sábado, 24 de outubro de 2015

ITALIA ULTRAPASSA FRANÇA COMO MAIOR PRODUTOR DE VINHO EM 2015

ITALIA ULTRAPASSA FRANÇA COMO MAIOR PRODUTOR DE VINHO EM 2015
Bom tempo e colheita precoce possibilitaram aumento de 13% na produção de vinho italiano. Para comemorar a ótima safra, festas do vinho se multiplicam no país. A economia italiana ganhou um grande, e por que não dizer, delicioso impulso este ano: o país ultrapassou a França como maior produtor mundial de vinho.
O bom tempo ajudou a Itália a voar mais alto. O ano de 2015 poderá ser lembrado também pela boa safra do vinho italiano. As uvas amadureceram mais cedo e melhor, na segunda colheita mais precoce da história do país desde a Segunda Guerra, o que provocou um aumento de 13% na produção da bebida, que já era consumida na antiguidade. E uma reviravolta numa acirrada disputa: a Itália ultrapassou a França e voltou a ser o maior produtor mundial de vinho. Segundo a Comissão Europeia, foram 4,8 bilhões de garrafas italianas, contra 4,6 bilhões de francesas.
E o prosecco está sendo mais premiado do que o refinado champanhe. Em 2014, os italianos abriram 320 milhões de garrafas de seu vinho branco, espumante; os franceses, 307 milhões.
O representante da Confederação Nacional dos Agricultores, Domenico Bosco explica que a Itália renovou muitos vinhedos e que continua investindo muito no seu maior produto agrícola. Profundamente ligado ao território, o vinho italiano é responsável pelo maior faturamento nas exportações da nação, com cinco bilhões de euros por ano.
E, para comemorar a ótima safra, as festas do vinho se multiplicam pela Itália, juntando tradição e diversão, como na corrida que associa, desde a Idade Média, a resistência dos tonéis à qualidade do vinho.

A CROÁCIA, SUAS UVAS E VINHOS – PARTE III

“A CROÁCIA, SUAS UVAS E VINHOS – PARTE III “ No Roteiro de Vinhos pela Croácia visitamos as seguintes vinícolas:

VINARIJA MILOŠ. Enólogo: Frano Miloš. A vinícola fica na região Costa Croata (Primorska Hrvatska). Sub-região Dalmácia – Costa Sul, na cidade de Ston, na bela  Península de Pelješac. Para contatos - Tel: (00xx385) (0)20 753 098/ www.milos.hr
Seria nossa primeira visita guiada, seguida de Degustações, onde poderíamos saber mais informações sobre os vinhos da uva Plavac Mali, a mais emblemâtica da Croácia, sendo toda a produção deste viticultor exclusivamente a baseada nesta casta, a uva considerada a ancestral da Primitivo na vizinha Púglia no outro lado do Mar Adriático e da Zinfadel da Califórnia. Além de vinhos produzem azeites de qualidade AOVE (Azeite de Oliva Virgem Extra) com castas como a Oblica, a variedade mais antiga da Croácia e a Pastrica.
O produtor croata Miloš cultiva apenas a uva Plavac Mali, fazendo uso de leveduras naturais da fruta para a produção de seus vinhos finos. A fermentação é controlada a partir de uma colheita cuidadosa de uvas maduras, e não por quaisquer aditivos químicos ou controle da temperatura no período da maceração e fermentação. A temperatura fria, natural da adega em pedra é suficiente para manter a evolução da fermentação em boas condições e obter belos vinhos que depois serão envelhecidos em tonéis de carvalho eslavo.

O nome no rótulo, Stagnum, reflete a longa história de na península vitícola de Pelješac. É o nome que os antigos colonizadores romanos deram à sua cidade, estrategicamente localizada onde a península se encontra com o continente. Os romanos ali instalaram campos e vinhedos. Há algumas ruínas das defesas em muros de pedra ao redor da cidade de Ston construídos nos tempos medievais, indo até a encosta em formação de duplo para impedir aos moradores locais do acesso as salinas valiosas de Dubrovnik.
• Vinhos e Azeite degustados: -Stagnum Rose 2014. 14,4 % / -Stagmun Vintage 2006. 15% / -Stagmun Vintage 2003. 14,6% / -Stagmun Dessert (de Sobremesa). 2007 15,9 %
-Aceite de Oliva 80% Oblica e 20% Pastrica.
 O Stagnum Rosé, que é um rosé seco muito agradável no estilo provençal, com cor bastante intensa, mas menos do que para um Plavac tinto. Os aromas são de frutas frescas vermelhas e o vinho tem sabores de maçã e notas minerais. Impressiona pela qualidade. O design dos rótulos é minimalista, elegante, claro e legível
O vinho Plavac é o básico, um vinho para o dia-a-dia, e para muitos críticos que o conhecem, consideram-no melhor que a maioria dos vinhos de base de produtores de outros países mais consagrados. Produzido a partir das vinhas mais jovens, este vinho ainda é envelhecido por um par de anos em barricas de carvalho. Tem notas de pimenta e especiarias, com frutas vermelhas e ervas aromáticas contra um fundo de toques minerais.
Evoluindo sobre a linha de produção, veio o Stagnum Vintage 2006, feito a partir de vinhas mais velhas (acima de 30 anos), e envelhecido durante 4 anos entre barricas e garrafa, antes de ir ao mercado. Um vinho mais complexo e totalmente macio em boca. O vinho tem profundidade e caráter com requinte de um Plavac clássico, agrada muito em degustações, e muitas vezes é considerado o melhor vinho degustado na Vinícola. A tanicidade (de certa forma lembrou o Tannat) mostra que é um vinho para deixar na adega, que apesar dos 9 anos de guarda, não mostra sinais de “cansaço”. O Stagnum Vintage 2003 tem perfil semelhante, mas neste caso os 3 anos em guarda “amaciaram” os taninos.
O Stagnum de Sobremesa é tradicionalmente feito com uvas passificadas e envelhecimento durante anos no barril na forma de um dálmata Prosek. Lembram vinhos como o italiano Vin Santo. Boca muito saborosa, especialmente quando provado com queijo gorgonzola cremoso. Acompanhará bem bolos doces e tortas de frutas amarelas e Tarte Tatin.

