domingo, 30 de dezembro de 2012

AINDA DÁ TEMPO DE ESCOLHER SEU ESPUMANTE PARA O REVEILLON






AINDA DÁ TEMPO DE ESCOLHER SEU ESPUMANTE PARA O REVEILLON - Escolha o espumante que cabe no seu bolso para o Ano Novo. Cinco sommeliers de BH dão dicas de boas bebidas em três faixas de preço. Foi convidado para uma festa de réveillon e não quer chegar de mãos abanando? Relaxe. Ainda dá tempo de comprar um bom espumante para comemorar a chegada de 2013. Para você não fazer feio, conversamos com cinco sommeliers de Belo Horizonte, que sugeriram garrafas em três faixas de preço: até 50 reais, entre 50 e 150 reais e mais de 150 reais. São bebidas que oferecem bom custo-benefício e ficam perfeitas na taça para brindar o Ano Novo no dia 1º. Confira as dicas abaixo e boa festa!

André Martini - Casa do Vinho Famiglia Martini
● Até R$ 50,00: Iris Terre Casonato Rosé Brut (Itália)
"Uma boa pedida para a beira da piscina, pois é de fácil harmonização e bem refrescante, com bolhas bem finas".
● Entre R$ 50,00 e R$ 150,00: Les Faîtières Cremant d'Alsace (França)
"É de uma região da França que produz espumantes com uma delicadeza característica. É gentil e redondo ao se tomar."
● Mais de R$ 150,00: Champagne Pierre Gimonnet Cuis 1er Cru Brut (França)
"É de uma parte da região de Champagne famosa por suas uvas brancas. Tem vivacidade agradáel, com leveza, delicadeza e boa acidez".

Antônio Guido - Royal Vinhos
● Até R$ 50,00: Espumante Casa Valduga Arte Brut (Brasil)
"Feito com uvas chardonnay e pinot noir, ele fica doze meses em contato com as leveduras, tem frescor e boa estrutura."
● Entre R$ 50,00 e R$ 150,00: Cava Raventós i Blanc Reserva Brut (Espanha)
"É um cava espanhol típico, produzido no método tradicional. Mistura as uvas macabeo, xarel-lo e parellada."
● Entre R$ 50,00 e R$ 150,00: Champagne Barnaut Grande Réserve (França)
"À base de chardonnay e pinot noir, ele é suave e tem boas acidez e estrutura."
Cláudia Ferrari - Buffet Flamb'art
● Até R$ 50,00: Vichon Crémant de Limoux (França)
"É um espumante, delicado e leve, com um custo-benefício interessante"
● Entre R$ 50,00 e R$ 150,00: Casa Valduga 130 Brut (Brasil)
"É ideal para comemorar, pois não pede nenhuma comida especial. É bem delicado e frutado."
● Entre R$ 50,00 e R$ 150,00: Ferrari Perlé Nero Brut 2004 (Itália)
"Ele é safrado e delicioso. Acompanha bem frutas secas, amêndoas, frutos do mar e outras comidinhas do fim de ano."

Flávio Oliveira - Casa Rio Verde
● Até R$ 50,00: Adolfo Lona Brut Rosé (Brasil)
"Já foi eleito duas vezes o melhor espumante rosé brasileiro. Tem leveza, frescor e harmoniza com uma variedade grande de pratos, de entradas leves a peixes."
● Entre R$ 50,00 e R$ 150,00: Bailly-Lapierre Crémant de Bourgogne Réserve Brut (França)
"É envelhecido por dois anos na garrafa. Esse tempo dá uma complexidade aromática que o deixa agradável, arredondado e fácil de ser degustado. Não faz feio quando comparado a um champanhe".
● Entre R$ 50,00 e R$ 150,00: Orus Rosé Pas Dosé (Brasil)
"É feito com as uvas chardonnay, pinot noir e merlot. Tem sutileza e elegância, um gosto muito persistente que é ao mesmo tempo vigoroso e delicado."

Nelton Fagundes - Enoteca Decanter
● Até R$ 50,00: Bossa Brut Nº 1 (Brasil)
"Feito na Serra Gaúcha, é bem refrescante e de sabor delicado, ideal para acompanhar as festas de fim de ano."
● Entre R$ 50,00 e R$ 150,00: Ferrari Maximum Brut (Itália)
"É italiano, mas não tem nada a ver com o carro. Feito com uvas chardonnay, passa por 36 champanhe".
● Entre R$ 50,00 e R$ 150,00: Champagne Barnaut Grande Réserve (França)
"É o top de uma família feito só com vinhas sofisticadas". (Fonte – VEJABH - João Renato Faria | 26.12.2012)

AS CALORIAS DE CADA DOSE DE BEBIDA NESTE FINAL DE ANO


SAIBA QUANTO CADA DOSE DE BEBIDA REPRESENTA EM CALORIAS – Muita gente acredita que é a azeitona da empada que joga a dieta por água abaixo, sem avaliar realmente o quanto cada um consome no que bebe durante as festas de Final de Ano, ou mesmo no dia-a-dia.






CALORIAS DAS BEBIDAS NO FIM DE ANO








ID
O QUE
DOSE
CALORIAS
1
VINHO TINTO
150
          108
2
VINHO BRANCO
150
            99
3
CHAMPAGNE
150
          106
4
CIDRA
150
            83
5
VODCA
150
          473
6
CAIPIRINHA
150
          225
7
WHISKEY
150
          420
8
MARGARITA
150
          220
9
CACHAÇA
150
          324
10
CERVEJA
150
            61
11
MARTINI
150
          107
12
SUCO DE LARANJA
150
            87
13
SUCO DE ABACAXI
150
            83
14
REFRIGERANTE COLA
150
            51
15
REFRIGERANTE GUARANÁ
150
            59
16
AGUA DE COCO
150
            33
17
LIMONADA C/ ADOÇANTE
150
            19
18
CHÁ MATE
150
              5





(Fonte – Ig)

segunda-feira, 24 de dezembro de 2012

VINOTICIAS E VOTOS DE UM FELIZ NATAL EM 2012


HARMONIZAÇÕES DE NATAL E FINAL DO ANO


HARMONIZAÇÕES DE NATAL E FINAL DE ANO – Atendendo a pedidos reproduzimos aqui as sugestões para as harmonização para natal e Festas de Final de Ano.

