segunda-feira, 31 de agosto de 2015

Os 50 Melhores Torrontés na Historia de Argentina no Ranking de Robert Parker

Os 50 Melhores Torrontés na Historia de Argentina no Ranking de Robert  Parker


A Torrontés é uma variedade de uva branca de origem espanhola, da região da Galiza, muito semelhante à Moscatel da qual possui algum parentesco. A uva é cultivada também na Argentina, Portugal e Bulgária entre outros vários países e a cada dia vai ganhando maior popularidade a nível mundial.

Quando se trata de vinhos brancos argentinos, é a Torrontés a casta que tem o papel de uva emblemática, uma vez que seus vinhos são intensamente exuberantes, de uma grande riqueza aromática, sobretudo floral, o que faz que eles sejam inconfundíveis frente a outras variedades de vinhos feitos a partir de uvas brancas.

Na Argentina existem diversos tipos de Torrontés.  De certa forma o que nos chegaram primeiro eram os vinhos feitos em Salta, em pleno deserto. Estes vinhos formaram o perfil dos vinhos da casta, sendo intensamente florais, que para muitos amantes de vinho chegaram a ficar enjoativos. Os vinhos feitos com a Torrontés Riojana têm ótima qualidade, enquanto a Torrontés Sanjuanina e Torrontés Mendocina não são tão bem considerados.

Veja o ranking com as 50 mais altas pontuações de Robert Parker para os Torrontes na história vinícola argentina:

SAFRA                      NOME DO VINHO                          PONTOS
2013   Susana Balbo Signature Torrontes Barrel Fermented                       93
2010   Bodegas El Porvenir de Los Andes Torrontes Laborum        92
2009   Bodegas Etchart Torrontes Gran Linaje 92
2012   Domingo Molina Hermanos Torrontes   92
2012   Finca Las Nubes Torrontes          92
2009   Alta Vista Premium Torrontes       91
2013   Alta Vista Premium Torrontes       91
2011   Bodegas y Vinedos O Fournier Urban Uco Torrontes            91
2011   Coquena Torrontes            91
2010   Crios de Susana Balbo Torrontes           91
2009   Manos Negras Torrontes   91
2011   Susana Balbo Late Harvest Torrontes   91
2010   Susana Balbo Torrontes Late Harvest   91
2009   Accuro Torrontes     90
2011   Alta Vista Premium Torrontes       90
2006   Alta Vista Premium Torrontes       90
2006   Bodega Cicchitti Torrontes           90
2006   Bodega Colome Torrontes            90
2010   Bodega Monteviejo Festivo Torrontes    90
2011   Bodegas Callia Torrontes Reservado     90
2006   Bodegas El Porvenir de Los Andes Torrontes Laborum        90
2008   Bodegas Etchart Torrontes Gran Linaje 90
2010   Camino del Inca Torrontes           90
2010   Carinae Torrontes   90
2011   Crios de Susana Balbo Torrontes           90
2008   Crios de Susana Balbo Torrontes           90
2007   Crios de Susana Balbo Torrontes           90
2009   Crios de Susana Balbo Torrontes           90
2009   Familia Zuccardi Torrontes Serie A        90
2011   Familia Zuccardi Torrontes Serie A        90
2013   Familia Zuccardi Torrontes Serie A        90
2009   Felix Lavaque Don Rodolfo Torrontes   90
2010   Felix Lavaque Felix Torrontes      90
2010   Filus Torrontes        90
2011   Finca Domingo Torrontes 90
2007   Michel Torino Torrontes Don David        90
2012   Passionate Wines La Via Revolucionaria Torrontes Brutal  90
2009   Piattelli Vineyards Premium Torrontes   90
2009   Susana Balbo Torrontes Late Harvest   90
2010   Terrazas de Las Andes Reserva Torrontes       90
2011   Tilia Torrontes          90
2006   Tittarelli Reserva     90
2008   Tukma Torrontes Reserva 90
2011   Vines Of Mendoza Recuerdo Torrontes            90
2013   Bodega Colome Torrontes            89
2009   Bodega Colome Torrontes            89
2008   Bodega Colome Torrontes            89
2009   Bodega Monteviejo Festivo Torrontes    89
2008   Bodega Tapiz Zolo Torrontes       89

2007   Bodegas Etchart Torrontes Late Harvest           89

DICAS PARA SE TORNAR UM BOM CONHECEDOR DE VINHOS


“ DICAS PARA SE TORNAR UM BOM CONHECEDOR DE VINHOS “ –  Para muitas pessoas, uma taça na mão, uma conversa agradável, um vinho de qualidade e sobretudo o clima mais frio e ameno do inverno e já se tem começo a oportunidade de conhecer alguma coisa a mais sobre vinho. O que antes era uma curiosidade passa a ser interesse e vira paixão na maioria dos casos.
E assim, vários leitores do VINOTICIAS me perguntam o que podem fazer para conhecer melhor os vinhos, indo muito além de olhar para as taças e esperar que alguém ajude a traduzir o que o vinho tem para mostrar, ou como seria possível ter uma noção básica e entender um pouco dos mistérios que envolvem o vinho.
Assim, por outro lado, começam também as dificuldades e a busca por dicas de como conhecer a bebida de Baco de maneira mais fácil, ainda mais quando você estiver diante de uma prateleira com milhares de rótulos, nacionais e/ou importados, com o objetivo de escolher o melhor vinho para celebrar uma data especial. Nesta hora, valores como nome do produtor, região, vinhedo, safra, tipo de uva, tudo deve ser levado em conta. A missão, portanto, não é tão simples quanto parece.
Sem dúvida, não basta estudar vinhos para entender do assunto. É preciso provar, e muito, a bebida, ir anotando tudo sobre o vinho de você provou e gostou, e continuar provando mais rótulos.
De qualquer forma, para ajudar os iniciantes, ai vão algumas dicas preciosas:

1 – Antes de mais nada, beba! - O primeiro passo para começar a entender o mundo do vinho é experimentando o maior volume de rótulos possíveis. Procure por vinhos de países diferentes, de regiões e produtores diversos, de safras diferentes, e trabalhe a identificação dos mais suaves, os mais ácidos, os com taninos mais rústicos.
2 – Estude o assunto - Livros, enciclopédias, guias de vnhos, não faltam nas livrarias para quem quer estudar e pesquisar sobre vinhos. O material escrito é um importante apoio para quem deseja começar a entender este universo do vinho.
Para quem é conectado com a internet, tudo fica ainda mais fácil, uma vez que basta digitar a palavra vinho em qualquer buscador para se obter milhares de respostas.
3 – Não tenha timidez por não conhecer tudo sobre o tema - só se aprende errando, e tentando novamente acertar. Se você pretende conhecer mais sobre o assunto, é importante conhecer as diferenças entre cada tipo de uva, provando vinhos de produtores diferentes e observando quão prazeroso testar cada taça. Se você gostar de um rótulo, anote. Se não gostar, valeu pelo aprendizado !
4 – Busque os profissionais do ramo – Outra dica para aprofundar seu conhecimento sobre vinhos é buscar ajuda profissional, seja através de uma associação idônea, de um Curso de Vinhos, ou de uma confraria. A Associação Brasileira de Sommeliers (ABS) existe em vários locais no Brasil, ministrando aulas que ensinam tudo sobre vinho.
5 - Comece pelos Vinhos da sua Adega – Não é necessário investir de início em vinhos caros na busca pelo aprofundamento do conhecimento. Comece por sua adega. Degustar um vinho é bebê-lo procurando entender melhor seus detalhes.
Portanto, comece com os vinhos que tiver em casa e se não tiver ainda nenhum rótulo guardado, a recomendação para quem ainda está iniciando na degustação de vinhos é provar produtos de países do Novo Mundo, especialmente argentinos e chilenos, que têm abordagens mais fáceis do que os europeus, que costumam ser mais complexos.
Não tenha dúvidas, prove vinhos brancos, tintos, espumantes. Tudo faz parte do aprendizado.
6 - Branco ou Tinto – A maioria das pessoas que estão se inicando no mundo do vinho costuma pensar que este é um mundo rubro, onde apenas os vinhos tintos tem real qualidade. Nãotenha dúvida, há bons vinhos brancos e tintos, em todas as faixas de preços e geralmente os brancos são mais refrescantes, mais agradáveis para uma época mais quente do ano. Os tintos serão ótimos com pratos mais marcantes e próprios para dias mais frios.
7 – Guarda – Entenda que “quanto mais velho, melhor !” pode ser um conceito errado para muitos vinhos. A grande maioria dos vinhos atuais são produzidos para consumo imediato e não ganham nada se guardados para serem bebidos daqui 4 ou 5 anos.
Vinhos brancos já estão prontos, ou de outra forma, procure rótulos dentro do universo de 3 anos da safra estampada no rótulo. Em geral os tintos com três ou quatro anos de idade, já estará perfeito para beber. Um vinho tinto europeu do mesmo estilo, levaria pelo menos cinco ou seis anos para ser bebível.
8 – Uma Confraria é uma boa dica para se aprender mais – Uma boa idéia pode ser a de reunir amigos para degustar vinhos, colocar a conversa em dia e neste meio tempo aprofundar o estudo dos vinhos. A troca de experiências é muito interessante e as confrarias são uma boa saída.
Para que o orçamento não fique apertado inicialmente, chame os amigos, divida uma, ou duas garrafas, divida a despesa e descubra o quanto você e seus amigos estão dispostos a investir nesta prazerosa atividade.
9 - A evolução da qualidade do vinho – Pode-se começar por um vinho mais simples, por exempo, um vinho Cabernet Sauvignon, que custa R$ 40, pode ser mais fácil de beber. Mas quando você for bebendo outros vinhos da mesma casta, verá que nem todos serão iguais, mesmo que o preço seja o mesmo. E mais ainda, poderá notar que se gastar R$ 10 a mais poderá beber um vinho melhor ainda.
É que a agregação de valores ao vinho custa dinheiro e o reflexo no seu preço é imediato, influenciando a intensidade aromática, e nos paladares na boca, com fatores como taninos mais finos, equilíbrio e persistência. Quanto mais caro o vinho, ele vai agregando aromas tostados, especiarias. Pode-se dizer que se preço sobe, mudam os aromas e o paladar, mas a recíproca não é verdadeira. Ou seja, cuidado, porque nem sempre o preço é sinal absoluto de qualidade.
10 – Não gaste dinheiro à toa – Se você ainda não é um especialista em vinhos, não é necessário fazer degustações com rótulos acima de R$ 150, por exemplo, acreditando que só acima deste patamar os vinhos são realmente bons. Tudo é questão de evolução do paladar, garantem os que bebem há mais tempo e os especialistas. O valor, no final das contas, não é garantia da qualidade de um vinho.
É apenas um parâmetro, e certamente quando um vinho custa R$ 20 e há outro que custa R$ 100, em princípio a diferença está na melhor produção, no uso de material mais complexo, e o vinho mais caro deve ser melhor.
Mas quando o assunto são os vinhos do dia a dia, já se encontra rótulos muito bons na faixa de R$ 30 a R$ 40, o que é perfeitamente acessível a qualquer público.
11 – Vinhos brasieliros são bons – A velha baixa estima quanto ao produto nacional pode ser deixada de lado. O Brasil tem ótimos vinhos, a começar pelos espumantes e não faz feio quando o tema são brancos ou tintos.
Pode não ter uma longa história, ou tradição, mas nossos vinhos são tão bons quanto a os europeus.
12 – Como começar a provar vinhos - Uma boa maneira de ir experimentando as diferenças entre os diversos tipos de vinho é provar rótulos levando em conta algum tipo de variação. As variedades de uva, por exemplo, são um bom começo.
Prove vinhos das uvas brancas como a Chardonnay, Sauvignon Blanc, Viognier, Moscatel e veja quanta diferença. Nos tintos, começe pelas uvas Merlot, Cabernet Sauvignon, Shiraz, Malbec. Vá percebendo as diferenças e veja quão rico é este mundo dos vinhos.
13 - Comece pelos vinhos jovens - Assim como vinhos mais caros não são garantia de que você vai gostar dos aromas mais sofisticados, os vinhos mais antigos e maduros também podem não te agradar inicialmente.
No começo do seu estudo, é mais interessante degustar safras mais novas, de três a cinco anos de idade, até se sentir mais seguro para avançar no tempo de guarda dos vinhos.
14 - Atenção aos detalhes – Três fatores acessórios são importantes quando você compra um vinho para beber em casa.
O primeiro deles é a escolha da taça onde será servido o vinho, que deve ser de qualidade. A taça tem muita influência na expressividade da bebida tanto no nariz quanto na boca. Não precisa ser sofisticada, mas certamente uma taça de cristal. Do tipo menor para os brancos, um pouco maior para os tintos e uma taça para espumantes. É o suficiente. Se o orçamento estiver apertado, opte pela taça de degustação no modelo ISO.
O segundo ponto a chamar a atenção, é a temperatura adequada para servir seus vinhos. A temperatura inadequada pode tornar a degustação numa atividade desagradável. De forma geral, para brancos e espumantes sirva-os entre 8 a 10ºC. Para tintos, tenha em mente 16 a 18ºC. Fala-se muito em temperatura ambiente, mas esquece-se que a maioria dos livros sobre vinho são escritos na Europa e lá a temperatura ambiente média é da ordem dos 16 a 18º C.
Outra questão é o armazenamento adequado, que pode influenciar o sabor final percebido. Afaste seu vinho de locais com cheiros químicos fortes, com fortes vibrações, grandes variações de temperaturas e luminosidade. Um bom local para guardar seus primeiros vinhos será no fundo do armário embutido. Se estiver com orçamento livre, invista numa adega climatizada, já que ela garante uma conservação ideal e longa guarda.
15 – O melhor está por vir – as dicas são simples e diretas. Podem parecer um pouco complicadas a princípio, mas o ideal é exatamente descomplicar o vinho. Não tenha receio e evite se tornar um enochato. Leia, procure perguntar sobre o tema, prove vinhos, compartilhe descobertas e veja que em pouco tempo irá ganhar um grupo de novos amigos.