TOMIĆ BASTIJANA. Enólogo: Andro Tomić. Vinícola na região da Costa Croata (Primorska Hrvatska). Sub-região Dalmácia – Costa Sul, em Jelsa. Bahia de Mina. Ilha Hvar. Contatos: Tel: (00xx385) (0)21 768 160 / (0)91 763 0988. www.bastijana.hr
A Bastijana é uma vinícola boutique na Ilha de Havr, fundada por Andro Tomic com o principal objetivo de produzir vinhos de alta qualidade e promover a cultura do vinho na Croácia. Seu vinhedo é considerado por muitos o melhor da Dalmácia Central e seus vinhos são bem conhecidos nos Estados Unidos.
A nova adega está situada em Jelsa, uma pequena cidade costeira com uma longa tradição vinícola. Produz entre 130.000 e 150.000 garrafas por ano e, ao lado de membros da família Tomić, dez outras pessoas da ilha de Hvar trabalham para conseguir estes resultados.
Cultivam castas autóctones e experimentam vinificações com uvas clássicas como a Cabernet Sauvignon. Buscam melhorias contínuas na produção de vinhos tintos, brancos e rosés com tecnologias modernas. Produzem também o Prosek - o vinho do deserto dálmata, feito a partir de uvas selecionadas e secas das melhores variedades locais de qualidade fina.
Sua Sala de Degustação tem um detalhe interessante – entalhada em pedra abaixo da adega e modelada como as antigas salas de jantar romanas.



Sobre os vinhos degustados:
Belega. Produzido a partir de duas variedades autóctones, a Posip e a Bognusa como 50% de proporção de cada uma. De 12,5 a13 %, seu nome quer dizer »Beleza« em croata. Originalmente de Korčula, a uva Pošip firmou raízes em Hvar, e tornou-se recentemente em uma uva popular na cena internacional. A Bogdanuša é outra uva autóctone, planta em solos vermelhos (ricos em ferro) que resultam num vinho refrescante no paladar, criando ótimo corte com a Posip. Nesta sinergia cada uva dá seu melhor – a Pošip fornece força, aromas de frutas típicas como damasco e pêssego, notas florais e minerais, enquanto a Bogdanuša fornece sutis aromas florais e frescor ao vinho.
Homenagem a uma videira de 150 anos.

Plavac. 100% Plavac Mali. De 12,5 a 13,5 % - Como uma das variedades com mais longo período vegetativo para maturação, a Plavac demanda dias quentes e ensolarados, o que é bem comum em Hvar. Resulta num vinho de qualidade que ressalta a suavidade e elegância, com aromas terrosos, de ameixa, amoras com notas de carvalho fornecidas pelo afinamento em barricas, acrescidas de café e especiarias.
Caplar. Corte de Plavac Mali e Cabernet Sauvignon com 50% cada uma. De 14 a 14,5 % - A Plavac Mali cresce nos morros ao sul de Hvar, enquanto a Cabernet vem de vinhedos plantados no lado norte da ilha. As vinificações são feitas em separado e o corte é feito depois de passarem 6 meses em barricas de carvalho. O vinho final tem taninos macios, com intensidade de aromas da Plavac refinados pela elegância e frescor da Cabernet. O paladar mostra ameixa, uvas secas, terroso, complementados com nota de amora e especiarias em camadas. É o vinho com maior potencial de guarda feito com a Plavac Mali. Cada rótulo tem a assinatura do autor com o lábaro: "Produzido em colaboração entre Hvar, amor e conhecimento."
Prosec Hectorivich. Vinho doce a partir de corte de Bogdanusa, Marastina, Prc e Muscato Amarello. De 15 a 16% - Similar ao italiano Vin Santo e outros vinhos doces do Mediterrâeo, o Prošek tem, origem nas costas da Dalmácia e Istria (as duas únicas regiões onde ainda é feito). Produzido de forma tradicional,o Prošek Hektorovich é resultado de uma colheita de uvas passificadas misturadas com uvas maturadas, cultivadas em áreas especificas e secadas sobre esteiras de palha por pelo menos um mês, com doçura irresistível, aromas de uvas passas, e compota. Há uma versão branca (que provamos) e uma tinta.

MENEGHETTI VINA. Enologos: Walter Filiputti e  Miho Glavić Vinícola na região Costa Croata (Primorska Hrvatska). Sub-região Península de Istria - Costa Norte, localizada na cidade de Bale. Península Istria. Croácia. Contatos: Tel: (00xx385) (0)52 528 116.
 A Vina Meneghetti é um símbolo da filosofia onde a qualidade de vida está em harmonia com a natureza que a envolve e protege. Neste país, tão diferente em sua beleza e tão bonito em sua diversidade, no abrigo de seu ambiente natural estão os seus principais produtos, vinho de alta qualidade e azeite de oliva, produzidos numa propriedade que faz parte do refinado grupo Relais&Chateau. O potencial deste terroir particular, localizado perto do mar e imerso em aromas, em frente às Ilhas Brijuni, cercado pelas macchia Mediterrâneas (matagais típicos com presença de arbustos como o alecrim), olivais e vinhas, apenas 2 km de distância da costa de mar. Atualmente tem 10 hectares de vinhas em dois locais ao redor posição Stancija Meneghetti Val Gambalera Bale e posição Kršin-Ferne perto de Buja, estando em curso o plantio de novos vinhedos num total de 25 hectares. O solo vermelho (terra rossa) da região de Stancija Meneghetti Val Gambalera Bale é um solo pobre de maneira geral, mas rico em ferro, o que lhe dá não só um tom específico de vermelho intenso, mas também uma importância única de longevidade. A terra vermelha inala o ar do mar, o cheiro dos matagais do Mediterrâneo nas imediações e para o ambiente, e é adequado para castas tintas.
Na região de Kršin-Ferne perto de Buja, o solo é composto de marga do período Eoceno, onde está a origem dos vinhos brancos da vinícola. Esta parte do solo da Ístria é característica de cinza e branco na cor devido à elevada percentagem de argila, e é adequado para as castas brancas que dão um vinho único de sabor excepcional e elegância olfativa.
As vinhas são cultivadas de forma sustentável, com um profundo respeito pela natureza. A poda é feita sempre de lado, a fim de manter a planta como uma de idade avançada;

 Fomos alegremente recebidos com o excelente espumante Meneghetti Classic, feito a partir de um corte de Chardonnay com Malvasia. Em seguida provamos o seu branco Malvasija. 2013, feito com 100% Malvasija Dubrovočka e teor de 13,8%, que não tem nada a ver com os malvasias que conhecemos. Muito fresco e mineral e que de certa froma me lembrou vinhos da Sauvignon Blanc. Depois provamos o Rosé feito 100% a partir da Syrah, com notas de frutas vermelhas e fundo mineral, muito fresco em boca. Por último, durante a visita a adega, provamos o Syrah. 2013, um tinto jovem, na minha opinião, excelente opção para o dia a dia.


Durante o almoço provamos um delicioso Malvasia e um Chardonnay no melhor estilo da Borgonha e seu Tinto, no estilo de Bordeaux, com corte de 80% Merlot, 15% Sauvignon, 5% Cabernet Franc numa mistura sedutora foi decantado num serviço de vinho primoroso e alto profissionalismo. Após maceração em aço inoxidável, o vinho é envelhecido em carvalho francês e americano, e passa dois anos em garrafas. No paladar é elegante, macio, equilibrado, com um longo e complexo sabor residual. 