HARMONIZAÇÕES COM PORCHETA ALLA ROMANA NO FINAL DE ANO

PORCHETTA ALLA ROMANA: O leitão desossado é conhecido como Porqueta Romana. Temperado e semi-cozido, bastando apenas levar ao forno, com temperatura alta, por uma hora, para que termine o cozimento e fique crocante, é assado inteiro e recheado de iguarias italianas (presunto crú, lombo,etc...) e condimentos, só mesmo saboreando para saber como é essa delícia. A Porchetta Romana, um prato típico da Itália. A sugestão é acompanhá-lo com vinhos tintos italianos, a base de sangiovese, como um bom chianti ou um supertoscano.

Sugestões de Vinhos (as safras disponíveis poderão variar):
- Rubizzo 2010 Rocca delle Macie – Itália: Rubi intenso e límpido. Aromas vibrantes de cereja e amora, temperados por violeta e leve fundo especiado. Boca esbanjando maciez, com taninos orquestrados a uma acidez vivaz. Importado pela DECANTER.

- Ser Gioveto 2008 Rocca delle Macie – Itália: Rubi intenso. Complexo no nariz, com ameixa seca, couro e húmus. Sólido em boca, com taninos elegantes corroborados por acidez vibrante. Fim-de-boca com agradável nota de amêndoa amarga. Importado pela DECANTER.

- Poggio al Casone Chianti Superiore Riserva 2009 – Toscana – Itália: um vinho criado a partir de 95% Sangiovese - 5% Cabernet Sauvignon, colhidas manualmente nos históricos vinhedos situados nas colinas de Pisa. Vinho complexo no aroma e macio na boca, com toques de chocolate amargo, amêndoas torradas, morango e cerejas pretas. Maturação: 24 meses em grandes barricas de carvalho. Importado pela CASA DO VINHO.

- La Rasina Sangiovese IGT 2008 – Toscana – Itália: Um vinho 100% Sangiovese, complexo no aroma e macio na boca, com toques de chocolate amargo, amêndoas torradas, frutas vermelhas maduras e cerejas pretas. Excelente custo-benefício. Importado pela CASA DO VINHO.

- Poggio Argentiera ai Ginepri Bolgheri DOC 2009 – Toscana – Itália: Cor rubi intenso e profundo, com relexos violeta. Ao nariz se apresenta muito intenso e de bom frescor, com aromas de frutas maduras, cítricos e leve notas herbáceas. No palato é redondo, complexo, sem adstringência. O final é herbáceo e mineral, com notas de alcaçuz e um retrogosto prazerosamente frutado. Importado pela PREMIUM.

HARMONIZAÇÕES COM LEITÃO NAS FESTAS DE FINAL DO ANO

LEITÃO: Em várias culturas ocidentais não pode faltar um leitãozinho assado à mesa em festas como Natal. Sua carne rosada é magra e macia. Dependendo da raça, e tempo de vida e abate (no mínimo recomenda-se 21 dias, nos quais o leitão é alimentado apenas com leite), o peso varia de 3 a 6 quilos. Ele está presente à mesa de vários países com nomes sugestivos quanto à sua dieta, como cochon de lait ou porcelait, na França; sucking ou sucking pig nos países de língua inglesa; porcellino ou maialino di latte na Itália; e cochinillo ou tostón nos países de língua espanhola. Os temperos típicos são o alho, louro, alecrim, pimentas, vinagre, limão, vinho e deve apresentar a pele crocante. No Brasil, uma das formas de preparo é à pururuca, que pode ser feito com qualquer leitão, mas fica melhor ainda se for pequeno, pois o calor assa a carne de maneira uniforme, deixando-a macia e suculenta, em contraste com a pele tostada e crocante.

Se, na maioria dos casos, o leitão passa uma noite em marinada aromática, em Segóvia, na Espanha, o cochinillo leva apenas sal, o que pressupõe um produto de ótima qualidade, pois não haverá tempero forte a mascarar o sabor natural. Ele é assado lentamente na brasa (de preferência). Recheado ou não, desossado ou cortado em pedaços, o leitãozinho pode ser assado de vários modos, com temperos e acompanhamentos diferentes. Em alguns fornos, os leitões são enfiados num espeto e o seu interior é banhado com o molho feito com muito alho, pimenta branca, banha e sal. Em alguns fornos os leitões são assados em formas. Retirado o leitão para fora do forno, o excesso do molho é escorrido por um dos orifícios feitos pelo espeto (boca e rabo). Na hora de ser servida, a iguaria é banhada com esse suco, o que confere um sabor extraordinário. Que vinho harmonizar com este prato untoso? A dica fica por conta da acidez e tanicidade. Boa opção para vinhos da casta Baga ou da Tannat.

Sugestões de Vinhos (as safras disponíveis poderão variar):
- Luis Pato Baga 2009 -Bairrada – Portugal: O tinto Luis Pato é o tradicional Bairrada da casa, proveniente da cepa Baga, de vinhas próprias. É envelhecido em pipas de 650 litros de carvalho francês, o que lhe confere maior equilíbrio e maciez. Trata-se de um vinho de excelente relação qualidade/preço, muito aromático, saboroso e com taninos marcantes, mas redondos. Recomendação imperdível para Leitão, mas acompanha muito bem carnes vermelhas, caça e bacalhau. Importado pela MISTRAL.

- Bairrada 2009 Casa de Saima – Portugal: Rubi intenso e concentrado. Aromas de fruta escura, sob tons florais e resinosos (eucalipto). Boca macia, sápido, com taninos presentes e muito bem integrados ao conjunto. Importado pela DECANTER.

- Bouza Tannat 2009 – Uruguai: Coloração púrpura intensa. Excelente expressão de frutas vermelhas maduras, em particular ameixas e groselhas, além de tons de café e alcaçuz. Enche a boca com taninos firmes e ótimo frescor. Importado pela DECANTER.

HARMONIZAÇÕES PARA PERU NAS FESTAS DE FINAL DE ANO

PERU: a carne branca e de sabor suave vai bem com um tinto com pouco tanino ou até um branco encorpado de aroma mais intenso. Se a receita tiver um molho adocicado, por exemplo, um bom caminho é um branco da uva chardonnay. O Peru de Natal também vai bem com espumantes e brancos estruturados. Um Chardonnay talvez seja a escolha mais prática, com toques frutados que combinam com as frutas que costumam acompanhar o peru, como pêssegos, damascos e outras do mesmo tipo. Entretanto, um vinho com taninos suaves e fundo de boca frutado, pode valorizar a carne e os acompanhamentos, no caso dos tintos opte por um Pinot Noir, Malbec ou Syrah não fará feio. A minha sugestão fica por conta de um bom Tempranillo.

