domingo, 26 de janeiro de 2014

O BRASIL $URREAL



O BRASIL $URREAL – Há cerca de 10 dias li num “O Globo” que estavam cobrando na praia, sob calor com sensação de 50ºC, coco gelado a R$ 6,00. Mas não parava nisto, o Misto Quente custava R$ 20,00 e um Hamburguer não saía por menos que R$ 40,00 !!!  Exageros a parte fiquei imaginando a situação que vai sendo “cristalizada” à espera da Copa do Mundo, para qual se espera uma invasão estrangeira de pessoas dispostas a conhecer o Brasil e gastar o que for necessário para provar uma caipirinha, uma feijoada, um tutu à mineira, seja a que preço for !. Será que vai ser assim mesmo ?
            No entanto, a população do Rio de Janeiro não ficou calada e usando as comunidades virtuais criadas no Facebook para denunciar preços absurdos, acabou pedindo o boicote a estas situações.
            Foi quando me vi à frente de Carta de Vinhos e Bebidas de restaurantes em Belo Horizonte onde a garrafinha de água mineral custa R$ 5 a R$ 6,00. Note-se que a mesma garrafinha custa R$ 1,59 na prateleira do Supermercado e nem um nem outro compra a este custo no fornecedor, pois os R$ 1,59 incluem a logística de distribuição interna pela Rede de Lojas, margem de ganho do lojista e tributação. Venhamos e convenhamos, vender uma garrafinha de água mineral de R$ 6,00 (cerca de 3 a 4 vezes o custo em prateleira) é caro para o consumidor, que aliás vai sumindo!
Mesmo que se possa argumentar que há o custo da compra, armazenagem, climatização, serviço, quebra de copos, salário do garçon, do maitre, tributação sobre a margem de lucro do restaurante, fica difícil de entender que haja casas que simplesmente ofereçam a água servida em jarra sobre a mesa gratuitamente !
            Preços de restaurantes tem sido constantemente alvo de críticas de pessoas amigas que se assustam com os gastos no final da noite ao pagarem a conta e verificam finalmente os custos de vinhos, dos pratos, da sobremesa, do cafezinho.
Na medida em que se presta mais atenção aos valores, descobre-se que a mesma cerveja custa R$ 5 ou R$ 8,00 (diferença de 33,3% a mais) na mesma Rua Francisco Sales. Falar sobre preços de vinho não vale a pena, pois cada casa usa um critério para valorizar seu produto, e sem dúvida, alguns restaurantes têm inovado, seja por permitirem que os clientes tragam seus próprios vinhos e paguem apenas uma taxa de serviço, ou paguem o mesmo preço que o vinho tem na prateleira da importadora.
A Associação de Bares e Restaurantes (Abrasel-MG) alega que o setor não repassou para a clientela todos os aumentos a que foram submetidos os estabelecimentos, de forma que o setor teve em média um faturamento 7% maior em 2013, em relação a 2012. Levando-se em conta a inflação em torno de 6%, o setor na realidade praticamente ficou com crescimento zero, o que traz insegurança e rsicos cada vez maiores ao setor, já que a Lei Seca também trouxe um efeito desastroso sobre os resultados comerciais dos restaurantes e bares, criando novos hábitos de consumo.
O tempo mostrará que a única saída será a criatividade para reinvindicar ou atender a  preços “normais” seja para o consumidor, seja para os restaurantes. Neste meio tempo, aproveite e cadastre-se no Facebook BH $urreal – NÃO PAGUE. No Rio de Janeiro, a repercussão das reclamações já fez os preços caírem 33%. A pergunta que não quer calar é se os preços voltariam simplesmente ao normal depois do final da Copa do Mundo.