É, provavelmente, o melhor vinho tinto da Ístria que está atualmente no mercado e um dos melhores vinhos tintos croatas em geral. Um vinho em que todos os ingredientes estão em relações perfeitas: nenhum deles aparece para perturbar a harmonia do vinho, e nenhum ingrediente importante está faltando. Por fim, sobremesa e café com Cognac croata. 

Na semana que vem falaremos sobre as vinícolas da Eslovênia e seus vinhos.

DE MARTINO QUEBRADA SECA CHARDONNAY SINGLE VINEYARD 2012 – VALLE DEL LIMARI - CHILE

Vinho da Semana 43/2015 ● DE MARTINO QUEBRADA SECA CHARDONNAY SINGLE VINEYARD 2012 – VALLE DEL LIMARI - CHILE – A De Martino, vinícola fundada em 1934, hoje na quarta geração, tem vinhedos por todo Chile, já que busca o lugar mais apropriado para cada variedade.  Tem vinhedos de Cabernet Sauvignon em Cachapoal, de Chardonnay no vale de Limari, Cinsault e Moscatel no vale de Itata e Syrah em Choapa. E são deles os mais altos vinhedos chilenos, em Elqui, de onde vem seu Syrah e Petit Verdot. Desde 2011 a De Martino, tendo à frente o enólogo Marcelo Retamal, a vinícola busca produzir vinhos de expressão e deixar de lado a padronização que vem sendo dada aos vinhos em geral pelo mundo.
Retamal chamou a atenção para o "vinho natural" e revolta-se contra a maquiagem dos produtos. Reclamou da utilização de leveduras cultivadas, que ajudam a definir o estilo de um vinho: "Você quer um vinho com aromas cítricos, use a levedura A; prefere aromas florais, use a levedura B...". Abandonou-as, em definitivo, para a elaboração de seus vinhos, deixando a natureza fazer seu trabalho.
            A utilização excessiva da madeira também é condenada, pois Marcelo a considera uma intervenção inaceitável. E em seu estilo, o uso de barricas fica limitado àquelas que já tenham muita quilometragem ou aos grandes tonéis usados de 5.000 litros. A mudança foi significativa: nada de ácido tartárico (para dar acidez às uvas super maduras), nada de leveduras selecionadas adquiridas no mercado, nada de barricas novas para os tintos, uso das leveduras nativas e foudres (tonéis de grande cacapcidade) para os vinhos tops. A De Martino faz hoje vinhos de Novo Mundo no estilo Velho Mundo, onde temos vinhos elegantes, finos, frescos e gastronômicos. Uma vinícola sutil, na palavra do crítico britânico Hugh Johnson em seu Pocket Wine Book 2013. Não é a toa que foi eleita a melhor vinícola do Chile, em 2011. A De Martino, soube se reinventar e define seu estilo de vinhos como "sentido de lugar, pureza e essência gastronômica". É a elegância derrotando a força.
O Chardonnay Quebrada Seca é produzido no Valle de Limarí – vinhedo de Quebrada Seca, a apenas 19km do mar, recebendo diretamente os efeitos da fria corrente de Humboldt. Características climáticas e do Solo: Geograficamente, o Valle do Limarí corre paralelamente ao rio homônimo, numa zona que fica bastante quente à medida em que se afasta do mar. As precipitações são baixíssimas, não ultrapassando os 100mm anuais, e as amplitudes térmicas diárias grandes, entre 15 e 20°C. O solo corresponde a um antigo terraço aluvial do rio Limarí, marcado num primeiro nível pelo baixo conteúdo de matéria orgânica e altos níveis de carbonato de cálcio, e num segundo nível, argilo-arenoso com gravas (cascalhos), chegando na profundidade a um solo arenoso-argiloso com muitas gravas e grandes rochas. Vinificação: Fermentação do mosto em barricas de carvalho francês com baixos níveis de tostado para respeitar ao máximo a integridade do terroir. Passa 12 meses em barricas de carvalho francês novas. Havendo especial interação do vinhedo com seu entorno tratam-no então como vinho de terroir dotados de uma personalidade única fazendo nesse caso parte da linha conhecida como Single Vineyard.

 ● Notas de Degustação: Cor amarelo palha brilhante, quase esverdeado, com aromas fantásticos de maçã verde e pêra fresca, mineralidade magnifica e notas cítricas revelando boa acidez. Paladar vigoroso, com excelente final de boca, que vai suavizando aos poucos.Um vinho persistente, com excelente acidez, deliciosamente fresco, com notas de frutas secas, baunilha e toque amanteigado da malolática feita. Um branco que não deve faltar em sua adega.
● Guarda: Aguenta fácil entre 8 a 10 anos (com a fruta desenvolvendo complexidade e elegância).
● Reconhecimentos: Guia Descorchados: 95 pontos
Notas de Harmonização: Polvo grelhado servido com tapenade de azeitonas pretas; Linguado defumado sobre purê de mandioquinha; Escalopes de galinha d’angola e sua redução cremosa, finalizada com trufas brancas; Waterzooi (clássico ensopado marinho belga, enriquecido com creme).
Temperatura de Serviço: 8 a 10ºC

Onde comprar: ENOTECA DECANTER - Rua Fernandes Tourinho, 503 – Funcionários – Belo Horizonte / MG. Telefone: (31) 3287-3618. ROYAL VINHOS - Uma tradicional adega, localizada no Mercado do Cruzeiro. End.: Rua Ouro Fino, 452 - Lojas 22 e 23 / Bairro Cruzeiro - Mercado Distrital – Tel.: (31) 3281-3539 - Belo Horizonte | MG.

O VINHO PERFEITO EXISTE, PELO MENOS NO CINEMA

O VINHO PERFEITO EXISTE, PELO MENOS NO CINEMA - O Vinho Perfeito – primeiro filme italiano focado no mundo do vinho. Giovanni Cuttin (Vincenzo Amato) é um pacato funcionário de banco e casado com Adele. Ele descobre os prazeres do vinho por meio de uma figura misteriosa conhecida como “professor”. Em pouco tempo, além de grande ascensão profissional dentro do banco, Giovanni se torna um grande especialista em vinhos. A nova carreira, no entanto, traz ambição (principalmente em relação à compra de vinhos caros) e mulheres sedutoras. 

De repente, há uma reviralvolta em sua vida; até ser colocado sob pressão por um inspetor que o acusa de assassinar a própria mulher. Nesse momento, Giovanni começa a refletir os últimos três anos de sua vida. O interessante de tudo é que o filme mistura comédia (já viu filme italiano sem um traço de comédia?), suspense e é muito bem focado no mundo do vinho. Para os apreciadores da bebida, o filme mostra análises de vinho, leilões, degustações técnicas e principalmente, cenas com vinhos de uvas tipicamente italianas como Teroldego, Nosiola e Marzeminoalém de jóias como o espumante italiano Giulio Ferrari. 

