-2999. Seg. a sex.: 11h30 às 15h30 e 18h à 0h30. Sáb. e dom.: 11h30 à 0h30. Obs.: Nelson Luiz Pereira, diretor-executivo da ABS (Associação Brasileira de Sommeliers) e autor do blog Vinho Sem Segredo, fez a indicação das uvas e procedências que melhor harmonizam com os pratos sugeridos nesta matéria. (Fonte – FOLHA DE SÃO PAULO -  MARIANA AGUNZI – 17/06/2016).