Sugestões de Vinhos (as safras disponíveis poderão variar):
- Catena Alta Chardonnay 2010 -  Mendoza – Argentina: O fato de o vinho ficar alguns meses na barrica o torna extremamente aromático e com bom peso na boca. Isto possibilita uma combinação harmoniosa junto ao sabor do peru e o adocicado de alguns molhos e purês à base de frutas, como maçã. O vinho é importado pela MISTRAL.

- Piodilei Chardonnay 2009 – Piemonte – Itália: De um pequeno vinhedo em Barbaresco vem as uvas, colhidas sempre bem maduras, para este vinho, um dos grandes brancos italianos. Intenso e rico no nariz, com notas de pêssego, abacaxi, especiarias e amêndoas. Na boca, tem boa estrutura, é macio, fresco e persistente. De certa forma, pela grande elegância, lembra um Mersault. O vinho é importado pela DECANTER.

- Amayna Chardonnay 2009 – Vale de San Antonio - Chile : Um grande Chardonnay produzido na fria região de San Antonio, talvez a mais entusiasmante descoberta no Chile para brancos de grande finesse. Muito sofisticado e elegante, mostra muita classe e ótima presença de boca. Para Parker, que o classificou com 91 pontos, "é uma revelação para os Chardonnay chilenos". A safra 2006 foi surpreendente: Robert Parker concedeu 93 pontos ao vinho e a Decanter: declarou-o como "Melhor Branco do Novo Mundo". O vinho é importado pela MISTRAL.

- Château Rives Blanques Chardonnay du Domaine 2011 – Languedoc – França: é um vinho produzido na região de Limoux/Languedoc, na França. É feito com um corte de 90% Chardonnay e 10% Chenin Blanc. Um vinho feito sob práticas amigas do meio ambiente. Um vinho limpo, fresco e gostoso de ser bebido, especialmente nestes dias muito quentes. Foi escolhido por Andreas Larsson (melhor sommelier do mundo) um dos melhores brancos Vins de Pays d'Oc. "A safra 2011 é o ano de Limoux" diz a Revue du Vin de France, a mais respeitada revista de vinhos da França. O vinho tem uma cor amarelo clara. O nariz denota uma boa acidez, mostrando frescor, aromas de cítrico (algo de flor de laranjeira), sumo da casca de limão, maçãs e peras frescas, numa ótima complexidade, que estimulam a bebê-lo com prazer. Toques de ervas e canela adicionam uma nota agradável e saborosa. O paladar é rico, refrescante e repleto de fruta fresca a madura, com suaves sabores cítricos. Bela acidez e mineralidade. Os 10% de Chenin Blanc realmente fazem toda a diferença para a estrutura deste vinho, dando-lhe um frescor especial. O vinho é importado pela CASA DO VINHO.

HARMONIZAÇÕES COM PEIXES NAS FESTAS DE FINAL DO ANO

PEIXES: para os peixes de água doce que muitas vezes podem ter sabor mais acentuado e mais gordura, champagne ou espumante. Mas se a opção de pescado for um salmão defumado ou acompanhado de algum molho especial, um espumante rose irá muito bem, com uma boa acidez, ou até mesmo um tinto mais leve e frutado. Brancos da uva sauvignon blanc também são boas escolhas para os pescados.
Sugestões de Vinhos (as safras disponíveis poderão variar):

- Mapema Sauvignon Blanc 2011 – Mendoza - Argentina: Mapema é o empolgante projeto pessoal de Pepe Galante com Mariano di Paola, responsável pelos tradicionais vinhos da Familia Rutini. Elaborado com uvas de vinhas de quase 30 anos de idade, plantadas em pé franco a quase 1.200m de altitude, é um branco intenso e fresco, com cativantes notas florais. Uma pequena parcela do vinho (8%), é maturada em barricas de carvalho de segundo uso, deixando o branco mais exuberante e complexo. Um grande achado. Provavelmente a melhor relação custo-benefício entre as sugestões. Vai bem com Aperitivo, atum grelhado, robalo, vieiras grelhadas ou frango assado. Importado pela MISTRAL.

- Château Rives Blanques Cuvée de Odyssée Chardonnay 2011 é um vinho produzido na região de Limoux/Languedoc, na França. É feito com uvas Chardonnay. Um vinho feito sob práticas amigas do meio ambiente. "A safra 2011 é o ano de Limoux" diz a Revue du Vin de France, a mais respeitada revista de vinhos da França. Uvas colhidas a mão, dos melhores vinhedos. Um vinho de cor amarela intensa. Aromas de frutas frescas e cítricas maduras, maçã vermelha madura, pêssego e nectarina, nota amanteigada e de baunilha. O carvalho está bem integrado e sutil, mostrando-se como um vinho branco deslumbrante, de excelente equilíbrio e várias camadas de aromas e sabores. Lembra flor branca no final. O paladar de médio corpo é cremoso com notas tostadas, especiarias doces como baunilha e canela. No retro-gosto mostra amêndoas e nozes. Intenso, complexo e uma bela dica para o verão. Importado pela CASA DO VINHO

- Espumante Veuve Paul Bur – França: vinho cristalino, com suaves toques amarelados e pérlage fino e persistente. Para festas, é uma excelente opção de espumante importado sem abusar no preço. Importado pela ZAHIL, representada em BH pela REX-BIBENDI.

- Espumante Veuve de Vernay – França: vinho cristalino, com ótimo perlage, fino e persistente. Para festas, é uma excelente opção de espumante importado sem abusar no preço. Importado pela PORTO A PORTO e CASA FLORA – pode ser encontrado no MARTPLUS.

- Iris Prosecco Grand Cuvèe Gold – Vêneto/ Itália: 100% Glera (Prosecco). Cor amarelo pálido; mostrando aroma fresco, aromático e delicado. Um vinho alegre, agradável e elegante. Excelente aperitivo. Importado pela CASA DO VINHO

- Iris Prosecco Gold DOC Brut - Vêneto/ Itália: 100% Glera (Prosecco). Cor amarelo pálido; com aroma fresco, aromático com sabor aveludado e fundo de amêndoas. De paladar fresco, agradável e elegante. Excelente aperitivo. Sparkling & Foods: "Do vinhedo histórico Trevigiano, é ideal com pratos mediterrâneos a base de massa, arroz, peixe, carnes brancas e queijos. Deve ser servido de 7 a 9 graus para exaltar sua perlage persistente e seu sabor frutado". Importado pela CASA DO VINHO.

