domingo, 27 de abril de 2014

OS 20 AFORISMOS DE BRILLAT-SAVARIN


OS 20 AFORISMOS DE BRILLAT-SAVARIN ” – Jean Anthelme Brillat-Savarin (1755-1826) é considerado o fundador da crítica gastronômica na França. Seu livro, A Fisiologia do Gosto, é um apanhado de memórias e meditações sobre temas que envolvem a comida e o gosto pelo comer. Com muito bom-humor, ele define os aforismos que devem reger o bem comer e o bem receber. Reproduzimos aqui estas pérolas, para o deleite dos amantes da arte culinária.
I - O universo só existe porque há vida, e tudo o que vive se alimenta.
II - Os animais se alimentam; o homem come; só o homem refinado sabe comer.
III - O destino das nações depende da forma como elas se alimentam.
IV - Diz-me o que comes e eu te direi o que tu és.
V - O Criador, ao obrigar o homem a comer para viver, convida-o com o apetite e recompensa-o com o prazer.
VI - A gulodice é uma decisão nossa, por meio da qual preferimos as coisas que são agradáveis ao gosto às que não têm essa característica.
VII - O prazer da mesa é de todas as idades, de todas as condições, de todos os países e de todos os dias; pode se associar a todos os outros prazeres e sobra como último para consolar-nos da perda dos outros.
VIII - A mesa é o único lugar onde nunca se sente tédio durante a primeira hora.
IX - A descoberta de um prato novo é mais importante para a felicidade do gênero humano do que a descoberta de uma estrela.
X - Os que ficam com indigestão ou bêbados não sabem nem beber nem comer.
XI - A ordem dos pratos é dos mais substanciais aos mais leves.
XII - A ordem das bebidas é das mais moderadas às mais fortes e perfumadas.
XIII - Não se mudar o vinho é uma heresia; a língua se satura e, depois do terceiro copo, o melhor dos vinhos produz apenas uma sensação confusa.
XIV - Uma sobremesa sem queijo é como uma bela à qual lhe falta um olho.
XV - A bom cozinheiro se chega, mas bom assador se nasce.
XVI - No cozinheiro, a qualidade indispensável é a pontualidade; deve sê-lo também do convidado.
XVII - Esperar demais por um convidado atrasado é uma falta de consideração para com os que estão presentes.
XVIII - A pessoa que convida seus amigos e não dá qualquer atenção pessoal à refeição que os espera não é digna de ter amigos.
XIX - A dona da casa deve sempre se assegurar de que o café servido será excelente; o dono, de que os licores serão de primeira categoria.
XX - Convidar alguém significa ocupar-se de sua felicidade durante todo o tempo em que estiver sob nosso teto.
Os animais pastam, os homem comem, mas apenas o homem de espírito sabe comer.

QUINTA DOS POÇOS RESERVA 2010 - VINHO DA SEMANA 172014



QUINTA DOS POÇOS RESERVA 2010 – Elaborado pela  Quinta dos Poços, na região do Douro/Portugal. Principais uvas: Tourigas Nacional e Franca, Tinta Roriz. Estagia por 12 meses em barricas de carvalho francês. Notas de Degustação: Cor rubi intensa. Aromas de fruta escura madura, com nota de café e ligeiro tostado. Os taninos presentes, mas não chegam a interferir no paladar, garantindo estrutura e prometendo longevidade na garrafa. Final prazeroso e longo. Ideal com pratos de carne, caças ou com queijos curados. Onde Comprar: CASA DO VINHO - End.: Loja Barro Preto - Av. Bias Fortes, 1543 – Barro Preto – Belo Horizonte (MG) - Tel: (31) 3337-7177 - Horário de funcionamento: de segunda à sexta-feira de 9h às 19h; aos sábados de 9h às 14h. Estacionamento gratuito com entrada pela rua Goitacazes, 1020, ao lado da loja. Loja Mangabeiras – Av. Bandeirantes, 504 – Mangabeiras – Tel: (31) 3286-7891 - Horário de funcionamento: de segunda à sexta-feira de 10h às 20h; aos sábados de 10h às 14h – Estacionamento gratuito em frente à loja. Blog: http://blogdacasadovinho.blogspot.com / Facebook: www.facebook.com/casadovinhobh Site: www.casadovinho.com.br 