O filme é livremente baseado no romance “Vino Dentro” de Fabio Marcoto (publicado pela Curcu & Genovese), e roteirizado por Schleef Heidrun. A direção é de Ferdinando Vicentini.
www.youtube.com/watch?v=4Vczi1sChXE

DICAS DE ESPUMANTES PARA O SEU FINAL DE ANO SER ESPECIAL

9º CONCURSO DO ESPUMANTE BRASILEIRO PREMIA 80 AMOSTRAS E CINCO RECEBEM A GRANDE MEDALHA DE OURO, 70 DE OURO E 5 DE PRATA - Uma edição emblemática. Assim pode ser definido o 9º Concurso do Espumante Brasileiro, que chega a 2015 com número recorde de amostras inscritas e premiação destaque, novidade do concurso. Realizado pela Associação Brasileira de Enologia (ABE), o evento contou com dois dias de degustações, onde 264 amostras provenientes de 7

0 vinícolas de 10 regiões produtoras do Brasil foram degustadas por 44 enólogos em Garibaldi, a Capital Brasileira do Espumante. A excelência da bebida nacional resultou na premiação de 80 espumantes, sendo cinco Grande Medalha de Ouro (acima de 92 pontos), 70 Ouro (88 a 91 pontos) e cinco Prata (84 a 87 pontos).
            Assim foram escolhidos os vencedores do Destaque Manoel Peterlongo, homenagem ao pioneiro na elaboração de espumantes no Brasil e personagem que dá nome à vinícola que neste ano completa 100 anos.
O sabor brasileiro, a qualidade reconhecida entre especialistas e amantes do espumante foi comprovada na taça pelo júri composto por enólogos, jornalistas e sommeliers. Os 44 degustadores foram divididos em cinco júris, cada um com amostras diferentes. As degustações aconteceram na quarta e quinta-feira (14 e 15), somente na parte da manhã, na Câmara da Indústria e Comércio de Garibaldi (CIC). Os trabalhos seguiram normas da Organização Internacional da Uva e do Vinho (OIV) e da União Internacional de Enólogos (UIOE). Foram premiados os espumantes melhores classificados por categoria, respeitando o limite de 30% dos inscritos.

Confira a Lista dos Espumantes Premiados
MEDALHAS GRANDE OURO:
Cooperativa Vinícola Nova Aliança Ltda - Aliança Espumante Brut - Processo: Charmat
Medalha: Grande Ouro

Sociedade de Bebidas Panizzon Ltda - Panizzon Espumante Chardonnay Brut - Processo: Charmat - Medalha: Grande Ouro

Terrasul Vinhos Finos Ltda - Terrasul Espumante Moscatel - Processo:Moscatel
Medalha: Grande Ouro

Vinícola Don Giovanni - Stravaganzza Espumante Brut - Processo: Tradicional
Medalha: Grande Ouro

Vinícola Galiotto Ltda - Casa Galiotto Espumante Brut - Processo:Charmat
Medalha: Grande Ouro

MEDALHAS OURO:
Aliprandini e Meyer Vinhos Finos Ltda - Aracuri Espumante Aracuri Brut Rosé - Processo: Charmat -Medalha: Ouro

Basso Vinhos e Espumantes Ltda - Espumante Brut Champenoise - Processo:Tradicional
Ouro

Basso Vinhos e Espumantes Ltda - Monte Paschoal Espumante Moscatel - Processo Moscatel
Ouro

Basso Vinhos e Espumantes Ltda - Monte Paschoal Espumante Moscatel Rosé - Processo Moscatel - Ouro

Calza Júnior Ind. Com. de Vinhos Ltda - Calza Espumante Nature - Processo Tradicional- Ouro

Casa Geraldo Vinhos Finos - Casa Geraldo Espumante Prosecco - Processo Charmat - Ouro

Casa Geraldo Vinhos Finos - Casa Geraldo Espumante Brut - Processo Charmat - Ouro

Casa Valduga Vinhos Finos Ltda - Casa Valduga RSV Espumante Blush - Processo Tradicional
Ouro

Cave Antiga Vitivinícola Ltda - Cave Antiga Espumante Moscatel - Processo Moscatel - Ouro

Cia Piagentini - Decima Espumante Prosecco - Processo Charmat - Ouro

Cia Piagentini - Cordon D ́Or Espumante Brut - Processo Charmat = Ouro

Cooperativa Vinícola Aurora Ltda - Aurora Espumante Prosecco - Processo Charmat - Ouro

Cooperativa Vinícola Aurora Ltda -  Marcus James Espumante Brut - Processo Charmat - Ouro

Cooperativa Vinícola Aurora Ltda - Conde de Foucauld Espumante Branco Brut - Processo  - Charmat - Ouro

Cooperativa Vinícola Aurora Ltda - Aurora Procedências Espumante Chardonnay - Processo Charmat - Ouro

Cooperativa Vinícola Aurora Ltda - Saint Germain Espumante Demi-Sec - Processo Charmat - Ouro

Cooperativa Vinícola Aurora Ltda - Aurora Pinto Bandeira Espumante Extra Brut - Processo Tradicional - Ouro

Cooperativa Vinícola Aurora Ltda - Aurora Espumante Moscatel Rosé - Processo Moscatel - Ouro

Cooperativa Vinícola Garibaldi - Garibaldi Espumante Chardonnay - Processo Charmat - Ouro/Destaque

Cooperativa Vinícola Garibaldi - Garibaldi Espumante Prosecco - Processo Charmat - Ouro

Cooperativa Vinícola Garibaldi - Giuseppe Garibaldi Espumante Extra Brut - Processo Charmat - Ouro

Cooperativa Vinícola Garibaldi - Garibaldi Espumante Moscatel Rosé - Processo Moscatel - Ouro

Cooperativa Vinícola São João Ltda - Castellamare Espumante Brut Rosé - Processo Charmat - Ouro/Destaque

Cooperativa Vinícola São João Ltda - Castellamare Espumante Brut - Processo Charmat - Ouro

Cooperativa Vinícola São João Ltda - Castellamare Espumante Moscatel - Processo Moscatel - Ouro

Courmayeur do Brasil Vinhos Ltda - Espumante Courmayeur Brut Prosecco - Processo Charmat - Ouro

Courmayeur do Brasil Vinhos Ltda - Courmayeur Espumante Brut Chardonnay - Processo Charmat - Ouro

Courmayeur do Brasil Vinhos Ltda - Courmayeur Espumante Brut Rosé - Processo Charmat - Ouro

Courmayeur do Brasil Vinhos Ltda - Courmayeur Espumante Moscatel - Processo Moscatel - Ouro

Dal Pizzol Vinhos Finos - Dal Pizzol Espumante Brut Traditionelle - Processo Tradicional - Ouro

Dal Pizzol Vinhos Finos - Dal Pizzol Espumante Nature 40 Anos - Processo Tradicional - Ouro

Domno do Brasil Ind. e Com. de Bebidas Ltda - Ponto Nero Espumante Brut - Processo Charmat – Ouro

Domno do Brasil Ind. e Com. de Bebidas Ltda - Ponto Nero Espumante Brut Rosé - Processo Charmat - Ouro