- Prosecco Brut Sacchetto – Vêneto / Itália: Fresco, elegante e equilibrado. Saboroso e cheio de fruta, é um vinho que desce fácil e apresenta uma excelente relação qualidade/preço!  Importado pela MISTRAL.

- Prosecco Extra Dry VSAQ Bedin – Vêneto / Itália: Amarelo-palha muito claro, brilhante, com perlage fino, numeroso e persistente. Delicadamente aromático, com flores brancas, cítricos e fruta de polpa branca. Cremoso e dissetante, com ótimo equilíbrio frescor-maciez. Importado pela DECANTER.

- Cava Cristalino – Penedés / Espanha: espumante espanhol muito elogiado pela crítica, que o considera um “best buy”. Na realidade, o Cava Cristalino tem um preço bom e este é provavelmente o seu melhor atributo. Coloração amarela palha, com boa perlage. Aroma de frutas como maçã verde e pêssego; no paladar tem um intenso frescor. Pode ser encontrado nas lojas e supermercados.

- Cava Freixenet Cordon Negro – Penedés / Espanha: Cava leve muito apreciado por seu grande frescor. O elevado teor da uva Parellada no corte e a fermentação com temperatura controlada de 12 ºC lhe conferem aromas finos e intensos, predominando de frutas cítricas e amarelas (damasco). Sua coloração é amarelo palha e brilhante. Borbulha, fina e persistente, formando uma excelente coroa. Tem paladar leve e com nota elegante. Ideal para acompanhar frutos do mar, risotos e carnes brancas. Pode ser encontrado nas lojas e supermercados.

- Cava Reserva de la Musica Brut Nature 2008 Jané Ventura – Penedés / Espanha: Excelente cava elaborada por Jane Ventura, grandes conhecedores do tema. No nariz apresenta muita fruta citrica e flores brancas. Na boca, mostra um carbonico elegante e agradavel. Este cava por ser um Brut Nature é bem seco, perfeito para acompanhar os mais variados tipos de comida!  Importado pela MISTRAL.

- Cava Raventós i Blanc Gran Reserva Brut 2005 – Penedés / Espanha: Amarelo-palha com reflexos verdeais, brilhante, bolhas muito finas e numerosas. Aroma complexo e fino, com avelãs e amêndoas, brioche e mel, frutas cristalizadas e laivos herbáceos. Potente e cremosa, vibrante, longo final tostado. Importado pela DECANTER.

- Pierre Gimonnet & Fils 2004 1er Cru Gastronome - Champagne – França : Vinhedos situados em Cuis, na Côte des Blancs, Olivier e Didier Gimonnet só trabalham com uvas colhidas em seus próprios vinhedos Premier e Grand Cru. A maior parte das vinhas tem entre 40 e 86 anos.  Wine Spectator: 89pt. Champanhe poderoso, complexo e consistente, com aromas de frutas e posteriormente de brioche, na boca é fresco e cheio de aromas prolongados e ótima persistência. Uma excelente combinação gastronômica. Importado pela CASA DO VINHO e PREMIUM.

- Pierre Gimonnet & Fils NV - Champagne – França : Champanhe básico da linha, muito bem feito, com aromas de frutas brancas. Na boca é fresco e cheio de aromas prolongados e ótima persistência. Importado pela CASA DO VINHO e PREMIUM.

- Champagne Drappier Carte d'Or – França: Espumante fresco e aromático, é quase um Blanc de Noirs, produzido quase totalmente com Pinot Noir, o que lhe dá reflexos rosados. Importado pela ZAHIL, representada em BH pela REX-BIBENDI.

- Casa Valduga Arte Brut - Brasil. Cor amarela palha, bem clara. Ótima perlage, abundante e persistente. Aroma jovem e fresco, de boa intensidade, baunilha, fruta branca (maçã) e amarela (damasco). Paladar fresco e cremoso, com boa presença do gás carbônico na língua, acidez marcada, muito bem equilibrado, boa relação qualidade-preço.

- Cave Geisse Brut - Vinícola Geisse - Brasil. Elaborado com 70% chardonnay e 30% pinot noir pelo método tradicional. Reconhecido como um dos principais espumantes do Brasil, vem consolidando cada vez mais sua presença no mercado dos produtos diferenciados e exclusivos, demonstrando a consistência de sua qualidade e a incessante busca pelo aprimoramento. Extraindo o máximo das virtudes dos altos da Serra Gaúcha na Indicação de Procedência Pinto Bandeira, já apontado como um dos grandes terroirs para elaboração de espumantes. Possui bela cor amarelo palha, com reflexos esverdeados. Sua perlage e fina e persistente. No olfato, delicada mistura de frutas secas como damasco e amêndoa. Na boca, acidez agradável e boa persistência. Paladar estruturado por ótima acidez, seco, sério, boa cremosidade, bem equilibrado.

- Espumante Cave Geisse Blanc de Noir  2009 – Brasil: Este espumante é a escolha do melhor vinho base Pinot Noir da safra 2009, selecionado às cegas por nosso painel de degustação.  Coloração amarelo dourado com  perlage persistente.
No nariz mostra elegantes notas de especiarias, café, baunilha, com toque sutil a torrefação e frutas vermelhas. Paladar rico e cremoso, demonstrando toda elegância e sofisticação da uva Pinot Noir. Amadurece por 28 meses. Muito elegante.

- Espumante 130, Casa Valduga – Brasil: Elaborado com chardonnay e pinot noir pelo método tradicional, com 10 gramas por litro de açúcar residual. Amarelo dourado claro e brilhante, ótima perlage, pequena e abundante. Aroma de bom ataque, com boa complexidade, frutas maduras, frutas cristalizadas, mel, leveduras, baunilha, mel. Paladar de bom corpo, cremoso, com boa acidez, longo, já é excelente, mas acho que ficaria mais fino e equilibrado com 1 ou 2 gr de açúcar a menos. Nota: 88 pontos de Marcelo Copello.