            O importante é descobrir que não há uma vinho tinto melhor que um vinho branco, mas que eles são diferentes e que nossos gostos pessoais irão apenas dizer que gostei mais de um e menos do outro. No final, o que vale é o brinde: Saúde !!!

QUINTA DE SAES RESERVA 2008 ESTÁGIO PROLONGADO – DÃO - PORTUGAL

Vinho da Semana 35/2015 ● QUINTA DE SAES RESERVA 2008 ESTÁGIO PROLONGADO – DÃO - PORTUGAL –  A Quinta da Pellada é um dos grandes nomes do Dão, propriedade regida com maestria pela batuta de Alvaro Castro, produzindo alguns dos melhores vinhos do país. O Quinta de Saes Estágio prolongado, como indica o nome, estagia em barricas de carvalho por um longo período mas, devido à ótima qualidade do fruto e da madeira, o carvalho fica muito bem integrado, não superando a deliciosa e abundante fruta. Oferece uma excepcional relação qualidadepreço.
As primeiras referências históricas que se conhecem sobre a Quinta da Pellada aparecem por volta de 1570, e lá existe ainda uma casa do séc. XVI construída de face para um pátio interior, como um solar fortificado.
A Quinta de Saes tem origens muito remotas, as mais antigas referências datam de 1258. A presença da viticultura como atividade agrícola é, igualmente muito antiga: registros de 1527 atestam que Saes pagava de imposto ao Rei, anualmente, a considerável soma de 80 pipas de vinho.
Álvaro de Castro herdou esta propriedade em 1980, dedicando-se exclusivamente a ela, restabeleceu a tradição familiar na produção de vinho, quebrada há duas gerações. Levando a peito as suas referências de juventude e recordando os vinhos produzidos pelo Eng.º Vilhena do centro de estudos de Nelas. O seu primeiro vinho apareceu então com a vindima de 1989. Desde então até hoje tem sido apoiado na enologia pelo Engº. Magalhães Coelho e mais recentemente pela sua filha Eng.ª Maria Castro e também pelo Eng.º Ataíde Semedo.