Don Bonifácio Vinhos Finos Ltda - Quinta Don Bonifácio Espumante Brut Rosé - Processo Charmat - Ouro

Don Bonifácio Vinhos Finos Ltda - Habitat Espumante Brut Rosé 2009 - Processo Tradicional - Ouro

Dunamis Vinhos e Vinhedos - Dunamis Champenoise Espumante Extra Brut - Processo Tradicional - Ouro

Estrelas do Brasil Com. de Vinhos Ltda - Estrelas do Brasil Espumante Brut – Processo Tradicional - Ouro
Famiglia Zanlorenzi Ltda - Lunar Perfetto Prosecco Espumante Brut - Processo Charmat - Ouro

Guatambu Indústria e Comércio de Alimentos - Poesia do Pampa Espumante Brut - Processo Tradicional - Ouro

Guatambu Indústria e Comércio de Alimentos - Guatambu Espumante Nature 2014 - Processo Tradicional - Ouro

Indústria Vinícola La Cantina Ltda - La Cantina Espumante Brut Champenoise - Processo Tradicional - Ouro

José Sozo Vinhos - Sozo Espumante Brut - Processo Charmat - Ouro

Miolo Wine Group Vitivinicultura Ltda - Miolo Cuvée Tradition Espumante Brut 2013 - Processo Tradicional - Ouro

Miolo Wine Group Vitivinicultura Ltda - Íride Miolo 2009 - Processo Tradicional - Ouro

Natural Products Indústria, Comércio e Serviços - Gran Legado Espumante Charmat Branco Brut - Processo Charmat - Ouro

Natural Products Indústria, Comércio e Serviços - Gran Legado Espumante Champenoise Brut
Processo Tradicional - Ouro

Natural Products Indústria, Comércio e Serviços - Gran Legado Espumante Moscatel - Processo Moscatel - Ouro

R.A. Beltrami - Dom Roberto Espumante Moscatel - Processo Moscatel - Ouro

Sociedade de Bebidas Panizzon Ltda - Panizzon Espumante Moscatel - Processo Moscatel - Ouro

Vinhos Monte Reale Ltda - Valdemiz Espumante Brut Rosé - Processo Charmat - Ouro

Vinícola Campestre Ltda - Zanotto Espumante Moscatel – Moscatel - Ouro/Destaque

Vinícola Campos De Cima Ltda - Campos De Cima Espumante Brut - Processo Tradicional - Ouro

Vinícola Campos De Cima Ltda - Campos De Cima Extra Brut - Processo Tradicional - Ouro/Destaque

Vinícola Cave De Pedra Ltda - Cave de Pedra Espumante Brut Denominação de Origem - Processo Tradicional - Ouro

Vinícola Cave De Pedra Ltda - Cave de Pedra Espumante Moscatel - Processo Moscatel - Ouro

Vinícola Don Guerino Ltda - Don Guerino Cuvée Espumante Extra Brut - Processo Charmat - Ouro

Vinícola Galiotto Ltda - Casa Galiotto Espumante Moscatel – Moscatel - Ouro

Vinícola Geisse Ltda - Cave Geisse Espumante Brut Blanc de Blanc - Processo Tradicional - Ouro

Vinícola Geisse Ltda - Cave Amadeu Espumante Brut - Processo Tradicional - Ouro/Destaque

Vinícola Giaretta Ltda - Giaretta Espumante Moscatel - Processo Moscatel - Ouro

Vinícola Maximo Boschi Ltda - Maximo Boschi Espumante Brut Speciale 2009 - Processo Tradicional - Ouro

Vinícola Mioranza Ltda - Riobravo Espumante Brut - Processo Charmat - Ouro

Vinícola Pedrucci Ltda - Casa Pedrucci Espumante Brut Reserva - Processo Tradicional - Ouro

Vinícola Perini Ltda - Casa Perini Espumante Brut Rosé - Processo Charmat - Ouro

Vinícola Perini Ltda - Casa Perini Espumante Prosecco Brut - Processo Charmat - Ouro

Vinícola Perini Ltda - Casa Perini Espumante Demi-Sec - Processo Charmat - Ouro

Vinícola Perini Ltda - Perini Espumante Nature - Processo Tradicional - Ouro

Vinícola Perini Ltda - Casa Perini Aquarela Espumante Moscatel - Processo Moscatel - Ouro

Vinícola Zanella - Villa de Vinhas Espumante Brut - Processo Tradicional - Ouro

Vinícola Zanella - Surrender Espumante Brut - Processo Tradicional - Ouro

MEDALHAS DE PRATA:
Cooperativa Vinícola Aurora Ltda - Marcus James Espumante Demi-Sec - Processo Charmat - Prata

Guatambu Indústria e Comércio de Alimentos - Poesia do Pampa Espumante Demi-Sec 2014 - Processo Tradicional - Prata

Miolo Wine Group Vitivinicultura Ltda - Miolo Cuvée Tradition Espumante Demi-Sec 2014 - Processo Tradicional - Prata

Vinícola Giaretta Ltda - Giaretta Espumante Demi-Sec – Charmat - Prata


Vinícola Salton S.A.- Salton Espumante Demi-Sec - Processo Charmat – Prata (Fonte: ABE).

ROTEIRO DE VINHOS PELA BORGONHA E ALSÁCIA COM UMA PITADA DE JURA

● 16 a 29.MAR.2016 -  "ENOGASTRO BORGONHA E ALSÁCIA COM UMA PITADA DE JURA” - INSCRIÇÕES JÁ ESTÃO ABERTAS – Conhecida pela excelência de seus vinhos, a Borgonha é também considerada a capital gastronômica da França. Notável por sua paisagem, seu patrimônio histórico e arquitetônico medieval são riquíssimos, e a beleza de cidades como, por exemplo, Beaune é inesquecível. Os resquícios do antigo esplendor não são facilmente encontrados quando se viaja pelo interior e o que se vê hoje é a beleza simples e rústica de seus campos e construções. As grandes propriedades não mais existem, deram lugar a pequenos lotes de terra depois que Napoleão realizou a sua reforma agrária, dividindo as propriedades da Igreja. A fragmentação dos vinhedos hoje é tão grande que a média das propriedades é de pouco mais de um hectare. O Clos de Vougeot, por exemplo, conta com mais de 60 proprietários em seus 50 hectares;