quinta-feira, 24 de abril de 2014

RESULTADO DOS VINHOS PREMIADOS NO TOP TEN EXPOVINIS 2014



RESULTADO DOS VINHOS PREMIADOS NO TOP TEN EXPOVINIS 2014

A ExpoVinis Brasil 2014, maior feira de vinhos da América Latina, anunciou, no dia 22/4 os vencedores do aguardado concurso Top Ten, que a cada ano elege os melhores vinhos do evento em dez categorias: Espumante Nacional, Espumante Importado, Branco Nacional, Branco Importado, Rosado, Tinto Nacional, Tinto Novo Mundo, Tinto Velho Mundo (que pela primeira vez foi dividida nas subcategorias ‘Península Ibérica’ e ‘Itália, França, entre outros países do Velho Mundo’) e Fortificados e Doces.

São vinhos nacionais e importados, entre os rótulos mais importantes dos expositores, selecionados em degustações às cegas por especialistas nacionais e internacionais, profissionais do mundo do vinho, como Manoel Beato, sommelier do grupo Fasano, Jorge Carrara, da revista Prazeres da Mesa e site Basilico, e Suzana Barelli, da revista Menu. Ainda na lista de jurados José Maria Santana (revista Gosto), José Luiz Borges Alvin (ABS-SP), Ricardo Farias (ABS-Rio), Marcio Oliveira (SBAV-MG e Vinotícias), José Luiz Pagliari (SBAV-SP e Senac-SP), Celito Guerra (Embrapa-RS) e Roberto Gerosa (Blog do Vinho). Presidiram o júri do concurso os consultores José Ivan Santos (autor de importantes livros sobre o mundo do vinho – como ‘Conheça Vinhos’, escrito em parceria com Dirceu Vianna Jr), e Jorge Lucki – único membro brasileiro da tradicional Académie Internationale du Vin.

OS GANHADORES DO TOP TEN 2014 POR CATEGORIA:
 
Espumante Nacional: Grand Legado Brut Champenoise, da vinícola Gran Legado, região de Garibaldi/RS
Espumante Importado: Champagne Lanson Brut, do produtor Lanson, França
Branco Nacional: Pericó Vigneto Sauvignon Blanc, da Vinícola Pericó, Santa Catarina
Branco Importado: Boschendal Elgin Chardonnay, do produtor Boschendal, da África do Sul
Rosado: Remy Pannier Rose D’Anjou, do produtor Ackerman, Vale do Loire, França
Tinto Nacional: Guatambu Rastros do Pampa Tannat, do produtor Guatambu Estância do Vinho, região da Campanha Gaúcha
Tinto Novo Mundo: Casillero del Diablo Devil’s Collection, da Viña Concha y Toro, Vale do Rapel, Chile
Tinto Velho Mundo/Itália/França, entre outros: Le Vigne Di Sammarco Solemnis Primitivo Salento IGP, do produtor Le Vigne di Sammarco, região da Puglia, Itália
Tinto Velho Mundo/Península Ibérica: Scala Coeli, da Adega Alentejana, região do Alentejo, Portugal
Fortificados e Doces: Andresen Porto White 10 Years, do produtor Andresen, região do Douro, Portugal.

domingo, 20 de abril de 2014

DECANTAR OU NÃO !