Notas de Degustação: Rubi com reflexos violáceos. No aroma aparecem as frutas negras maduras (cereja e ameixa), notas de especiarias, floral de violeta, baunilha e nota de café. Paladar frutado, redondo, fresco, com taninos macios, com a fruta e madeira super bem integrada num vinho redondo e elegante. Passa 14 meses em cascos de carvalho francês. Versátil sendo uma ótima companhia para a mais variada gama de pratos. Corte de Touriga Nacional, Tinta Roriz, Tinta Pinheira, Jaen e Alfrocheiro.
Reconhecimentos: Revista de Vinhos 16,520 pts (2008 ) e João Paulo Martins 16 pontos.
● Guarda: até 10 anos, mas já está pronto para beber !
● Notas de Harmonização: Aves, cordeiro, massas, queijos e carnes grelhadas em geral.
Temperatura de Serviço: 16 a 18ºC

Onde comprar: Em BH: MISTRAL - Rua Cláudio Manoel, 723 - Savassi - BH. Tel.: (31) 3115-2100

CHATEAU DES CHABERTS 2012 CUVÉE DE BACCHUS – PROVENCE – FRANÇA

Vinho da Semana 35/2015 ● CHATEAU DES CHABERTS 2012 CUVÉE DE BACCHUS – PROVENCE – FRANÇA - O inglêses costumam fugir do frio clima de sua terra comprando imóveis na Provence. Na denominação de Coteaux Varois, Betty Ann Cundall, estabeleceu seu Chateau há 25 anos e foi trabalhando discretamente até ganhar medalhas e prêmios por conta de seus vinhos brancos, tintos e rosés. Já são mais de 12 medalhas, incluindo duas estrelas (**) na guia de vinhos Hachette para o vinho rosé do Chateau des Chaberts.
Chateau des Chaberts está localizado em Var interior, uma mistura de montanhas que vão de 600 m para 1000 m de altitude (principalmente coberta por floresta e "garrigue", que é uma vegetação típica local com muitos arbustos e alecrim), e planaltos (altitude de cerca de 400 m).
Isto é tão provençal, com belas aldeias com muitas fontes, alecrim, tomilho, funcho, zimbro que crescem em estado selvagem nas colinas, com vinhedos estão por toda parte. O Domaine está plantado num vale nas primeiras encostas da cordilheira do Loube, uma espécie de parque natural, lar de javalis e vida selvagem de animais naturais da Provence. A altitude traz noites mais frias, o que beneficia os vinhedos com a grande amplitude térmica diária.

● Notas de Degustação: Vinho de cor rose brilhante, límpido. Aromas sutis e elegantes de floral e frutadas frescas vernelhas, com uma nota vegetal ao fundo. Na boca é seco, suave e poderoso ao mesmo tempo, bem fresco.
● Guarda: para ser bebido com prazer de imediato.
Notas de Harmonização: Vai bem com frutos do mar grelhados; Saladas com queijo de cabra fresco; Massas com frutos do mar, .
Temperatura de Serviço: 10 a 12ºC

Onde comprar: AU BON VIVANT - R. Pium-Í, 229 - Cruzeiro, Belo Horizonte - MG, 30310-080. Tel.: (31) 3227-7764

DE MARTINO RESERVA SAUVIGNON BLANC 347 VINEYARDS 2014 – CASABLANCA/ LAS DICHAS - CHILE

Vinho da Semana 35/2015 ●  DE MARTINO RESERVA SAUVIGNON BLANC 347 VINEYARDS 2014 – CASABLANCA/ LAS DICHAS - CHILE – A Viña De Martino foi fundada na década de 1930 no Maipo. Eles foram os primeiros produtores no Chile a rotular um vinho como Carmenère após a descoberta na década de 1990 que a uva Carmenère tinha sido identificada erroneamente como Merlot.
A busca por novas zonas de vinhedos é uma política-chave da empresa, continuando a expandir o repertório de estilos de vinho. A De Martino têm vinhas por todo o caminho de vinhedos de Elqui até Bío ​​Bío. Milhões de anos atrás Chile ficou abaixo do nível do mar e assim, as faixas costeiras apareceram 160 milhões de anos atrás, e, em seguida, a Cordilheira dos Andes, e apareceram os vales. Só recentemente o Chile entendeu que o fundo do vale nem sempre é o melhor terroir para o vinho. O sul do Chile é frio, o norte é quente, mas a proximidade com a costa e as montanhas é tão importante em termos de onde você cultiva as uvas. Além disto, 80% dos solos do Chile vêm da atividade vulcânica e há ainda muitos vulcões ativos. É importante evitar os solos de cinza vulcânica, e encontrar tanto as pedras arredondadas e materiais aluviais das últimas glaciações, há 15.000 anos, ou solos coluviais, cheios de pedras ásperas, produzidas pela atividade vulcânica.
Todas as vinhas da De Martino são cultivados organicamente, embora não sejam certificados, buscando uma comparação ambiciosa com os vinhedos da Romanée Conti com os da aldeia Vosne Romanée. Todas as vinhas da De Martino são enxertadas a partir de suas próprias raízes, com a idéia que se você mudar o porta-enxerto, você muda o lugar. Na visão e experiência da De Martino, se você plantar Cabernet no mesmo local, em três porta-enxertos diferentes, todas eles terão um gosto diferente entre si, e obviamente, os porta-enxertos não permitem a mais pura expressão do terroir.
Os vinhedos que produzem este Sauvignon Blanc estão situados na região mais fria do vale de Casablanca, distando 20 km do Oceano Pacífico e recebendo assim todas as influências da fria corrente de Humboldt que sopra do leste. Os solos são de origem granítica com diferentes níveis de argila, provenientes da Cordilheira da Costa e com uma geologia associada a granitos muito alterados. São vinhedos plantados em 2008, em pé franco, conduzidos em espaldeira tradicional, poda em Guyot duplo, com vindima manual em Março-Abril. A fermentação é feita em tanques de inox a 11-16°C com rápida permanência nos tanques para capturar o frescor da fruta. È engarrafado em garrafas de vidro mais leves.