A Alsácia produz alguns dos melhores brancos do mundo em diversos estilos, de espumantes a vinhos tranqüilos, de secos a doces deslumbrantes. O curioso é que na Alsácia o refinamento do foie gras e a rusticidade do chucrute integram a lista de iguarias típicas. É uma região onde as pessoas falam francês, mas têm sobrenome alemão. Um lugar de História muito rica, onde dois países, atualmente, se sobrepõem em harmonia, depois de séculos de  guerras, fundindo sabores e estilos arquitetônicos, tradições e aspectos estéticos. Nesse ponto de interseção cultural, para beber, há vinhos produzidos com uvas gaulesas, como a pinot noir, ou com variedades germânicas, como a gewüztraminer, e as cervejas também fazem o maior sucesso. Na fronteira da Suíça e a Borgonha está a pequena região do Jura. Pequena de tamanho, mas grande no seu ímpar vinho, o Vin Jaune ou vinho amarelo, feito com a Savigny em colheita tardia com maior concentração de açúcar elaborando vinhos com nível de álcool em torno de 13 a 15% de teor alcoólico. As uvas são fermentadas de maneira lenta e depois armazenadas em grandes barricas de madeira. A evaporação abre espaço para o oxigênio e os níveis não são repostos, desta maneira há uma lenta e gradual oxidação do vinho que adquire a sua cor amarela e sabor característicos de noz, frutas secas e damasco (lembrando o Jerez). Também é muito interessante o Crémant Du Jura um sparkling rosé em geral um corte de Pinot Noir e Poulsard. Com aromas delicados de cereja, morango e groselha, pena que pouco vem para o Brasil, e você poderá degustá-lo na origem!.

ROTEIRO DO PROGRAMA DE VIAGEM:
1° Dia. 16 MAR 2016. 4ª feira. BRASIL– LISBOA. Voo com saída de Belo Horizonte as  23h05. Voo noturno. Saídas de outras cidades sob consulta.
2° Dia. 17 MAR 2016. 5ª feira. LISBOA – LYON. Chegada em Lyon as 17h40 via Lisboa. Assistência, traslado e acomodação de 1 noite em Lyon no Hotel Globe et Cecil 4*.  
3° Dia. 18 MAR 2016. 6ª feira. LYON - FUISSÉ – CLUNY – BEAUNE. Mâconnais. Visita com degustação no Château de Beauregard da AOC Pouilly-Fuissé. ALMOÇO harmonizado no “L’O des Vignes” do Chef Sebastién Chambru. Visita á Abadia de Cluny. Oficina-laboratório do Chocolate com degustação na “Pâtisserie Germain” em Cluny. Traslado a Beaune. Acomodação 5 noites no Hostellerie Le Cèdre 5*, membro de Authentic Hotels. JANTAR de Boas vindas no seu Restaurante Gastronômico “Loiseau des Vignes” com 1* Michelin do famoso Chef Dominique Loiseau.
4° Dia. 19 MAR 2016. SAB. BEAUNE – VOSNE ROMANÉE – ALOXE CARTON - BEAUNE. Côtes de Nuites e Côte de Beaune. Em Vosne Romanée, visita com degustação no Domaine Armelle e Bernard Rion. Em Aloxe Carton, visita com degustação do Domaine Comte Senard. ALMOÇO harmonizado no seu próprio restaurante “La Table d´Hôtes Comte Senard”. Visita dos Hospices de Beaune e do Museu do Vinho em Beaune.
5° Dia. 20 MAR 2016. DOM. BEAUNE – NUITS SAINTS GEORGES – RULLY – BEAUNE. Côte de Nuits e Côte Chalonnaise. Em Beaune, visita da famosa “Mostardaria Fallot”. Traslado a Vougeot para visita do Château du Clos-de-Vougeot sede da famosa  “Confraria dos Chevaliers du Tastevin”. Em Nuits Saints Georges, tempo livre para almoço e visita do Cassissium o“Templo do Cassis” para degustação de vários dos seus produtos. Visita do Château de Rully com degustação de vinhos harmonizados com Gougères feitas em casa (pequenos soufflés de queijo).
6° Dia. 21 MAR 2016. 2ª feira. BEAUNE – FLAVIGNY – MONTBARD – EPOISSES – BEAUNE. Em Flavigny Sur Ozerain, vilarejo classificado ente os mais lindos da França, visita privada a Fábrica do famoso Anis de Flavigny, na Abadia do mesmo nome. Degustação e visita à Cripta de Carolíngia. Em Montbard, recepção privada na Abadia Cisterciense de Fontenay, inscrita no Patrimônio da Humanidade, realizando ALMOÇO exclusivo para o grupo nos seus Jardins. Visita do Château d’Epoisses e degustação do famoso Queijo Epoisses, afinado com o Marc de Borgonha e do Affidélice, a base de Chablis. 
7° Dia. 22 MAR 2016. 3ª feira. BEAUNE – CÔTE DE NUITS – DIJON – CÎTEAUX – BEAUNE. Visita com degustação ao Domaine Vicent Legou em Nuits Saint Georges, pequeno produtor com cultivo tradicional com 12 anos de experiência no Romanée Conti. Visita do vinhedo da “Romanée Conti”. Visita de Dijon, capital da Borgonha e ALMOÇO no “Hostellerie du Chapeau Rouge” do Chef William Frachot o único 2* Michelin da cidade. Breve tempo livre em Dijon. Visita da ”Abadia de Cîteaux” dos famosos queijos do mesmo nome elaborados pelos seus monges que habitam esta abadia durante séculos. Retorno a Beaune e JANTAR Gastronômico Temático Música e Vinhos” na antiga Abadia Caves de l’Abbaye” em Beaune.
8° Dia. 23 MAR 2016. 4ª feira. BEAUNE – ARBOIS – COLMAR. Franche Comté. Em Arbois visita com degustação ao Domaine Rolet Père&Fils, um dos produtores mais destacados na região demarcada dos Vin Jaune do Jura a base da rara uva branca Savagnin.  ALMOÇO harmonizado no Restaurante “La Balance Mets-Vins” com os vinhos do Jura do Chef Thierry Moyne. Acomodação de 4 noites no Hotel Le Colombier 4* em Colmar.  
9° Dia. 24 MAR 2016. 5ª feira. COLMAR – WESTHALTEN - EGUISHEIM – GUNSBACH – COLMAR. Visita guiada a pé de Colmar de rico Patrimônio arquitetural e atrativo bairro da «Petite Venise» (Pequena Veneza) realizando um breve passeio de barco pelo Rio La Lauch. Em Westhalten visita com degustação do Domaine du Bollenberg Clos Sainte Apolline. ALMOÇO harmonizado no seu próprio restaurante “Au Vieux Pressoir” do Chef Blaise Meyer. Passeio pelo centro histórico de Eguisheim e em Gunsbach, visita com demonstração do processo de produção e degustação de queijos na Maison du Fromage
10° Dia. 25 MAR 2016. 6ª feira. COLMAR – BERGHEIM – SAINT HIPPOLYTE – ORSCHWILLER - RIQUEWIHR – COLMAR. Visita com degustação a um dos produtores de referência na Alasca, Marcel Deiss em Bergheim. ALMOÇO no Restaurante gastronômico ”Joséphine” do Chef Jérôme Jaeglé em Saint Hippolyte. Em Orschwiller, visita do impressionante Château du Haut-Koenigsberg dominando toda a paisagem, para finalmente visitar a joia do vinhedo da Alsácia e da arquitetura renascentista, o vilarejo de Riquewihr com suas características edificações em “exaimel”. 
11° Dia. 26 MAR 2016. SAB. COLMAR - BARR - ESTRASBURGO – NIEDERMORSCHWIHR – COLMAR. Ao norte da região, em Barr, visita com degustação do produtor Charles Wantz.Visita do centro histórico de Estrasburgo, Patrimônio da Humanidade, onde conhecer o Relógio Astronômico da sua Catedral. Almoço e parte da tarde livre em Estrasburgo. Visita com degustação dos confeitos da Maison Ferber. JANTAR gastronômico em Colmar no Restaurante “JY´s”, do Chef Jean-Yves Schillinger com 1* Michelin.  
12° Dia. 27 MAR 2016. DOM. COLMAR – VERDUN – REIMS – PARIS. Viagem para Paris. No caminho, próximo a Verdun, ALMOÇO harmonizado de despedida no Château des Monthairons. Prosseguimento até Reims, para visita com degustação da Maison de Champagne Michel Gonet. Acomodação de 2 noites no Hotel Villa Panthéon 4* em Paris no Bairro de Saint Germain.
13° Dia. 28 MAR 2016. 2ª feira. PARIS. Dia completo a disposição para visitas e atividades por conta própria em Paris.
14° Dia. 29 MAR 2016. 3ª feira. PARIS – LISBOA - BRASIL. Traslado para o Aeroporto. Saída voo Paris as 10:55, com chegada em Belo Horizonte as 20:45 via Lisboa. Ou outras cidades de destino no Brasil.
INCLUI: Passagens aéreas desde BH ida até Lyon e volta desde Paris com TAP via Lisboa e taxas de embarque.  12 noites de acomodação com café da manhã e impostos, sendo 1 em Lyon (4*), 5 em Beaune (5*), 4 em Colmar (4*) e 2 em Paris (4*) nos hotéis indicados no roteiro ou similares ● 9 visitas com degustação a produtores vitivinícolas reconhecidos (4 Borgonha, 1 Jura, 3 Alsácia e 1 Champagne)  12 refeições, sendo 8 almoços e 4 jantares, todos harmonizados com vinhos, alguns em vinícolas   8 visitas e degustações gastronômicas (Chocolate, Mostarda, Cassis, Gougères, Anis, Queijo Epoisses, Maison du Fromange, Maison Ferber)   8 visitas culturais e turísticas (Abadia de Cluny, Château de Rully, Abadia de Fontenay, Château d´Epoisses, Abadia de Cîteaux, Colmar, Château du Haut-Koenisbourg e Riquewihr) ● 4 visitas relacionadas com o vinho (Hospices de Beaune, Museu do Vinho, Château du Clos-de-Vougeot e Vinhedo Romanée Conti)  Passeio de Barco por Petit Venise em Colmar  Todos os traslados em transporte privativo  Acompanhamento desde BH do enófilo e consultor de vinhos Márcio Oliveira Acompanhamento desde BH de guia operacional e consultor de viagens especializado  Completa apostila com informações do destino, regiões e produtores vitivinícolas visitadas.