DEGUSTAÇÕES AS CEGAS



“ DEGUSTAÇÕES AS CEGAS ” – A mini-série levada ao ar pela Rede Globo chegou ao fim, mas ainda tem fôlego para mais uma crônica, pois alguns leitores do VINOTÍCIAS enviaram mensagens pedindo mais explicações sobre as degustações as cegas.
É que comentei que, se Leandro cometeu algumas barbaridades como no primeiro capítulo oferecer um “espumante suave”, também despertou curiosidade o fato dele fazer uma degustação às cegas ocultando os rótulos e também os olhos dos participantes.
Não há necessidade de vendar os olhos dos participantes, pois além de ser um exagero com os pessoas à mesa, corre-se o risco de baterem as mãos em taças, jogando o vinho fora, quando não correm o risco de quebrá-las.
As degustações às cegas são comuns na vida do enófilo e há anos que são o comum em todos os meus eventos, pois via de regra cria a oportunidade de estimular as avaliações sensoriais dos participantes.
Uma degustação às cegas é nada mais que provar um vinho sem saber exatamente qual o rótulo está sendo provado. Sendo assim, existem várias maneiras de realizá-las, porém o objetivo básico é sempre o mesmo, degustar o vinho livre de preconceitos, de alguma idéia pré-concebida contra uma uva, ou uma região produtora, ou mesmo um estilo de vinho.
Antes da degustação pode-se declarar o tema que será provado, ou mesmo os rótulos que serão degustados, e em seguida as garrafas são cobertas com papel alumínio, ou sacos de papel ou plástico que vede sua identificação, e as garrafas são servidas em ordem aleatória.
Há ainda um formato mais complicado (chamado de “duplamente às cegas” por alguns puristas), nas quais, nem mesmo o tema ou os rótulos são apresentados ou conhecidos. É sempre mais difícil realizar este tipo de degustação, mas nem por isto deixa de ser usada. Frequento há anos uma Confraria na Casa do Vinho, em Belo Horizonte, onde a técnica desenvolvida pelo Armando Martini é esta, e não há dúvida que além de estimulante, aguça muito mais a curiosidade e o conhecimento dos participantes.
Se você pretende aprofundar-se no mundo do vinho, deixando as provas de vinhos mais interessantes e didáticas, você pode começar organizando degustações às cegas temáticas, como da Chardonnay pela América do Sul, ou Cabernet Sauvignon no Novo Mundo.
A diversidade de temas é enorme. Basta dizer que realizo degustações há mais de 20 anos e o assunto nunca se esgota. Pelo contrário, só melhora e aguça nosso interesse em buscar mais informações e conhecimento.
Para começar, é muito fácil e criar o processo sob forma de jogo, peça para os amigos levarem uma garrafa de determinada casta ou região, aluminize as garrafas enrolando-as em papel alumínio e sirva-as em ordem aleatória. Anote as considerações de cada um e tentem descobrir qual é região produtora, se o vinho é de clima quente, ou frio, se passou por barrica de carvalho ou não e assim por diante !
Cada pergunta levará a considerações e o grupo cresce nestas discussões em torno dos vinhos servidos.
Claro que no mercado existem capas de tecido próprias para recobrir garrafas, mas o alumínio acaba sendo bem simples, permitindo inclusive colocar as garrafas no gelo para climatiação e serviço na temperatura adequada, sem estragar a rotulagem das garrafas.
O importante e nunca esquecer de numerar a sequência servida, para no final verificar quem acertou mais !
Para quem quiser “esconder” a cor do vinho, esclareço que há taças de cristal negro para criar dificuldades para degustadores mais experimentados. Nelas é possível servir vinhos brancos que têm muitas características de tintos... Como a taça é negra, não se sabe que vinho na realidade está sendo bebido.

COVA DA BEIRA BRANCO E ROSE


Vinhos da Semana 03/2014
COVA DA BEIRA BRANCO E ROSE – uma verdadeira “dupla dinâmica”. COVA DA BEIRA BRANCO 2012 - Para quem quer um branco leve, com aromas de fruta branca, toque cítrico e floral este vinho criado a partir da Arinto (35%), em corte com Fonte Cal (35% prox.) e 30% Síria (aproximado) é um achado. Na boca mostra-se macio, com boa acidez, evoluindo para frutas brancas e secas (nozes e castanha) - R$ 33,00. COVA DA BEIRA ROSE 2012 – um vinho rose claro, de cor límpida e estimulante. Feito a partir das castas Aragonez (Tempranillo), Trincadeira e Touriga Nacional, resulta em aromas delicados de frutas frescas vermelhas (morango, framboesa). Na boca mostra-se macio, com boa acivez e frescor, confirmando as frutas frescas vermelhas. Fim de boca longo e muito agradável. Fácil de gostar e beber. R$ 29,00. Preços indicados para garrafas de 750 ml. Onde: VAN DAMME VINHOS - Rua Guajajaras, 450 - Centro – 30180-100 I Belo Horizonte - MG – Tel.: (31) 3274-7310 ou (31) 3274-7317.  Site: www.vandammevinhos.com.br