● Notas de Degustação: Cor verdeal brilhante, límpido e cristalino. Aromas cítricos, toques herbáceos, e nota de grande frescor. Na boca mostra-se de corpo leve, com ótima acidez, a nota mineral vem sob forma sápida, num vinho prazeroso e de longo final. Nenhum traço de madeira e vem com fechamento de tampa de rosca.
● Guarda: já pode ser bebido com prazer.
Notas de Harmonização: Frutos do mar grelhados; Saladas com queijo de cabra fresco; Carpaccio de linguado ao relish de alcaparras; Cozinha Japonesa, em especial com Sushi e sashimi.
Temperatura de Serviço: 10ºC

Onde comprar: Em BH - Enoteca Decanter - Rua Fernandes Tourinho, 503 – Funcionários – Belo Horizonte / MG. Telefone: (31) 3287-3618 / ROYAL VINHOS - Loja Cruzeiro - Uma tradicional adega, localizada no Mercado do Cruzeiro. End.: Rua Ouro Fino, 452 - Lojas 22 e 23 / Bairro Cruzeiro - Mercado Distrital – Tel.: (31) 3281-3539 - Belo Horizonte | MG

domingo, 30 de agosto de 2015

A LISTA 2015 DOS MELHORES VINHOS DO CHILE SEGUNDO O GUIA DESCORCHADOS - Patrício Tápia


A LISTA 2015 DOS MELHORES VINHOS DO CHILE SEGUNDO O GUIA DESCORCHADOS -  Patrício Tápia

Embora no guia de vinhos Descorchados 2015, Patrício Tápia classifique e pontue vinhos de 4 países, a lista foi construída com base em vinhos chilenos.

Melhor tinto
  • Cousiño Macul Lota Cabernet 2009 – 97 Pontos
Melhor branco
  • De Martino Viejas Tnajas Muscat 2013 – 96 pontos
Branco revelação
  • Sierras de Bellavista Riesling 2013 – 92 pontos
Tintos revelação
  • Tabalí Roca Madre Malbec 2014 – 93 pontos
  • Santa Carolina Specialties tinto de Montaña Malbec 2013 – 94 pontos
  • Concha y Toro Marques de Casa Concha País Cinsault 2014 – 93 pontos
  • J.A Jofré Vinos Fríos del Año Carignan Tempranillo Carmenére 2014 – 93 pontos
Marca revelação
  • Sol de Sol, Aquitania
Bodega revelação
  • House Casa del Vino e El Viejo Almacén de Souzal
Melhor Cabernet Franc
  • Maquis Franco 2011 – 96 pontos
Melhor Cabernet Sauvignon
  • Cono Sur Silencio 2010 – 96 pontos
  • Santa Rita Casa Real Reserva Especial 2011
Melhor Carignan
  • Bodegas RE Re Nace Cariñena 2013 – 95 pontos
Melhor Carmenére
  • Concha y Toro Terrunyo Lote 1 2013 – 95
Melhor Chardonnay
  • Aquitania Sol de Sol 2011 – 96 pontos
Melhor Cinsault
  • De Martino Viejas Tinajas 2014 – 94 pontos
Melhor espumante
  • Bodegas RE Re Noir Nature Virgen Pinot Noir – 94 pontos
  • Morandé Nature Chardonnay/Pinot Noir – 94 pontos
Melhor Malbec
  • House Casa del Vino 2013 – 93 pontos
  • Viu Manet Viu 1 2011 – 93 pontos
Melhor Merlot
  • Tres Palacios cholqui 2011 – 93 pontos
Melhor mescla branca
  • Apaltagua Coleccíon Blanc 2014 – 93 pontos
  • Ramirana Gran Reserva 2014 – 93 pontos
  • William Févre 2012 – 93 pontos
Melhor Mescla Tinta
  • Cousino Macul Lota Cabernet 2009 – 97 pontos
Melhor moscatel
  • De Martino Viejas Tinajas Muscat 2013 – 96 pontos
Melhor outras cepas brancas
  • Casa Marin Casona Vineyard Gewurztraminer 2014 – 94 pontos
Melhor outras cepas tintas
  • Lapostolle Collection Monastrel 2013 – 93 pontos
  • Pérez Cruz Chaski Petit Verdot 2012 – 93 pontos
Melhor país
  • Concha y Toro Marques de Casa Concha Limited Edicion 2014 – 93 pontos
Melhor Pinor Noir
  • Maycas de Limarí San Julián 2013 – 93 pontos
  • Montsecano 2013 – 93 pontos
  • Tabalí Talinay 2013 – 93 pontos
Melhor Riesling
  • Sierras Bellavistya 2014 – 94 pontos
Melhor Rosado
  • Bodegas RE Pinotel Pinot Noir Moscatel 2014 – 92 pontos
Melhor Sauvignon Blanc
  • Laberinto 2014 – 96 pontos
  • Leyda Lot 4 2014 – 96 pontos
Melhor Syrah
  • Errázuriz Costa 2013 – 95 pontos
  • Leyda Lot 8 2012 – 95 pontos
  • Undurraga TH 2012 – 95 pontos
Super preço extremo branco
  • Cono Sur Bicicleta Gewurztraminer 2014 – 89 pontos
Super preço extremo tinto
  • Santa Rita 120 Reserva Especial Cabernet Sauvignon 2013 – 89 pontos
Super Preço branco
  • Leyda Garuma Vineyard Sauvignon Blanc 2014 – 94 pontos
Super preço tinto