VALORES: Parte Terrestre: Euros 4.463,00 por pessoa em duplo. A vista, facilitado com pagamento total até 1 mês antes da saída. Outras opções de financiamento e acréscimo em individual sob consulta. Parte Aérea: US$ 1.100,00. + Taxas US$ 140,00 em até 5 vezes no cartão, com totalidade taxas na 1ª parcela. Saída de BH. Sob consulta outras cidades.
PRAZO e INSCRIÇÃO: R$ 3.000,00 até 30 OUT 2015. OPCIONAIS: Noites adicionais em Paris e Lisboa ou extensões sob consulta, após formado o grupo. OBSERVAÇÕES GERAIS: ● Número de participantes no grupo: Máximo 26 e Mínimo 22. Solicite a sua Ficha de Inscrição e o programa detalhado dia por dia. 

INFORMAÇÕES E RESERVAS: Na ZENITHE TRAVELCLUB Consultoria e Operadora de Experiências EnoGastronômicas. Belo Horizonte. TEL.: (31) 3225-7773. Contato: Kíssylla Mourão fit4@zenithe.tur.br ● Solicite o seu programa detalhado dia por dia. . PRAZO DE INSCRIÇÃO EM ABERTO. 

ROTEIRO PELA CAMPANHA GAÚCHA. 21 a 28 NOV 2015.

VAMOS A..... CAMPANHA GAÚCHA. 21 a 28 NOV 2015. Na passada XVI Edição do Encontro do Fórum Enológico da Academia do Vinho, o “Vamos ao Planalto de ..... Pirenópolis” celebrado entre o 28 JUL a 2 AGO, aconteceu uma Degustação com 13 surpreendentes vinhos da região vinícola da Campanha, apresentados pela monitora da ABS-Rio, Ana Maria Gazzola, em base a sua recente experiência para esta região, onde tem surgido esta viagem da VAMOS A .... CAMPANHA GAÚCHA. Uma das regiões vitivinícolas que mais cresce e produz vinhos dos mais empolgantes no Brasil é a Campanha Gaúcha, localizada no extremo sul do Brasil, fazendo fronteira com Uruguai, e que fica no paralelo 31, ideal para a vitivinicultura, o mesmo que corta a Nova Zelândia e a África do Sul que elaboram grandes e reconhecidos vinhos.

Esta região também é conhecida como a “Pampa brasileira” palavra do indígena quéchua que define a sua paisagem marcada por planícies e leves ondulações e elevações do seu terreno aqui chamadas de coxilhas.
Estas condições orográficas e do clima, muitos já afirmam que são melhores que a da Serra Gaúcha, produzindo vinhos de elevada qualidade com variedades europeias que encantam cada vez mais aos apreciadores tendo atraído investimentos em tecnologia e a importantes produtores se estabelecerem na região.
Sempre temos ouvido falar do futuro da Campanha, mas se prestarmos mais atenção já da para perceber que esse futuro já é realidade. Quem foi à Expovinis 2015 pode degustar e comprovar que os vinhos esbanjam qualidade e tem preços convidativos entre produtores sempre apoiados pela CAVE, a Associação dos Vinhos da Campanha. Inclusive podendo constatar que a Campanha também é capaz de produzir vinhos de longa guarda, cheios de vitalidade e com uma qualidade incrível com variedades muito bem adaptadas como Cabernet Sauvignon, Tannat, Merlot e Chardonnay entre outras.
Nossa proposta de 7 noites e 8 dias é percorrer parte importante desta região, visitando uma seleção de produtores mais destacados, conhecer as belezas desta parte mais ao sul do Brasil, participar de experiências gastronômicas e harmonizações, e num dos dias até nos adentrar no vizinho Uruguai, ao Cerro do Chapéu para visitar a vinícola de Carrau e aproveitar as compras em Rivera.
A visita à região da Campanha, assim se transforma também numa excelente oportunidade para abastecer a campanha de Natal para quem for participar, tanto com espumantes e vinhos adquiridos diretamente com seus produtores assim como de presentes para as festividades do final do ano, acompanhada por quem mais conhece estes vinhos, a Consultora de Vinhos, Ana Maria Gazzola.
Surpreendente é mesmo este nosso Brasil, ainda jovem e com tantos bons vinhos a nos revelar e encantar. Venha, Participe, Experimente e Vivencie esta outra face