11 e 18.FEV.2014 – 3ª.feiras – 20:00 hs – BH / CURSO DE INFORMAÇÃO BÁSICA DE VINHOS -



11 e 18.FEV.2014 – 3ª.feiras – 20:00 hs – BH / CURSO DE INFORMAÇÃO BÁSICA DE VINHOS - Uma verdadeira viagem enogastronômica e histórica, conduzida pelos aromas e sabores do vinho, onde o roteiro tem início e não tem ponto para terminar!. Descomplicando o tema, o curso desenvolve os sentidos para a degustação com mais propriedade das características do vinho. Duas aulas sobre a história do vinho, os principais países produtores e as uvas mais emblemáticas. Aprenda a degustar corretamente o vinho, descrevê-lo, armazená-lo, escolher a taça correta e a interpretar rótulos de forma simples e descomplicada. No Curso Básico de Informações de Vinhos você fará um passeio pelos países produtores mais importantes, as características de cada variedade de uva, tipos de taças, as rolhas, temperatura ideal de armazenamento e consumo, decifrando os diferentes rótulos, introdução à harmonização.  Assuntos desenvolvidos: História do Vinho, Principais Castas Viníferas e Uvas, O Vinho e sua Elaboração, Tipos de Vinhos (brancos, tintos, rosés, espumantes e fortificados). O enólogo, o Sommelier e o Enófilo. Análise Sensorial do Vinho, Avaliação Visual, Avaliação Olfativa, Avaliação Gustativa, Avaliação Global. Técnicas e Tipos de Degustações. Guarda e Serviço do Vinho. Acessórios do Vinho. Formação de Adegas. Harmonizações de Vinho e Comida. Principais Regiões Produtoras. Degustações Orientadas. Críticos, Guias, Revistas de Vinhos e Notas. Ficha de Avaliação - Reservas pelo Tels.: 8839-3341 (Márcio Oliveira).  Valor Individual: R$ 350,00 - Local: Rua Dominicanos, nº 165- Sl.605 - Serra - Belo Horizonte. Horário: 20:00 horas.  Participante recebe apostila “Mundo do Vinho” e degusta no mínimo 12 vinhos diferentes (6 a cada Encontro). Datas e programas passíveis de alteração. Todos os Eventos de Vinhos do Márcio Oliveira são para maiores de 18 anos.

29.JAN.2014 – 4ª.feira – 20:00 hs – BH – DEGUSTAÇÃO DE VINHOS TOPS DE 2013 PARA BEM COMEÇAR 2014



29.JAN.2014 – 4ª.feira – 20:00 hs – BH – DEGUSTAÇÃO DE VINHOS TOPS DE 2013 PARA BEM COMEÇAR 2014O que pode ser melhor do que começar um ano de degustações compartilhando taças dos melhores vinhos de 2013? Vinhos da Degustação: Cave Geisse Terroir Brut Nature. Champagne Dom Perignon 1999. Catena Malbec Adrianna 2005.  Finca Bella Vista Achaval Ferrer 2007. Clos Apalta 2009. De Martino Cinsault Viejas Tinajas 2012. ● Santa Rita Casa Real 2010. ● Abandonado 2009. Vega Sicilia Valbuena 1997.  Barolo Pio Cesare Ornato 2004.  - Reservas pelo Tels.: 8839-3341 (Márcio Oliveira).  Valor Individual: R$ 550,00 (podendo ser pago em duas parcelas, através de cheques)Apenas 10 Vagas - Local: Rua Dominicanos, nº 165- Sl.605 - Serra - Belo Horizonte. Horário: 20:00 horas.  Datas e programas passíveis de alteração. O evento somente acontecerá havendo 10 inscrições com depósito prévio da primeira parcela. Os Eventos de Vinhos do Márcio Oliveira são para maiores de 18 anos.