  • Cacique Maravilla 2014 – 92 pontos
  • Maycas de Limarí Sumaq Pinor Noir 2013 – 92 pontos

sábado, 29 de agosto de 2015

RIO WINE & FOOD FESTIVAL 2015


MELHORES VINHOS DA ARGENTINA SEGUNDO ROBERT PARKER – RANKING 2015

● MELHORES VINHOS DA ARGENTINA SEGUNDO ROBERT PARKER – RANKING 2015 :

Mendoza, Salta e Patagonia aparecem representados com as mais altas pintuações no ranking 2015 de Parker, podendo ser visto na prestigiosa publicação especializada eRobert Parker.com. Com o título "Argentina 2015: One Step Beyond" (Argentina 2015: um passo além), o informativo é resultado do trabalho de Luis Gutiérrez, degustador de vinhos argentinos para esta publicação, e nos primeiros lugares se destacam os vinhos das Bodegas Catena Zapata, Achaval Ferrer, Zuccardi e Per Se, assim como também os vinhos de Alejandro Vigil, enólogo chefe da Catena Zapata, mas que também tem seus projetos pessoais Aleanna e Chachingo Legend.

A lista dos mais pontuados:
98 pt. Gran Enemigo Single Vineyard Gualtallary Cabernet Franc 2011, Bodega Aleanna.
98 pt. Catena Zapata Adrianna Vineyard Malbec 2011, Bodega Catena Zapata
97 pt. White Bones Chardonnay 2011, Bodega Catena Zapata
97 pt. Noemía 2013, Bodega Nomía de Patagonia
97 pt. Per Se La Craie 2013, Per Se Vines
97 pt. Achaval Ferrer Malbec Finca Altamira 2013, Achaval-Ferrer
97 pt. Finca Piedra Infinita 2013, Zuccardi Wines
96 pt. Finca Canal Uco 2013, Zuccardi Wine
96 pt. Achaval Ferrer Malbec Finca el Mirador 2013, Achaval-Ferrer
96 pt. Per Se Jubileus 2013, Per Se Vines
96 pt. Colomé Altura Máxima Malbec 2012, Bodega Colomé
96 pt. Treinta y Dos 2013, Bodega Chacra
96 pt. Vivo o Muerto Gualtallary 2013, Vivo o Muerto
96 pt. Los Valientes 2013, Chachingo Legend
96 pr. White Stones Chardonnay 2011, Bodega Catena Zapata


(Fonte: http://www.lanacion.com.ar/1823255-los-vinos-argentinos-mejor-puntuados-en-robert-parkercom)

29/08 - FAÇA UM BRINDE ESPECIAL AO DIA DO SOMMELIER

29/08 - FAÇA UM BRINDE ESPECIAL AO DIA DO SOMMELIER


Mas afinal, o que faz um sommelier?

Sim, 29 de agosto é o dia do Sommelier, e pelo que vi, na nossa Confraria, ninguém fez a menor menção sobre este tema. Então vou eu dar uma lembradinha na turma e nos demais leitores do que faz o sommelier e que diferença ele faz nas nossas vidas !!!

A origem da palavra sommelier é antiga e remonta ao período em que os senhores feudais, a monarquia e a aristocracia se deslocavam — ou para a guerra ou para o lazer — levando muitos homens para serví-los.

Esta comitiva de serviçais ia na retaguarda e era composta de subalternos encarregados de tratar dos animais de carga e cuidar dos alimentos, das bebidas e dos utensílios como os pratos, panelas, talheres, copos e todo o necessário para a alimentação e o bem estar dos senhores. E tudo isso era acondicionado em fardos que eram chamados de soma (em francês: somme) e o pessoal, as viaturas de transporte e os animais usados para o transporte eram chamados de sommiers.

Com o passar do tempo, o termo foi evoluindo, primeiramente para sommieliers, até chegar ao sommelier que conhecemos nos dias de hoje.

E claro, a função do sommelier evoluiu. Se inicialmente, ele atuava nos ambientes palacianos ou em mansões dos nobres, com o tempo o seu trabalho passou a ser o salão dos restaurantes de luxo. Atualmente, ele atua em bistrôs, em delis, em distribuidoras de vinho e até em supermercados, cuidando rigorosamente do chamado serviço do vinho.

Abrir cada garrafa corretamente, servir o vinho na temperatura e recipiente ideais — fazê-lo respirar num decanter, quando é preciso — e usar as taça que melhor potencializem os aromas daquele vinho.

Ele é o responsável pelo itinerário da garrafa desde a vinícola (ou engarrafador) até a mesa. 

Ele deve zelar pela quantidade de compra, do armazenamento e conservação das garrafas, pelo tempo (é dinheiro!) nas prateleiras, qualidade do transporte, sugestão de preço final e… até participar do marketing e da estratégia de venda.

Com a regulamentação do exercício da profissão, conforme a lei nº 12.467, de 26 de agosto de 2011: “Considera-se sommelier, para efeitos desta lei, aquele que executa o serviço especializado de vinhos em empresas de eventos gastronômicos, hotelaria, restaurantes, supermercados e enotecas e em comissariaria de companhias aéreas e marítimas”.

Com isso, percebe-se que a atuação profissional do sommelier, portanto, é necessária em variados segmentos: lojas de bebidas e supermercados de vários portes, vinícolas e importadoras, bares, restaurantes, hotéis e instituições de ensino de hospitalidade. 