1º Dia. 21 NOV. AS B. CIDADES ORIGEM - PORTO ALEGRE – PELTOAS – BAGÉ.
Voos das diversas cidades de origem (BH, Brasília, São Paulo, Natal...) para Porto Alegre. Voo Porto Alegre/Pelotas. Azul AD-5136. 11:52/12:46. Recepção e traslado para um Restaurante local em Pelotas para ALMOÇO (incluso). Viagem para Bagé. (190 km/2h30). Acomodação de 2 noites no Hotel Obino. Descanso. JANTAR (incluso) harmonizado na Pousada do Sobrado. 
2º Dia. 22 NOV. DOM. BAGÉ -  CANDIOTA - (60 km/50min) – BAGÉ. Traslado a Candiota (60 km/50 min). Visita vinhedos da VinícolaBELLAVISTA ESTATE do Galvão Buenoe as instalações da VinícolaQUINTA DO SEIVAL(Miolo).Visita com degustação Vinícola BATALHA.  Visita com degustação e ALMOÇO harmonizado (incluso) na Vinícola PERUZZO. Volta à Bagé e tarde livre. JANTAR (incluso) no Restaurante Mercado Gourmet.
3º Dia. 23 NOV. 2ª feira. BAGÉ – DOM PEDRITO – SANTANA DO LIVRAMENTO. Traslado a Dom Pedrito (80 km/1h15). Visita loja comercial da Vinícola RIGO com degustação. Palestra-Apresentação com degustação e ALMOÇO harmonizado (incluso) dos vinhos da Vinícola DUNAMIS no Restaurante Cumbuca.Visita a Estância da Vinícola GUATAMBU. Recepção de espumantes, palestra-degustação,pôr de sol e churrasco a modo de JANTARharmonizado (incluso). Viagem a Santana do Livramento (150 km/2h). Acomodação de 3 noites no Hotel Jandaia.
4º Dia. 24 NOV. 3ª feira. SANTANA DO LIVRAMENTO.  Visita com degustação a Vinícola CORDILHEIRA DE SANT´ANA.Visita com degustação da Vinícola ALMADÉN (Miolo) com ALMOÇO harmonizado (incluso) dos vinhos da Almadén e da Quinta do Seival. A tarde, visita com degustação da OLIVOPAMPA produtora de Azeite de Oliva Virgem Extra ao norte de Santana. 
5º Dia. 25 NOV. SANTANA DO LIVRAMENTO – RIVERA (Uruguai) –SANTANA DO LIVRAMENTO.  Saída para o Cerro Chapéu no Uruguai (aprox. 30 km/30 min) para visita com degustação a Vinícola CARRAU com ALMOÇO harmonizado (incluso) na própria vinícola ou restaurante local em Rivera com degustação e harmonização dos  vinhos da Carrau. Tarde livre para compras nos Outlets e Free Shops de Rivera. No final da tarde retorno a Santana do Livramento. Descanso. A noite reunião festiva na sede da CAVE (Associação dos Vinhos da Campanha) com degustação dos vinhos de outros produtores da Campanha (Rio Velho, Routhier&Darricarrére, Sossego, Nova Aliança, Campos de Cima...). Noite de Queijos e Vinhos a modo de JANTAR (incluso) com petiscos locais.
5º Dia. 26 NOV. SANTANA DO LIVRAMENTO – PINHEIRO MACHADO – PELOTAS.  Traslado a Pinheiro Machado (240 km/3h), já na região vitivinícola da Serra do Sudeste. Visita com degustação da Vinícola HERMANNdo Adolar Hermann da Importadora Decanter, e que tem como consultor o aclamado enólogo português Anselmo Mendes. ALMOÇO harmonizado (incluso) com seus vinhos na própria vinícola ou restaurante local. Viagem até Pelotas (110 km/1h30). Acomodação de no Província Casa Hotel. Descanso. JANTAR (incluso) de Confraternização e Despedida em restaurante local de Pelotas.
6º Dia. 27 NOV. 6ª feira. PELOTAS.  De manhã visita turística de meio dia com guia local para conhecer a parte histórica de Pelotas. Almoço e resto da tarde livre.No final da tarde visita da Lagoa dos Patos (a 13 km da cidade) para presenciar o espetacular pôr do sul. Livre para preparar a volta cedo do seguinte dia.
7º Dia. 28 NOV. Sábado. PELOTAS – CIDADES DE DESTINO.As 03h30 saída traslado para Aeroporto de Peltoas.As 05h00 saída voo da Azul AD-5151 com destino a Porto Alegre. Chegada 05h48. Voos de prosseguimento aos destinos finais no Brasil.
INCLUI:  7 noites de acomodação com café da manhã e impostos, sendo 2 em Bagé, 3 em Santana do Livramento e 2 em Pelotas em hotéis de 4* conforme indicados no roteiro ou similares ● 10 visitas com degustação aos produtores locais (9 de Campanha e 1 da Serra do Sudeste)  11 refeições, sendo 6 almoços e 5 jantares, todos harmonizados com vinhos, alguns em vinícolas  1 visita com degustação a um produtor local de AOVE (Azeite de Oliva Virgem Extra)   2 visitas culturais e turísticas em Santanda do Livramento e Pelotas com guia local ● Todos os traslados em transporte e  motorista privativo  Acompanhamento desde Rio de Janeiro da enófila e monitora da ABS-Rio Ana Maria SchallGazzola  Acompanhamento de guia operacional para assistência Completa apostila com informações do destino, regiões e produtores vitivinícolas visitados.
● VALORES: Parte Terrestre: R$ 3.806,00 por pessoa em duplo. A vista, facilitado com pagamento total até o dia 5 NOV. Outras opções de financiamento e acréscimo em individual sob consulta. Parte Aérea: R$ 890,00 com Taxas US$ 140,00 em até 5 vezes no cartão. Saída do Rio. Sob consulta outras cidades. PRAZO e INSCRIÇÃO: R$ 600,00 até 28 OUT 2015. OBSERVAÇÕES GERAIS: ● Número de participantes no grupo: Máximo 28 e Mínimo 23. Solicite a sua Ficha de Inscrição e o programa detalhado dia por dia. 

● INFORMAÇÕES E RESERVAS: Na ZENITHE TRAVELCLUB Consultoria e Operadora de Experiências EnoGastronômicas. Belo Horizonte. TEL.: (31) 3225-7773. Contato: Kíssylla Mourão fit4@zenithe.tur.br