- Espumante Salton 100 anos – Brasil: Elaborado com chardonnay e pinot noir (dominante) pelo método tradicional, sem dosagem, com 3 anos de autólise. Cor mais dourada, com ótima perlage. Aroma intenso e fresco, com brioches, baunilha discreta, cítricos, mel, nozes. Paladar intenso, de acidez elevada, ainda deve evoluir em garrafa, está novo. Nota: 89 pontos de Marcelo Copello.

- Miolo Millesime Brut 2009 – Brasil: Elaborado com chardonnay e pinot noir pelo método tradicional, com 9 gramas por litro de açúcar residual. Cor entre palha e dourado, com boa perlage, pequena e abundante. Aroma intenso, frutado, com baunilha, abacaxi. Paladar cremoso, boa acidez, sente-se a dosagem de açúcar, bem equilibrado, fim de boca adocicado,no geral muito bom, eu só diminuiria a dosagem em 1 ou 2 gramas. Nota: 88 pontos de Marcelo Copello.

- Pizzato Brut – Brasil: Elaborado com chardonnay e pinot noir pelo método tradicional, com 8 gramas por litro de açúcar residual. Palha intenso, boa perlage, pequena e abundante. Aroma de bom frescor, floral e cítrico, com toques de mel e tostados. Paladar leve e cremoso, bem equilibrado com boa acidez, média persistência. Nota: 87 pontos de Marcelo Copello.

- Salton Evidence – Brasil: Assemblage de 70% Chardonnay e 30% Pinot Noir. 20% do mosto é fermentado e mantido com suas leveduras em barricas de carvalho francês por um período de 6 meses. Os vinhos são elaborados separadamente, com posterior assemblage. Dá-se então a refermentação na garrafa (Método Champenoise) a uma temperatura de 10°C e permanência com suas leveduras por um período de 12 meses. Indique para um amigo. Sugestões. Nota: 86 pontos de Marcelo Copello.

- Espumante Nature Salton Gerações Antônio Domenico Salton: Elaborado a partir das variedades Pinot Noir (50%) e Chardonnay (50%). As uvas foram prensadas inteiras em prensas pneumáticas, utilizando-se baixa pressão. O mosto foi clarificado a baixa temperatura e após 10hs, o mosto flor foi separado das partículas mais densas. O mosto límpido foi fermentado a baixa temperatura com fermentos selecionados. Segunda fermentação: Homogeneização do vinho base com leveduras, açúcar, nutrientes e agentes clarificantes (licor de tiragem). Contato com as leveduras: 3 anos.
Número de garrafas elaboradas: 13.000 unidades. Coloração amarelo ouro, com grande desenvolvimento de finas borbulhas, com geração de correta formação de espuma. Aromas complexos que lembram: cevada tostada, pão torrado, mel, nozes, baunilha, avelã, café. Paladar cremoso com excelente acidez cítrica

HARMONIZAÇÕES COM BACALHAU NAS FESTAS DE FINAL DE ANO

BACALHAU: é um peixe nobre de aroma e sabor acentuados que não costuma combinar com vinhos brancos muito leves. Os vinhos brancos mais encorpados e com toque de madeira costumam casar melhor com o prato. Mas se a opção for um tinto, a escolha é um mais leve, para que os taninos não sobreponham ao sabor do peixe, e neste caso um Pinot Noir ou um Touriga Nacional irão muito bem.

Sugestões de Vinhos (as safras disponíveis poderão variar):
- Conde Valdemar Fermentado em Barrica 2009 - Rioja – Espanha: Branco barricado e com personalidade, típico e tradicional vinho da região de Rioja, na Espanha. Ele é elaborado apenas com a casta viura. Seco e complexo, traz um amadeirado marcante. Importado pela MISTRAL.

- Loureiro Muros Antigos Vinho Verde 2010 – Minho – Portugal: Amarelo-palha cristalino. Puros e expressivos aromas frutados de nectarina madura e banana, amalgamados a notas de mel. Delicioso equilíbrio entre o frescor e a suavidade, final limpo e fragrante. W&S 90 pontos. Importado pela DECANTER.

- Alvarinho Soalheiro 2010 - Minho – Portugal: No caso de receitas mais substanciais, como a bacalhoada, esse alvarinho encorpado e amanteigado, traz equilíbrio justo ao sabor predominante do peixe. Importado pela PORTO A PORTO.

- Morgadio da Torre Alvarinho 2010 - Sogrape Vinhos – Portugal: Vinho Verde de grande qualidade, ricamente perfumado e com potencial de envelhecimento. Morgadio da Torre recebeu o Prêmio de Excelência no Concurso dos Vinhos Verdes de Portugal em 2005. Importado pela ZAHIL, representada em BH pela REX-BIBENDI.

HARMONIZAÇÕES PARA FRUTOS DO MAR NAS FESTAS DE FINAL DO ANO

FRUTOS DO MAR: Tudo dependerá de como serão preparados os frutos do mar e seus acompanhamentos. A dica é escolher um branco com uma boa acidez, ou um rosé mais leve e aromático, pois os taninos leves e frutas verdes marcantes proporcionam frescor, resultando numa feliz combinação com mariscos, camarões e afins”.

Sugestões de Vinhos (as safras disponíveis poderão variar):

- Chateau Porcieux Rose de Provence 2009 – Provence - França: É um rosado de altíssima qualidade, que já foi indicado por 5 vezes como melhor rose da Expovinis. Elegante, com bastante frescor, ideal para acompanhar frutos do mar, carnes brancas, suínas, ou bebericar com os amigos. Importado pela CANTU. Em BH- Fine Food - www.finefoodbh.com.br  -Tel: (31) 2526-3699.

- Gala 3 Viognier – Mendoza – Argentina: Esse vinho branco com notas de frutas brancas, cítrico e com fundo floral, traz boa acidez na boca, é complexo, equilibrado e com um final longo e persistente. Uma ótima escolha para acompanhar frutos do mar com sabor mais acentuado. Importado pela DECANTER.