DECANTAR OU NÃO! ” – Decantação: processo rápido de análise que permite separar dois líquidos não miscíveis, ou um sólido de um líquido; separação de fases por diferença de massa específica.
Decantar: ato da decantação, celebrar em cantos, celebrar.
Colhi estas informações no Dicionário da Língua Portuguesa de Aurélio Buarque de Hollanda Ferreira, porque muitas vezes considero que é melhor começar por tentar entender o que as palavras dizem.
No imaginário dos amantes do vinho, além das taças especiais que “desfilam” os aromas e sabores do vinho e dos saca-rolhas, que acabam criando longas coleções, nada há de mais surpreendente que um decantador, ou “decanter” – que são jarras de cristal (as vezes de vidro também), onde se coloca o líquido das garrafas de vinho. São acessórios de grande utilidade, que muita gente desconhece, e que acabam por fazer pensar que o vinho é uma bebida inacessível para os simples mortais, exigindo uma série de “frescuras” para entendê-lo. Isto está mais próximo de uma má interpretação nossa, do que do vinho em si, que no final das contas não tem nada de complicado, se soubermos usar o bom senso.
A primeira função da decantação é, portanto separar o vinho de eventuais depósitos que possam ter se formado no fundo das garrafas, especialmente quando tratamos de vinhos tintos guardados por alguns anos, ou de vinhos jovens não filtrados (que tem sido uma maneira mais recente de vinificar, buscando deixar o produto o mais natural possível!). Alguns vinhos com mais corpo e estrutura podem formar “borras” na medida em que envelhecem, vistas sob a forma de escuros grânulos ou massas disformes, que além de serem antiestéticos, tendem a turvar a bebida, além de serem grosseiramente amargos na boca.
Nesta situação a decantação é indicada e o procedimento é relativamente simples: procure não agitar demais a garrafa, especialmente se ela estava guardada deitada. Trate o vinho com carinho, manipule-o de modo que a borra não se misture e vá para o fundo da garrafa. Depois de abrir a garrafa vá despejando devagar e com cuidado no decanter até sobrar mais ou menos um dedo de vinho no fundo dela, pois é ai que a borra e resíduos tendem a se concentrar. Muitos puristas usam uma vela para avaliar se o líquido que cai no decanter contém ou não resíduos, mas normalmente isto não é necessário, fazendo muito mais parte do “mis-en-scene” para entreter os amigos ou a namorada, entusiasmada com o conhecimento enológico do amado. Para quem prefere equipamentos, há traquitanas como a da figura, peça típica de museu ou para decorar um bar.
Existe, entretanto uma segunda razão para decantar vinhos, especialmente aqueles tintos de grande estrutura, corpo e potencial de guarda. Eles podem se beneficiar muito com a decantação quando degustado ainda jovens. Como neste caso não há borra, basta verter o líquido da garrafa dentro do decanter, agitar um pouco a jarra e deixá-lo descansar por um pouco de tempo.
Este processo cria um “envelhecimento forçado” no vinho, agilizando sua “abertura”, intensificando aromas, que se tornam mais complexos, deixando o vinho mais apropriado para ser degustado. Um fenômeno semelhante com o do vinho que melhora ao longo do seu tempo de taça e que geralmente nos deixa fascinados por lembrar que o vinho é uma bebida viva.
Alguns jovens Barolos, Barbarescos, grandes espanhóis e portugueses, Bordeaux jovens, californianos, australianos, chilenos e argentinos de peso, de grande complexidade ganham muito com uma decantação de algumas horas antes de serem bebidos. Este tempo pode representar algo entre uma a doze horas, dependendo do tipo do vinho, e infelizmente não há uma tabela segura a ser seguida. Muita gente fala em 30 ou 40 minutos, mas não chega a ser um orientação segura.
Meu conselho: abra com pelo menos uma hora e vá degustando, sentindo e celebrando toda a experiência sensorial que o vinho pode dar. Já bebi chilenos que estavam perfeitos com uma hora de decanters e outros que pediram três horas para chegar no ponto. Numa degustação de Barolos, três horas foi pouco para eles se abrirem, e ao final de cinco horas alguns já estavam bons. Natural que isto não é sugerido para um almoço rápido ou uma noite onde haja propósitos mais imediatos; há momentos na vida nos quais degustar um bom vinho é aproximar-se com certeza de Deus!
Cuidado com vinhos velhos, pois a decantação tem por propósito livrá-los da borra, e já tendo atingido seu apogeu, estando suficientemente envelhecidos, não devem ficar muito tempo dentro do decanter sob pena de morrerem. Neste caso, o melhor é decantá-los pouco antes do serviço.
Vinhos do dia-a-dia geralmente não precisam ser decantados, primeiro porque são feitos para serem bebidos jovens, sendo suficientemente macios para consumo, tendo na sua frutuosidade e simplicidade o principal fator de preferência, além de raramente terem depósito.
Fundamental para alguns, o importante é lembrar que o vinho bebido como experiência sensorial deve dar prazer a quem o bebe, e o amante do vinho não deve se intimidar por taças especiais, saca-rolhas mirabolantes ou decanters cristalinos. Tudo tem o seu devido lugar, desde que se queira celebrar em cantos, ou simplesmente celebrar!