Entretanto, por conta da importância e da pluralidade do setor de bebidas, é preciso que esse profissional se desenvolva constantemente para adquirir conhecimentos que extrapolem as fronteiras do vinho.

Neste sentido, começam a surgir cada vez mais cursos de Sommelier com o reconhecimento cada vez maior no mercado. Hoje os cursos de maior prestígio são os da ABS, SENAC e da WSET, cada qual com valores, metodologias e filosofia próprias que vale muito a pena serem pesquisadas para quem pretende entrar na área.

Em resumo, comemore com um brinde especial a esta data !!!


Saúde.

sexta-feira, 28 de agosto de 2015

Resultado do Top 5, degustação que elege os melhores vinhos do Encontro de Vinhos Belo Horizonte 2015

Saiu o resultado do Top 5, degustação que elege os melhores vinhos do Encontro de Vinhos Belo Horizonte 2015

O Top 5, degustação que elege os 5 melhores vinhos de cada categoria, aconteceu ontem na Casa da Travessa, em São Paulo. Foram mais de 70 exemplares degustados por um júri composto por sommeliers e formadores de opinião.

Saiu o resultado da degustação às cegas que elege os melhores vinhos do Encontro de Vinhos Belo Horizonte, que acontecerá  dia 29 de agosto, próximo sábado,  na Praça do Museu Abílio Barreto, das 11h às 17h.

O Encontro de Vinhos, considerado o maior evento itinerante do segmento, reunirá cerca de 1.200 participantes e dezenas de produtores e importadoras nacionais e internacionais.

O evento é dedicado a enófilos e consumidores que desejam conhecer um pouco mais sobre o universo do vinho. Serão oferecidos ao visitante centenas de opções diferentes para serem degustadas livremente, em um ambiente familiar, descontraído e ao ar livre. O visitante ganhará na entrada uma taça acrílica colecionável.

Food trucks estarão presentes no local para o serviço da comida.

Conheça a lista dos vinhos ganhadores que não podem deixar de serem degustados neste sábado:

Espumantes
1º lugar: Champagne de Barfontarc Brut  Blanc de Noirs - Casa Rio Verde
2º lugar: Champagne de Barfontarc Brut Rosé
3º lugar: Adolfo Lona Pas Dosé Nature
4º lugar: Luiz Argenta Brut
5º lugar: Splendore Brut Nature

Brancos
1º lugar:Sur de los Andes Premium Chardonnay - MS Import
2º lugar:Casa Santos Lima Reserva 2012
3º lugar:Luiz Argenta Chardonnay 2012
4º lugar:Langh L’Aura Monti D.O.C  2009
5º lugar:Speciale Sauvignon Blanc 2014

Tintos
1º lugar: Atlántico Sur Reserva Tannat 2013 - Importadora TodoVino
2º lugar: Borandes 2013 Cabernet Sauvignon, Cabernet Franc e Carménère
3º lugar: Speciale Merlot 2012
4º lugar: Barolo Rocche di Castelletto 2010
5º lugar: Luiz Argenta Cuvée Merlot, Cabernet Franc e Petit Verdot 2009
Conheça mais:

Sobre o Encontro de Vinhos Belo Horizonte:
Dia 29 de agosto
Das 11h às 17h
Praça do Museu Abílio Barreto
Av. Prudente de Morais, 202, Cidade Jardim
Entrada: R$ 90,00 e R$ 45,00 (meia)

quinta-feira, 27 de agosto de 2015

LANÇAMENTO DO LIVRO DE JULIO ANSELMO DE SOUSA NETO


LANÇAMENTO DO LIVRO A QUALIDADE NO CONSUMO DO VINHO EM BH


Seminário "A Histórica Carmenère" - Evento Belo Horizonte – 2015

28.AGO.2015 – 6ª-FEIRA – 16:30 às 20:30hs - Seminário "A Histórica Carmenère" - Evento Belo Horizonte –
A uva carménère foi uma das mais cultivadas no início do século XIX, na região do Médoc e em Graves, Bordeaux. Na década de 1860 as videiras européias sofreram com o ataque de um inseto chamado filoxera, que afetava a videira pelas folhas e raízes sugando sua seiva. Essa praga devastou quase todos os vinhedos da Europa. Achavam que esta variedade havia sido extinta, mas foi redescoberta em 1994 no Chile por um ampelógrafo francês, chamado Jean-Michel Boursiquot, onde notou que algumas cepas de merlot demoravam a maturar. Os resultados de estudos realizados concluíram que se tratava na realidade da antiga variedade de Bordeaux, carménère, cultivada por engano como se fosse a merlot. Levada por engano aos vales vinícolas chilenos, a carménère se adaptou ao clima agradável e aos solos andinos obtendo êxito ao ponto de ser considerada a uva emblemática do Chile por sua qualidade e sabor excepcional. Seu nome provém da cor de sua pele de tom carmim que acaba transferindo aos vinhos com ela elaborados.
Limitado a 35 Vagas. 
Local: FGV/Faculdade IBS - Av. Prudente de Morais , 444 | Cidade Jardim - Belo Horizonte.
Confirmação:
ariel@stellium.com.br
Valor do Investimento Individual: R$ 500,00 
Condições muito especiais para Sommeliers, Consultores, Gerentes de hoteis, restaurantes, Alunos ABS, SBAVianos.
Degustação de 13 Vinhos, entre eles: Vale do Maipo / Viña Pérez Cruz / Viña De Martino / Viña Tres Palacios / Vale de Cachapoal / Viña La Rosa / Viña Santa Carolina / Viña Maturana Wines / Vale de Colchagua / Viña Koyle / Viña Casa Silva / Viu Manent / Vale do Maule / Viña Casas Patronales / Viña J.Bouchon / Viña Valdivieso / Mais o Top Winemakers 50 Barricas Premium.