- Château Rives Blanques Cuvée de Odyssée Chardonnay 2011 é um vinho produzido na região de Limoux/Languedoc, na França. É feito com uvas Chardonnay. Um vinho feito sob práticas amigas do meio ambiente. "A safra 2011 é o ano de Limoux" diz a Revue du Vin de France, a mais respeitada revista de vinhos da França. Uvas colhidas a mão, dos melhores vinhedos. Um vinho de cor amarela intensa. Aromas de frutas frescas e cítricas maduras, maçã vermelha madura, pêssego e nectarina, nota amanteigada e de baunilha. O carvalho está bem integrado e sutil, mostrando-se como um vinho branco deslumbrante, de excelente equilíbrio e várias camadas de aromas e sabores. Lembra flor branca no final. O paladar de médio corpo é cremoso com notas tostadas, especiarias doces como baunilha e canela. No retro-gosto mostra amêndoas e nozes. Intenso, complexo e uma bela dica para o verão. Importado pela CASA DO VINHO

- Mapema Sauvignon Blanc 2010 – Mendoza - Argentina: Mapema é o empolgante projeto pessoal de Pepe Galante com Mariano di Paola, responsável pelos tradicionais vinhos da Familia Rutini. Elaborado com uvas de vinhas de quase 30 anos de idade, plantadas em pé franco a quase 1.200m de altitude, é um branco intenso e fresco, com cativantes notas florais. Uma pequena parcela do vinho (8%), é maturada em barricas de carvalho de segundo uso, deixando o branco mais exuberante e complexo. Um grande achado. Provavelmente a melhor relação custo-benefício entre as sugestões. Vai bem com Aperitivo, atum grelhado, robalo, vieiras grelhadas ou frango assado. Importado pela MISTRAL.

- Espumante Veuve Paul Bur – França: vinho cristalino, com suaves toques amarelados e pérlage fino e persistente. Para festas, é uma excelente opção de espumante importado sem abusar no preço. Importado pela ZAHIL, representada em BH pela REX-BIBENDI.

- Espumante Veuve de Vernay – França: vinho cristalino, com ótimo perlage, fino e persistente. Para festas, é uma excelente opção de espumante importado sem abusar no preço. Importado pela PORTO A PORTO e CASA FLORA – pode ser encontrado no MARTPLUS.

- Iris Prosecco Grand Cuvèe Gold – Vêneto/ Itália: 100% Glera (Prosecco). Cor amarelo pálido; mostrando aroma fresco, aromático e delicado. Um vinho alegre, agradável e elegante. Excelente aperitivo. Importado pela CASA DO VINHO

- Iris Prosecco Gold DOC Brut - Vêneto/ Itália: 100% Glera (Prosecco). Cor amarelo pálido; com aroma fresco, aromático com sabor aveludado e fundo de amêndoas. De paladar fresco, agradável e elegante. Excelente aperitivo. Sparkling & Foods: "Do vinhedo histórico Trevigiano, é ideal com pratos mediterrâneos a base de massa, arroz, peixe, carnes brancas e queijos. Deve ser servido de 7 a 9 graus para exaltar sua perlage persistente e seu sabor frutado". Importado pela CASA DO VINHO.

- Prosecco Brut Sacchetto – Vêneto / Itália: Fresco, elegante e equilibrado. Saboroso e cheio de fruta, é um vinho que desce fácil e apresenta uma excelente relação qualidade/preço!  Importado pela MISTRAL.

- Prosecco Extra Dry VSAQ Bedin – Vêneto / Itália: Amarelo-palha muito claro, brilhante, com perlage fino, numeroso e persistente. Delicadamente aromático, com flores brancas, cítricos e fruta de polpa branca. Cremoso e dissetante, com ótimo equilíbrio frescor-maciez. Importado pela DECANTER.

- Cava Cristalino – Penedés / Espanha: espumante espanhol muito elogiado pela crítica, que o considera um “best buy”. Na realidade, o Cava Cristalino tem um preço bom e este é provavelmente o seu melhor atributo. Coloração amarela palha, com boa perlage. Aroma de frutas como maçã verde e pêssego; no paladar tem um intenso frescor. Pode ser encontrado nas lojas e supermercados.

- Cava Freixenet Cordon Negro – Penedés / Espanha: Cava leve muito apreciado por seu grande frescor. O elevado teor da uva Parellada no corte e a fermentação com temperatura controlada de 12 ºC lhe conferem aromas finos e intensos, predominando de frutas cítricas e amarelas (damasco). Sua coloração é amarelo palha e brilhante. Borbulha, fina e persistente, formando uma excelente coroa. Tem paladar leve e com nota elegante. Ideal para acompanhar frutos do mar, risotos e carnes brancas. Pode ser encontrado nas lojas e supermercados.

- Cava Reserva de la Musica Brut Nature 2008 Jané Ventura – Penedés / Espanha: Excelente cava elaborada por Jane Ventura, grandes conhecedores do tema. No nariz apresenta muita fruta citrica e flores brancas. Na boca, mostra um carbonico elegante e agradavel. Este cava por ser um Brut Nature é bem seco, perfeito para acompanhar os mais variados tipos de comida!  Importado pela MISTRAL.

- Cava Raventós i Blanc Gran Reserva Brut 2005 – Penedés / Espanha: Amarelo-palha com reflexos verdeais, brilhante, bolhas muito finas e numerosas. Aroma complexo e fino, com avelãs e amêndoas, brioche e mel, frutas cristalizadas e laivos herbáceos. Potente e cremosa, vibrante, longo final tostado. Importado pela DECANTER.

- Casa Valduga Arte Brut - Brasil. Cor amarela palha, bem clara. Ótima perlage, abundante e persistente. Aroma jovem e fresco, de boa intensidade, baunilha, fruta branca (maçã) e amarela (damasco). Paladar fresco e cremoso, com boa presença do gás carbônico na língua, acidez marcada, muito bem equilibrado, boa relação qualidade-preço.

- Cave Geisse Brut - Vinícola Geisse - Brasil. Elaborado com 70% chardonnay e 30% pinot noir pelo método tradicional. Reconhecido como um dos principais espumantes do Brasil, vem consolidando cada vez mais sua presença no mercado dos produtos diferenciados e exclusivos, demonstrando a consistência de sua qualidade e a incessante busca pelo aprimoramento. Extraindo o máximo das virtudes dos altos da Serra Gaúcha na Indicação de Procedência Pinto Bandeira, já apontado como um dos grandes terroirs para elaboração de espumantes. Possui bela cor amarelo palha, com reflexos esverdeados. Sua perlage e fina e persistente. No olfato, delicada mistura de frutas secas como damasco e amêndoa. Na boca, acidez agradável e boa persistência. Paladar estruturado por ótima acidez, seco, sério, boa cremosidade, bem equilibrado.