TORRES LATE HARVEST RIESLING 2003

VINHO DA SEMANA 162014 - TORRES LATE HARVEST RIESLING 2003 – A família Torres dedica-se à viticultura desde o século XVII, quando fundou sua empresa de vinho em 1870. Geração após geração, moldou a sua forma de trabalhar com foco em qualidade, sua personalidade e a missão da empresa.

Em 1979, Don Miguel Torres Carbó adquiriu uma pequena adega em Curico no Chile. Hoje, eles estão orgulhosos de ser a primeira empresa de investimento estrangeiro que optou pelo Vale Central do Chile, um paraíso de vinificação. Ao longo dos anos a Bodega cresceu  e tem atualmente uma área de mais de 400 hectares de vinhedos, de onde elabora todos os tipos de vinhos na Chile.
A Viña Miguel Torres é visitada anualmente por milhares de turistas nacionais e estrangeiros, que ficam maravilhados com um passeio de adegas, vinhas e sala de barricas.Nestas visitas pode-se provar os melhores vinhos da Bodeaga e desfrutar de restaurante requintado.
Um vinho amarelo com reflexos âmbares por conta da evolução. Mostrava muita fruta amarela madura, como damasco e flores de laranjeira. Na boca, surpreendeu pela acidez viva, mel, untuosidade e complexidade apaixonante. Longo e prazeroso. Onde Comprar: De VINUM – Contato em BH: Renato Gonçalves - (31) 9709-9266 e (31) 9953-9266. E-mail: renatovieiragoncalves@gmail.com

PERA MANCA BRANCO 2009

Vinho da Semana 16/2014 - PERA MANCA BRANCO 2009 – O Pera Manca Branco é um dos melhores vinhos brancos de Portugal. Estagia 18 meses em tonéis de madeiras com mais de 50 anos e capacidade de 3.000 litros. A marca Pera Manca existe há mais de 500 anos. Na época dos descobrimentos este vinho era exportado nas caravelas. Foi o vinho (tinto) que o Cabral serviu aos índios quando descobriu o Brasil. Pêra-Manca é a marca que a Fundação Eugênio de Almeida dedica aos seus vinhos de exceção. A sua qualidade é sobejamente conhecida, sendo um vinho de referência no mercado português e também nos mercados internacionais. De acordo com a tradição, o nome de Pêra-Manca deriva do toponímico “pedra manca” ou “pedra oscilante” – uma formação granítica de blocos arredondados, em desequilíbrio sobre rocha firme.

 A Adega Alentejana é quem importa o Pêra Manca Branco e o Pêra Manca tinto. Um vinho cheio de caráter, com ótima expressão aromática, mostrando aromas cítricos, notas de fruta amarela madura (pêssego), melão e ervas aromáticas. Na boca se mostra complexo e longevo de muito volume na boca. A madeira é presente, mas de forma discreta,  boa acidez e longo fim de boca. Uma parte do lote fermentou em barricas de carvalho francês e a outra em depósitos de inox. Onde Comprar: ADEGA ALENTEJANA- Contato: Edison Vieira - (31) 9903- 1474 / E-mail: edinhovsantos@ig.com.br