QUEIJOS E VINHOS


terça-feira, 25 de agosto de 2015

02 a 19.OUTUBRO.2015 - "ENOTRUFA CROÁCIA E ESLOVÊNIA COM AUSTRIA MUSICAL"

A Fonte de Onofrio foi construída na primeira metade do século XV pelo arquiteto Onofrio di Giordano della Cava, de Nápoles, e faz parte do sistema de abastecimento de água.
Para mais informações: http://goo.gl/JY3k4p

● 02 a 19.OUTUBRO.2015 - "ENOTRUFA CROÁCIA E ESLOVÊNIA COM AUSTRIA MUSICAL" - SAÍDA GARANTIDA. 23 INSCRITOS. ULTIMA VAGA AINDA DISPONÍVEL – A Croácia tem desde o século IV a.C longa tradição vinícola. Há 2 distritos vinícolas separados por uma cadeia de montanhas, Primorska (costa) e Kontenentalna (interior), com clima, solo e tipos de vinhos diferentes. Os vinhedos ativos estão aumentando graças á iniciativas como a organização Roots of Peace ("raízes da paz"), que vem removendo minas terrestres para fazer replantios. Apesar de pequena, a Eslovênia tem longa história na vitivinicultura. Sua tradição vinícola remonta há 2.400 anos. Os celtas e os ilírios já faziam vinho na região antes da chegada dos romanos. Na Idade Média, a bebida continuou sendo produzida por monges. A Eslovênia tornou-se independente no ano de 1991. A história do vinho na Áustria teve início pelas mãos dos celtas, que em 500 a.C. já cultivavam uvas para a produção da bebida. Os romanos deram continuidade ao trabalho, que quase foi dizimado na época das invasões bárbaras. Mais tarde, com a vinda de monges para a região – geralmente cistercienses da Borgonha –, as vinhas voltaram a florescer. Naquela época, as áreas de vinhedos eram 10 vezes maiores que as atuais e os rótulos austríacos largamente exportados. A primeira escola de viticultura e enologia da Áustria foi estabelecida em Klosterneuburg, nos idos de 1860. Hoje pode-se afirmar que o país produz alguns dos melhores Riesling e vinhos de sobremesa do mundo, especialmente botritizados, além de Pinots surpreendentes. País Natal de Wolfgang Amadeus Mozart, nascido em 27 de janeiro de 1756 na cidade austríaca de Salzburgo, pretendemos ouvir “in loco” uma de suas óperas importantes e de grande sucesso como “As bodas de Fígaro”, “Così fan tutte”, “A Clemência de Tito” e “A flauta mágica”. Venha e experimente, sinta, perceba e deguste!

INCLUI: Passagens aéreas de ida a Dubrovink e volta desde Viena ● 15 noites de acomodação com café e impostos, sendo 3 em Dubrovnik, 2 em Split, 1 em Plitvice, 3 em  Poreč, 1 em Gorizia, 2 em Ljubljana e 3 em Viena Café da manhã tipo buffet americano e impostos nas 14 noites no hotéis ● Carregadores 1 mala nos hotéis ● 13 refeições entre jantares e almoços com bebidas, alguns emvinícolas ● 3 Passeios de Barco –Ferry Ilha Hvar, Lago Bled e Danubio- ● 6 visitas com degustação a vinícolas, 3 na Croácia, 2 na Eslovênia e 1 na Austria ● 7 ativiades gastronômicas (AOVE, Ostras e Mexilhões, Caça a Trufa com Trifolao e Cachorro, Feira local da Trufa e produtos típicos da Istria, Chocolate com Flor de Sal, Presentos e Embutidos e Azeite de Semante de Abóbora) ● Ingressos a 2 atividades musicais em Viena, Jazz e Opera ou Concerto ● Visitas com ingressos dos Monumentos, Igrejas, Mosteiros, Castelos, Parque e Palácios ● Traslados nas cidades entre hotéis, aeroportos e as visitas em ônibus privativo ● Assistências de guias locais em castelhano ou português ● Acompanhamento desde BH do enófilo e consultor de vinhos Márcio Oliveira, Júri da ExpoVinis. ● Acompanhamento desde BH de guia operacional e consultor de viagens especializado em EnoGastronomia ● Completa apostila com informações do destino, regiões e produtores vitivinícolas visitadas.
VALORES: Terrestre: Euros 4.670,00 por pessoa em duplo. Pagamento facilitado com total até 25 AGO 2015. Aéreo: US$ 1.230,00 + Taxas no Cartão em 5 vezes. INSCRIÇÃO: R$ 2.500,00 – Faça-a de imediato. Solicite a sua Ficha de Inscrição. OBS:  Acréscimo para apartamento individual US$ 932,00 ● Número de participantes no grupo: Máximo 26 e Mínimo 22. MAIS INFORMAÇÕES, INSCRIÇÕES e RESERVAS: Na ZENITHE TRAVELCLUB. Consultoria e Operadora de Experiências EnoGastronômicas pelo Brasil e o Mundo. Belo Horizonte. TEL.: (31) 3225-7773 ● Contato: Kíssylla Mourão. fit4@zenithe.tur.br ● Solicite o seu programa detalhado dia por dia.  COM SAIDA GARANTIDA – RESTANDO 1 VAGA.