- Espumante Cave Geisse Blanc de Noir  2009 – Brasil: Este espumante é a escolha do melhor vinho base Pinot Noir da safra 2009, selecionado às cegas por nosso painel de degustação.  Coloração amarelo dourado com  perlage persistente.
No nariz mostra elegantes notas de especiarias, café, baunilha, com toque sutil a torrefação e frutas vermelhas. Paladar rico e cremoso, demonstrando toda elegância e sofisticação da uva Pinot Noir. Amadurece por 28 meses. Muito elegante.

- Espumante 130, Casa Valduga – Brasil: Elaborado com chardonnay e pinot noir pelo método tradicional, com 10 gramas por litro de açúcar residual. Amarelo dourado claro e brilhante, ótima perlage, pequena e abundante. Aroma de bom ataque, com boa complexidade, frutas maduras, frutas cristalizadas, mel, leveduras, baunilha, mel. Paladar de bom corpo, cremoso, com boa acidez, longo, já é excelente, mas acho que ficaria mais fino e equilibrado com 1 ou 2 gr de açúcar a menos. Nota: 88 pontos de Marcelo Copello.

- Espumante Salton 100 anos – Brasil: Elaborado com chardonnay e pinot noir (dominante) pelo método tradicional, sem dosagem, com 3 anos de autólise. Cor mais dourada, com ótima perlage. Aroma intenso e fresco, com brioches, baunilha discreta, cítricos, mel, nozes. Paladar intenso, de acidez elevada, ainda deve evoluir em garrafa, está novo. Nota: 89 pontos de Marcelo Copello.

- Miolo Millesime Brut 2009 – Brasil: Elaborado com chardonnay e pinot noir pelo método tradicional, com 9 gramas por litro de açúcar residual. Cor entre palha e dourado, com boa perlage, pequena e abundante. Aroma intenso, frutado, com baunilha, abacaxi. Paladar cremoso, boa acidez, sente-se a dosagem de açúcar, bem equilibrado, fim de boca adocicado,no geral muito bom, eu só diminuiria a dosagem em 1 ou 2 gramas. Nota: 88 pontos de Marcelo Copello.

- Pizzato Brut – Brasil: Elaborado com chardonnay e pinot noir pelo método tradicional, com 8 gramas por litro de açúcar residual. Palha intenso, boa perlage, pequena e abundante. Aroma de bom frescor, floral e cítrico, com toques de mel e tostados. Paladar leve e cremoso, bem equilibrado com boa acidez, média persistência. Nota: 87 pontos de Marcelo Copello.

- Salton Evidence – Brasil: Assemblage de 70% Chardonnay e 30% Pinot Noir. 20% do mosto é fermentado e mantido com suas leveduras em barricas de carvalho francês por um período de 6 meses. Os vinhos são elaborados separadamente, com posterior assemblage. Dá-se então a refermentação na garrafa (Método Champenoise) a uma temperatura de 10°C e permanência com suas leveduras por um período de 12 meses. Indique para um amigo. Sugestões. Nota: 86 pontos de Marcelo Copello.

- Espumante Nature Salton Gerações Antônio Domenico Salton: Elaborado a partir das variedades Pinot Noir (50%) e Chardonnay (50%). As uvas foram prensadas inteiras em prensas pneumáticas, utilizando-se baixa pressão. O mosto foi clarificado a baixa temperatura e após 10hs, o mosto flor foi separado das partículas mais densas. O mosto límpido foi fermentado a baixa temperatura com fermentos selecionados. Segunda fermentação: Homogeneização do vinho base com leveduras, açúcar, nutrientes e agentes clarificantes (licor de tiragem). Contato com as leveduras: 3 anos.
Número de garrafas elaboradas: 13.000 unidades. Coloração amarelo ouro, com grande desenvolvimento de finas borbulhas, com geração de correta formação de espuma. Aromas complexos que lembram: cevada tostada, pão torrado, mel, nozes, baunilha, avelã, café. Paladar cremoso com excelente acidez cítrica

HARMONIZAÇÕES - PERNIL DE PORCO NAS FESTAS DE FINAL DO ANO

PERNIL DE PORCO:  no pernil, a carne do porco tem sabor e textura bem característicos, pedindo por sua substância e textura, acompanhamentos tipicamente natalinos, como lentilhas, e oferece ótima harmonização para vinhos, apresentando aromas e uma estrutura macia na boca. Uma boa dica é harmonizar com vinhos da casta pinot noir, a uva aparentemente mais leve entre as tintas, e que vai muito bem com carnes gordurosas e de sabores marcantes, como o pernil. Outra opção fica por conta de syrahs e malbecs.

Sugestões de Vinhos (as safras disponíveis poderão variar):
- Côtes du Rhône Rasteau Villages 2009- Domaine La Soumade – França : Proveniente de vinhedos de 20 anos da região demarcada Rasteau, as uvas são selecionadas manualmente para produzir um vinho rico em taninos e frutas maduras, "de encher a boca". O preço é excepcional pela qualidade encontrada. Importado pela ZAHIL, representada em BH pela REX-BIBENDI.

- Sangervasio Rosso 2009 – Itália: Quantidades variáveis de vinhos de uvas francesas foram adicionadas à formula dos Chianti, culminando em um vinho de elegância e porte, com corpo volumoso, mas macio e aromas adocicados de mel. Importado pela ZAHIL, representada em BH pela REX-BIBENDI.

- Tabalí Reserva Especial 2009 – Vale do Limarí – Chile: 100% Pinot Noir. Envelhecido 8 meses em barricas de carvalho. Cor vermelho claro e límpido. Aromas refinados e perfumados. Na boca surgem as notas de groselhas e morangos maduros, acompanhadas de suaves toques florais e de baunilha. Paladar aveludado com taninos redondos e delicada estrutura. Importado pela GRAND CRU.

- Glaetzer Wallace 2007 – Barossa Valley – Austrália: Envelhecido 14 meses em barricas de carvalho. 70% Shiraz 30% Grenache. Adorável em sua cor púrpura. As notas amáveis da Shiraz se associam à Grenache de forma harmônica. Belo corpo. Taninos redondos. Nota: 91-94 RP. Importado pela GRAND CRU.

Leve em conta as harmonizações para Porchetta allá Romana

HARMONIZAÇÕES - PERNIL DE CORDEIRO NO DE FINAL DE ANO

PERNIL DE CORDEIRO:  é servido geralmente assado. A carne é macia e traz uma generosa camada de gordura, além de ter um sabor marcante. O cordeiro harmoniza com tintos de corpo médio para encorpado, variando de acordo com modo de preparo e sabor dos molhos. Aposte em syrah, shiraz, tempranillos, malbecs e merlots.
 
Sugestões de Vinhos (as safras disponíveis poderão variar):
- Mitolo Jester Shiraz 2009 - McLaren Vale, Austrália: Grande vinho australiano, com aromas de ameixa e amora, especiarias e café torrado. A bebida tem bastante corpo, boa acidez, com taninos macios e final longo. Um excelente shiraz com ótima relação qualidade-preço. Importado pela PORTO A PORTO.

- DV Catena Syrah 2010 – Mendoza - Argentina (Catena Zapata): Elaborado com uvas de dois vinhedos excepcionais, plantados em altitudes distintas, este vinho da linha DV Catena, elaborada para o mercado argentino, é o melhor Syrah produzido por Catena Zapata. Rico e profundo, com ótima complexidade, mostra um bouquet complexo e convidativo, cheio de nuances.  Ótima opção para carnes e cordeiro. Importado pela MISTRAL.

- João Pato Touriga Nacional 2007- Bairrada – Portugal (Luis Pato): Grande e esperada novidade de Luis Pato, o João Pato agora é produzido com a consagrada cepa Touriga Nacional, por um preço realmente ótimo. Mostra um cativante bouquet de frutas maduras e notas florais, sendo macio e envolvente, um vinho fácil de gostar. Versátil, vai bem com carnes, cordeiro, pato. Importado pela MISTRAL.

- Callejo Crianza 2005 - Ribera del Duero – Espanha: um vinho 100%Tempranillo (Tinta Del Pais), de vinhedos de 35 anos. Envelhece 12 meses em carvalho francês e americano. Wine Spectator: 93pt. Robert Parker: 91pt: "Um expressivo perfume de pão grelhado, especiaria e frutas escuras. Meio a encorpado, profundo e especiado, bem balanceado e agradável este longo vinho. Deve evoluir por mais 2 ou 3 anos e poderá ser apreciado até 2015". Ótimo com carnes vermelhas, assados, carne de caça e queijos curados. Importado pela CASA DO VINHO.

- Chateau Camplazens Syrah 2009 – Languedoc – França: 100% Syrah. "Deliciosamente maduro. Firme estrutura; encorpado, sólida essência de ameixa vermelha e framboesa. Agradáveis notas de cassis." Intenso, interessante sabor de cereja seca, ameixa, defumado, encorpado e intensa especiaria. Final com notas de chocolate amargo. "Rubi escuro com reflexos granada. Bom ataque no nariz, perfil frutado e picante lembrando ameixa madura, violeta, toque mineral. Paladar de médio-bom corpo, acidez correta. Um vinho agradável, com boa tipicidade da casta e da região". Medalha de Prata Syrah du Monde (em 3 anos, 2 vezes escolhido como Best Red Wine) . Ótima relação custo-benefício. Importado pela CASA DO VINHO.

- Glaetzer Bishop 2010 – Barossa Valley – Austrália:  100% Shiraz. Envelhecido 14 meses em barris de carvalho novo, 20% americanos e 80% franceses. Cor de ameixa escura. No nariz notas de alcaçuz e pimenta negra. No paladar é rico e maduro, com taninos bem integrados e grande equilíbrio. O nome deste vinho é uma homenagem ao nome de família da esposa de Colin e mãe de Ben Glaetzer. Notas: 92-94 RP. Importado pela GRAND CRU.

HARMONIZAÇÕES PARA TENDER NAS FESTAS DE FINAL DE ANO

TENDER: presunto defumado que geralmente é servido com molhos mais adocicados e picantes. O tender é feito com carne do pernil do porco, defumado com vários tipos de madeiras e temperado com algumas ervas. O da Sadia ainda é marinado em suco de abacaxi. No geral, pede vinhos com muita fruta e mais acidez. Tintos mais leves, com taninos elegantes e frutados, ou herbáceos irão se sair bem, pois o tender tem um sabor predominante, por isso pede um vinho com a mesma estrutura, mas que traga frescor. No caso de temperos adocicados, vinhos com um residual de açúcar vão bem com acompanhamentos, como a farofa com frutas.

Sugestões de Vinhos:
- Côtes du Rhône Rasteau Villages 2009- Domaine La Soumade – França : Proveniente de vinhedos de 20 anos da região demarcada Rasteau, as uvas são selecionadas manualmente para produzir um vinho rico em taninos e frutas maduras, "de encher a boca". O preço é excepcional pela qualidade encontrada. Importado pela ZAHIL, representada em BH pela REX-BIBENDI.

- Sangervasio Rosso 2009 – Itália: Quantidades variáveis de vinhos de uvas francesas foram adicionadas à formula dos Chianti, culminando em um vinho de elegância e porte, com corpo volumoso, mas macio e aromas adocicados de mel. Importado pela ZAHIL, representada em BH pela REX-BIBENDI.

- Chateau Camplazens Syrah 2009 – Languedoc – França: 100% Syrah. "Deliciosamente maduro. Firme estrutura; encorpado, sólida essência de ameixa vermelha e framboesa. Agradáveis notas de cassis." Intenso, interessante sabor de cereja seca, ameixa, defumado, encorpado e intensa especiaria. Final com notas de chocolate amargo. "Rubi escuro com reflexos granada. Bom ataque no nariz, perfil frutado e picante lembrando ameixa madura, violeta, toque mineral. Paladar de médio-bom corpo, acidez correta. Um vinho agradável, com boa tipicidade da casta e da região". Medalha de Prata Syrah du Monde (em 3 anos, 2 vezes escolhido como Best Red Wine) . Ótima relação custo-benefício. Importado pela CASA DO VINHO.

- Clos de Los Siete 2009 – Mendoza – Argentina: um corte com 48% Malbec 28%Merlot 12% Cabernet Sauvignon 12%Syrah 14,5%. Envelhece 12 meses em barricas de carvalho francês. Vermelho intenso. Aromas de frutas vermelhas maduras. Intenso, equilibrado e harmonioso, taninos maduros e final persistente. Importado pela GRAND CRU.